A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

15/05/2012 08:43

Greve provoca fechamento de 60% dos Ceinfs e Cras de Campo Grande

Francisco Júnior e Luciana Brazil
Ceinf do Aero Rancho não está funcionando por conta da greve. (Foto: Minamar Júnior)Ceinf do Aero Rancho não está funcionando por conta da greve. (Foto: Minamar Júnior)

Cerca de 60% dos Ceinfs (Centros de Educação Infantil) e Cras (Centro de Referência e Assistência Social) de Campo Grande amanheceram fechados nesta terça-feira (15) com a greve dos funcionários. A informação é da presidente do Senalba/MS (Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional no Estado de Mato Grosso do Sul), Joana Barreto Pereira.

Segundo a sindicalista, a paralisação, definida em uma reunião na noite de ontem, teve a adesão de profissionais contratados pelas empresas Omep (Organização Mundial para Educação Pré-Escolar) e Seleta (Sociedade Caritativa e Humanitária) conveniadas com a SAS (Secretaria de Assistência Social).

De acordo com Joana Barreto, a greve foi motivada após as empresas contratantes se negarem a negociar as reivindicações da categoria. “Elas estão ignorando o sindicato”, afirmou.

Os trabalhadores reivindicam melhores condições de trabalho, reajuste salarial de 14%, igual ao concedido aos servidores da prefeitura, férias coletivas, plano de saúde, aumento diferenciado dos auxiliares administrativos e cesta básica.

Grevistas se reuniram na sede do sindicato na manhã desta terça-feira. (Foto: Minamar Júnior)Grevistas se reuniram na sede do sindicato na manhã desta terça-feira. (Foto: Minamar Júnior)

Conforme Joana, a OMEP (Organização Mundial para Educação Pré-Escolar) e Seleta concedeu um aumento de 5% para os profissionais que desempenham a mesma função que os concursados, que receberam reajuste de 14%. “Eles recebem um salário inferior para fazer o mesmo trabalho”, reclamou a sindicalista. Em Campo Grande, mais 19 mil crianças são atendidas pela categoria. Existem 97 Ceinfs, que atendem crianças de 1 a 4 anos, e o 19 Cras, que atende crianças de 6 a 18 anos.

No total, 2,5 mil pessoas entre concursados e contratados trabalham nas duas instituições. A sindicalista não soube informar o número de profissionais que entraram em greve.

Joana informou que a prefeitura não participa das negociações e que deixou a questão para os funcionários e as empresas resolverem.

A reportagem do Campo Grande News esteve no Ceinf do Aero Rancho. No local, apenas três funcionárias compareceram para trabalhar. Os pais que procuraram a unidade na manhã de hoje foram avisados sobre a paralisação.

Já o Cras do bairro está funcionando normalmente. Apenas duas educadoras aderiram a greve.



Nós contratados,e que não concluimos a faculdade,o Thiago Souza tem razão quando diz que trabalhamos mais.Nós trab.!! Durante 8h,exercemos a nossa função e ainda fazemos o papel de mãe,amiga,psicologa...somos Educadoras por excelencia!! Enquanto muitas graduadas e pós graduadas são literalmente carregadas nas costas pois PASSAM 4h na morgação, sem dar o REAL VALOR a EDUCAÇÃO INFANTIL,
 
Dirlene Souza Cardoso em 16/05/2012 10:48:20
deixavam as profesoras sozinhas tentano punir elas por trabalharem menos e ganhar mais que nos, queria ver se fosse um filho de voces que tomasse um tapa na mão ou um puchão de cabelo se iam gostar so sai do ceinf que trabalava porque tive que mudar de cidade se não tinhna que continua veno estas coisas porque preciso trabala.
 
claudia azevedo em 16/05/2012 08:54:43
tem gente aqui dizeno que concordam com as recreadoras estarem em greve é que não conhecem a realidade é claro que há excessoes mas eu ja trabalhei como recreadora e sei vi baterem em crianças, xingar, puxar pelo braço e deixare ascrianças xixidas enquanto as profesora estão em sala muitas saiam e ficava passeando so pra deixar profesor sozinho e ainda dizia que não tava nem ai deixa se virar
 
claudia azevedo em 16/05/2012 08:48:48
a pratica podemos adquirir com o dia a dia e ha muitos professores que ja tem a "tal pratica" a + de 25 anos pois dão aulas a muito tempo, agora a gramatica vc não adquire se vc não for para um banco de faculdade como dzem " estao interessados em gramatica isso é "politica".As recreadoras que realmente trabalham
estão de parabéns agora aquelas que so sabem passear não estão satisfeitas saiam.
 
rafaela schunner em 16/05/2012 08:40:48
se vc presta um concurso no qual vc le o edital quais suas funções e seu salario base e aceita é uma coisa vc aceitou aquela condição agora os contratados nunca vão aceitar pois muitos deles aceitam trabalhar sem ao menos saber o salario e qual a função exercer,como diz uma diretora de ceinf mais vale a pratica do que a gramatica mas a sociedade não esta interessada na pratica e sim na gramatica.
 
rafaela schunner em 16/05/2012 08:30:41
Dirlene como vc mesma diz só "morgação"então vamos la: 1º o professor estudou para trabalhar apenas 4 h 2º não somos "carregadas" desempenhamos nosso papel que é o pedagogico, em partes concordo também com o senhor Tiago Souza quando diz que deveriam colocar apenas concursados ou so convocados pois ai não teriamos estas desigualdades pois que ser humano aceitaria trabalhar mais e ganhar menos?
 
rafaela schunner em 16/05/2012 08:23:26
Claudia Moraes leia e informe-se "Da pauta de reivindicações consta aumento salarial de 14%...Os profissionais contratados querem ainda equiparação salarial com os concursados, "já que exercem as mesmas funções e, às vezes, até mais", diz Maria Joana. entrevista concedida em 14/05/2012 postada as 11h 28m acho que quem esta desinformada aqui e vc.E se vc esta na faculdade que bom para vc.

 
rafaela schunner em 16/05/2012 08:14:42
Sou professora,e graças a Deus concursada, mais sei o que essas recreadoras passam no seu cotidiano, elas são bem mais que recreadoras, são, mães, tias, psicologas e tbem pediatras pq algumas até cuidam o horário de determinadas cças para ser medicada.
É mais que justo elas ganharem esse aumento, pq são trabalhadoras que tbem deixam seus filhos para virem cuidar dos filhos de outras,
 
LUCIVANIA DA COSTA SILVA em 15/05/2012 12:02:28
Os profissionais não aderiram 100% da greve,pelas ameaças e coações que fizeram, dizendo que iriam descontar R$30,00, por faltas e até mandarem embora pro justa causa. Sendo que sabemos que o único direito que realmente pode ser cobrado é a falta. Além das tias ganharem pouco, ainda trabalham sob ameaça e, pior de tudo, se ficarem doentes por trabalharem no limite,ainda teem que ir pro SUS, aff.
 
Ruan Savio Mocinho em 15/05/2012 10:03:14
Sou solidaria as funcionárias que se dedicam a cuidar dessas crianças, todas estão trabalhando na educação e cuidados diariamente sem direito a plano de saude, é muito justo que todos os trabalhadores busquem melhora dentro do que está fazendo, elas estão estudando, fazendo planejamento semanal igual as professoras, sendo cobradas por isso. Pela primeira vez abriu essa oportunidade...
 
valeria alves em 15/05/2012 04:34:53
Eles deveriam ou colocar so os concursado ou so pessoas contratados. nao misturarem. apesar daquelas que sao so contratados trabalharem mais que os concursado. Essa pessoas que sao concursadas nao dao muito valor pois acham que ja tem o serviço garantindo. essa diferença ve em qualquer repartição.
 
thiago souza em 15/05/2012 04:30:23
querida amiga rafaela, não estamos querendo receber como professor, mas nos queremos dignidade e respeito pelo desenvolvimento da nossas atividades nos ceinfs somente, e para estar tralhando nos ceinfs nos temos capacitação em SÉRIES INICIAIS E ENSINO FUNDAMENTAL E ESTAMOS CURSANDO A FACULDADE. Epero que tenha entendido o que eu tinha para lhe informar se vc não tem respeito pela suas companheiras
 
claudia moraes em 15/05/2012 04:25:55
Tem gente que não sabe o que está dizendo. Essas mulheres de fato são mais do que recreadoras como disse muito bem a Lucivania, merecem ser respeitadas, afinal elas fazem o papel de muitas mães que trabalham e até mesmo das mães incapazes de dar o primordial que é CARINHO e ATENÇÃO. As recreadoras podem não ter faculdade, mas são formadas PELA VIDA, isto não se consegue em CONCURSOS.. affff
 
Edir de Souza em 15/05/2012 03:30:21
É um asituação muito complicada. Deveriam pagar melhor para os servidores, mais antes de tudo investir em qualificação. As mães são as que mais sofrem quando as creches fecham, muitas não tem com quem deixar, ou não tem família, ou as pessoas trabalham e não podem assumir a função. Por que nossos governantes não olham com mais carinho para essa questão? É um no político, não se esqueçam..
 
Marcia Ribeiro em 15/05/2012 02:24:53
“Eles recebem um salário inferior para fazer o mesmo trabalho”
faça me o favor daqui a pouco vão querer receber igual um professor com ensino superior, para quem tem ensino médio o salario é justissimo. Concursado é concursado tem só uma diferença CONCURSO PUBLICO ficamos 4 anos em uma faculdade, estudamos e passamos em um concurso e eles como a propria sindicalista disse são... tercerizados.
 
rafaela schunner em 15/05/2012 01:33:04
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions