A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

24/09/2014 12:23

Guarda municipal salvou a vida de bebê de dez meses que se afogava em piscina

Renan Nucci
Imagem mostra guarda prestando os primeiros socorros à vítima. (Foto: Divulgação)Imagem mostra guarda prestando os primeiros socorros à vítima. (Foto: Divulgação)

Responsável por prestar os primeiros socorros à menina de dez meses que se afogava em uma piscina de plástico na favela Cidade de Deus, na região do Bairro Dom Antônio, o guarda municipal Kelson Correa Macedo, 31 anos, diz que se emocionou bastante com o caso. O episódio aconteceu na sexta-feira da semana passada, em Campo Grande.

A mãe da criança, uma adolescente de 17 anos, colocou a menina em um andador dentro da piscina de plástico e entrou no barraco para preparar o almoço, por volta do meio-dia. Ela ouviu um barulho estranho vindo de fora e ao sair para verificar, viu que o andador havia tombado e que a filha estava se afogando.

Desesperada, ela tirou a menina da água e saiu gritando por ajuda. Kelson estava em uma base móvel montada a cerca de 100 metros do local, e ouviu o tumulto. Ele conta que se deparou com a vítima em um estado bastante crítico. “Ela estava inchada, com a pele roxa, pois havia ingerido muita água”, disse.

O guarda rapidamente colocou em prática o treinamento que recebeu. “Eu peguei a criança no coloco e a coloquei de bruços sobre um dos meus braços; ela estava com o pulso baixo. Em seguida comecei a pressionar as costas e ela aos poucos começou a vomitar, liberando a água que havia engolido. Depois, recuperou a consciência, começou a respirar melhor e a chorar”, explica.

Após prestar os primeiros socorros, ele colocou a menina em uma ambulância do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) que a levou para a Santa Casa. Mais tarde, recebeu a notícia de que tudo estava bem. “No turno da noite, os pais dela vieram me agradecer e disseram que, de acordo com os médicos, o atendimento que prestei foi fundamental para a manutenção da vida dela. Eu fiquei muito emocionado por tê-la salvado e ao mesmo tempo me senti gratificado, pois sou pai de um menino de cinco anos e tenho noção do que o casal passou”, contou.

Kelson ainda fez questão de lembrar que, mesmo não sendo socorristas, todos os guardas municipais recebem treinamentos de primeiros socorros, para que estejam preparados para agir com eficiência em situações assim. “Recebemos treinamentos práticos por parte do Corpo de Bombeiros, que nos dão uma boa referência para agir em momentos críticos”, completou.

Andador tombou dentro de uma piscina de plástico, afogando a criança. (Foto: Marcos Ermínio)Andador tombou dentro de uma piscina de plástico, afogando a criança. (Foto: Marcos Ermínio)


No minimo a mãe teria que ser punida por tentativa de homicídio, pra criar mais responsabilidade, se essa criança ficasse mais 3 minutos embaixo d'agua, qual seria o resultado??? No minimo esse guarda que num tinha nada a ver com a função dele e desempenhou um importante papel naquele momento, por ter resultado com sucesso, deveria ser reconhecido por honra.
 
rafael abdalla velasco em 24/09/2014 13:40:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions