A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

24/03/2014 08:47

Grupo de adolescentes espanca homem após discussão por som alto

Aliny Mary Dias e Viviane Oliveira

Uma discussão por som alto em uma festa ocorrida no sábado (22), na Vila Progresso em Campo Grande, terminou com um homem de 56 anos espancado e ferido em estado grave. Um grupo de seis a sete adolescentes agrediu o homem e um deles, que foi apreendido no sábado, prestou esclarecimentos na delegacia e foi liberado.

De acordo com a Polícia Civil, um jovem de 28 anos foi até a casa vizinha pedir para que o som fosse abaixado. Uma mulher de 45 anos que participava da festa e é mãe de um adolescente, disse ao jovem que o som só seria desligado após as 22 horas.

Houve discussão e a mãe teria contado sobre a briga ao filho adolescente. O menino se juntou com um grupo de seis a sete adolescentes e foram até a casa do jovem. No entanto, quando o grupo chegou, o rapaz já tinha ido até a delegacia registrar um boletim de ocorrência sobre a discussão e o som alto.

Enquanto os adolescentes e a mãe do rapaz de 28 anos discutiam, o pai do jovem saiu de casa com um facão e um celular filmando o que acontecia. João Luis Marques Jardim, de 56 anos, acabou espancado pelo grupo depois de soltar o facão.

Vizinhos tentaram defender o homem, mas ele teve vários ferimentos pelo corpo, perdeu os dentes e teve trauma encefálico. A Polícia Militar foi chamada, mas o grupo de adolescentes fugiu. Só ficaram no local a mãe e o filho de 17 anos.

O menino foi apreendido e encaminhado até a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga onde prestou esclarecimentos e foi liberado.

João foi socorrido até o posto de saúde do bairro Tiradentes e depois transferido para a Santa Casa de Campo Grande em razão da gravidade dos ferimentos. De acordo com a assessoria de imprensa, João segue internado na enfermaria da unidade em estado estável.

Abstenção em concurso da Câmara Municipal da Capital passa dos 30%
O domingo (17) foi de provas para milhares de campo-grandenses, tanto na manhã como no período da tarde, no concurso da Câmara Municipal, que segundo...
Com forte dores, mulher reclama de falta de atendimento em UPA
Mesmo apresentando fortes dores e inchaço na região do estômago, sem conseguir comer a três dias, uma mulher que procurou atendimento na UPA (Unidade...
Problema rotineiro, chuva causa alagamentos no bairro Cidade Morena
A chuva que atingiu Campo Grande no fim da tarde deste domingo (17) causou vários problemas à população, desde alagamentos a problemas estruturais em...


Na boa... acho que som alto devia ser mais reprimido pois é início de varias brigas com consequências maiores...
Acho até que quem tem som potente em carro(sei que não é o caso da reportagem) deveria pagar uma taxa e ser obrigado a se cadastrar, pois o que tem de carro com som que mais parece de competição e ficam pelos bairros tirando o sossego de quem quer dormir não é brincadeira. E cadastrando, fica até mais fácil localizar...
.FicaADica...
 
Luiz Fabiano Câmara em 24/03/2014 10:47:11
Espero, na posição de cidadão e filho, que esses marginais sejam reprimidos e punidos por essa barbárie. Além de bandidos, podem ser também tachados de covardes. Formar um grupo de número considerável para espancar um senhor de idade é um absurdo. Além de estarem errados, pois a Lei do Silêncio é válida EM QUALQUER HORÁRIO do dia ou da noite, ainda querem impor pela violência a sua falta de respeito? Cadeia é pouco para esses indivíduos. A mãe do jovem citado também merece punição por instigar a agressão relatada.
 
Adriano HUmberto Ferreira de SOuza em 24/03/2014 10:01:43
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions