A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Novembro de 2019

19/09/2019 12:10

Governanta que roubou R$ 1,2 milhão trabalhava há 20 anos com vítima

A polícia ainda suspeita que a ex-gerente tenha gastado parte do dinheiro desviado da conta da idosa para uma viagem à Disney

Viviane Oliveira
O caso foi investigado pela Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Roubo e Furto (Foto: arquivo/Campo Grande) O caso foi investigado pela Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Roubo e Furto (Foto: arquivo/Campo Grande)

A idosa de 88 anos que perdeu R$ 1,2 milhão tinha conta "prime", como alguns bancos chamam os clientes que, em razão da movimentação maior, tem condições especiais de atendimento, e foi vítima da funcionária de confiança de 59 anos, que trabalhava há quase 20 anos como governanta na casa dela. O desfalque foi feito pela então gerente da conta bancária da vítima que ia até a casa da idosa para atendê-la. As duas mulheres foram indiciadas nesta quarta-feira (18) por furto qualificado. Com o dinheiro, elas compraram até terrenos no condomínio Dhama.

A Polícia Civil ainda suspeita que a gerente de 40 anos tenha gastado parte do dinheiro desviado da conta da idosa para uma viagem à Disney com a família entre o mês de junho e julho. “Ela gastou o dinheiro com vários tipos de coisa. A viagem foi feita logo depois dessas transações bancárias”, disse o delegado Fábio Brandalise, da Derf (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Roubo e Furto).

Como a idosa tem problemas de saúde, a gerente ia até a casa da vítima para atendê-la. “Ela é muito rica. Mora sozinha e tem vários funcionários”, conforme o delegado. Foi em uma dessas idas, que a mulher conheceu a funcionária de confiança da idosa e juntas agiram para cometerem o crime. Os desvios na conta da vítima foram feitos em várias etapas no período de janeiro a junho deste ano para a conta de terceiros.

O crime só foi descoberto, quando familiares perceberam movimentação atípicas e procuraram a polícia. Segundo a investigação da Derf, que foi concluída nesta quarta-feira (18), a então gerente e a funcionária da vítima aproveitaram o estado de saúde da idosa, que sofre de Alzheimer e outras doenças, para ter acesso livre às contas dela. 

Durante a apuração, ficou comprovado que a gerente retirou das contas da idosa R$ 873.300 mil para uso próprio e depositou para a funcionária pelo menos R$ 388 mil. Com o dinheiro desviado, a ex-gerente comprou um terreno no condomínio “Dhama III” e de uma casa no “Dhama IV”, avaliados em mais de R$ 1 milhão. Já a ex-funcionária da idosa adquiriu um veículo. O resto do dinheiro ela mantinha guardado.

A pedido da polícia, a justiça decretou o bloqueio de todos os bens das duas investigadas, recuperando, assim, todo o valor furtado da vítima. Pedido de prisão em nome da gerente chegou a ser feito pelo delegado, mas tanto o Ministério Público, quanto o juiz, se manifestaram contra. As duas respondem em liberdade pelo crime. O nome das envolvidas não foi divulgado pela polícia.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions