A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

27/09/2012 19:57

Histórias de envolvimento com a droga "escondidas" atrás de um muro

Mariana Lopes
 Histórias de envolvimento com a droga escondidas atrás de um muro
Canto do terreno onde os usuários ficam para consumir drogas (Foto: Pedro Peralta)Canto do terreno onde os usuários ficam para consumir drogas (Foto: Pedro Peralta)
Usuários se escondem no terreno para fumar (Fotos: Pedro Peralta)Usuários se escondem no terreno para fumar (Fotos: Pedro Peralta)

Um terreno grande e bem murado. Quem chega à rua Oboé, no Tiradentes, em Campo Grande, talvez não imagine o problema social que há por trás do famoso “murão” do bairro. Os tijolos levantados para proteger o local, há anos escondem a fumaça da droga consumida pelos tantos usuários de drogas que frequentam o terreno. Mas o drama vai bem além dos muros, está por trás da história de cada usuário, que deixa a droga ser a dona da vida deles.

Uma jovem bonita, comunicativa e inteligente. Aos 25 anos, ela conta como começou a usar maconha, ainda quando tinha apenas 12. "Desde pequena vi meus pais nos botecos, bebendo... Comecei dentro de casa e me acostumei com essa vida", se lembra Laís, que hoje vê a história se repentindo.

Mãe de dois filhos, um de 3 e outro de 6 anos, ela afirma que até pensa nos pequenos, mas que não consegue mudar de vida. "A droga não deixa a gente amar a ninguém, você só consegue viver para a droga, ela te cega e te domina", fala a jovem, com a cabeça baixa, um dos únicos momentos da entrevista no qual ela deixa a expressão visivelmente abatida e triste.

De bermuda curta, top e descalça, conta que trocou os chinelos por pasta base. “Na hora a gente dá tudo para fumar”, afirma Laís. Para conseguir dinheiro para comprar as drogas, ela se prostitui desde os 14 anos. “Vendo o meu corpo para não precisar roubar”, justifica.

Da vida que leva hoje, ela joga um pouco da culpa nos pais. "Se eles tivessem pegado na minha mão e me levado para a igreja quando eu era mais nova, talvez eu não estivesse aqui agora", desabafa, com um tom de amargura na voz. Mas logo ela muda de assunto e volta a procurar um isqueiro para acender o cachimbo.

Cachimbos e drogas encontrados no terreno (Foto: Pedro Peralta)Cachimbos e drogas encontrados no terreno (Foto: Pedro Peralta)

De repente, no quadrilátero do terreno, aparece um senhor. De camisa preta, calça social com a barra dobrada, pés descalços e barba comprida, ele diz que é pastor, se chama Napoleão e fala frases sem sentido. "Ele é louco, acho que as drogas afetaram a cabeça dele", comenta outro usuário.

No meio da batida policial, ocasião na qual a reportagem do Campo Grande News conversou com os usuários, entra no terreno uma senhora, mãe de um dos dependentes que estava lá.

A senhora de 60 anos foi buscar o filho, de 37 anos. "Para mim é um derrota ter que entrar aqui atrás do meu filho". Ele estava lá há quatro dias consumindo crack e sem dormir.

Ele conta que trabalha em uma fazenda e todo o dinheiro que ganha gasta em drogas. "Já consegui ficar quatro meses limpo, mas acabei voltando a usar, tem quase um ano", conta.

O sonho de dona é um dia ver o filho longe das drogas. "Queria que ele aceitasse se internar, mas ele não quer", lamenta a mãe de seis filhos. "Ele foi o único que me deu problemas", diz.

Na calçada de um bar, no Tiradentes, Osvaldo montou um abrigo (Foto: Pedro Peralta)Na calçada de um bar, no Tiradentes, Osvaldo montou um abrigo (Foto: Pedro Peralta)

Fora dos muros, as ruas também abrigam usuários de drogas. Na calçada de um bar no bairro, o homem de 51 anos praticamente montou uma casa, com direito a colchão, roupas e utensílios domésticos. Às 17h, quando a reportagem do Campo Grande News passou pelo local, ele já estava visivelmente bêbado.

Ele é alcoólatra e tem casa no bairro Nova Lima, mas confessa que estava dormindo na calçada do bar há uma semana. “Aqui tem gente que me dá comida, que me dá dinheiro para eu comprar minha pinga”, diz, justificando que bebe para espantar o frio, mesmo que em Campo Grande os termômetros estivessem registrando quase 30ºC.

E assim, a rotina do bairro segue. Segundo a polícia, o problema relacionado à droga no Tiradentes se espalha por praticamente o bairro todo, até chegar ao Dalva de Oliveira II.



E ainda tem gente querendo legalizar a maconha!
 
Neila Farias em 02/10/2012 09:40:09
CONT2... infelizmente é a realidade, mas graças a DEUS a igreja continua ajudando muitas pessoas a se reerguer, eu pessoalmente conheço ex-dependentes químicos q estão recuperados e infelizmente também conheço aqueles q não aguentaram o fardo e resolveram voltar a vida velha (alguns ainda com muitas poses R$), resumindo o dinheiro tem sua importância sim mas não resolve nem 1/3 do problema...
 
Evandson Carvalho em 28/09/2012 11:37:00
CONT.. não adianta ajudar se vc não quer se ajudado, trancá-los em um centro de recuperação não resolveria tbm, agora culpar a igreja não é correto pois ela tem feito muito p a sociedade em geral e ainda assim é criticada, temos como exemplo qndo um ex-bandido/traficante/assassino/viciado/etc..se converte o q pensa e diz a maioria? "-Há agora depois q fez tudo isso quer virar crente?" infelizme...
 
Evandson Carvalho em 28/09/2012 11:30:23
É Pr.Wesley Festa se esses problemas se resolvessem com dinheiro, acredite q a grande maioria já teria largado essa vida, o fato principal p vc ter idéia do q já foi feito em apoio aos usuários é simples é só vc parar qualquer um na rua e perguntar para ele o q Jesus pensa a respeito da vida q ele leva, para ver q a palavra já foi dita mas o principio do livre arbítrio torna a decisão de largar...
 
Evandson Carvalho em 28/09/2012 11:25:26
Ótimas palavras e colocação Pr. Welei Festa.
Falta amor ao próximo... muitas vezes basta estendermos as mãos e gastar o nosso tempo que é dado por Deus para ajudar aqueles que precisão.
 
Fatima Nantes em 28/09/2012 10:29:10
Que triste essa situação tenho pena dessas pessoas, só Deus na vida delas e que comentário infeliz deste Adailton queiroz!
 
Fatima da silva em 28/09/2012 09:59:06
Acho que ninguém entra no mundo do vício por vontade própria. Sempre tem algo por trás, uma tristeza, uma fraqueza, trauma. Só sabe quem tem um viciado em casa. É muito triste ver pessoas se acababndo e destruindo a vida de outras pessoas. Pq toda família sofre.
 
Gislaine Ferreira em 28/09/2012 09:56:52
MEU DEUS!
O QUE FARIA JESUS NESSE LUGAR?
“Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo”. E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz.
2 Coríntios 11:13-14
DESPEJARIA TODA ESSA FORTUNA GASTA EM EMISSORAS DE TV, EM CONGRESSOS MILIONÁRIOS, PASSEIOS DE AVIÃO PRA CIMA E PRA BAIXO, HOSPEDANDO-SE EM HOTEL CINCO ESTRELAS, ALIMENTANDO-SE COM CARDÁPIOS DE RICOS, MAURICINHOS E PATRICINHAS EVANGÉLICOS.
OU PARTIRIA PARA AS RUAS PARA SOCORRER OS MISERÁVEIS?
SERÁ QUE QUANDO JESUS PASSAR POR AQUI, VAI CORRENDO PARA UM CONGRESSO DESSES EM QUE SÓ VAI EVANGÉLICO?
OU VAI BUSCAR AQUELAS CIANÇAS E JOVENS FAMINTOS NOS MORROS, DEBAIXO DE PONTES, NO TRÁFICO, NO ÁLCOOL E NA PROSTITUIÇÃO?

O QUE ESSA IGREJA MODERNA PODE PASSAR SOBRE O AMOR AO PRÓXIMO?
SE O DINHEIRO É DE DEUS, NÃO DEVERIA SER MAIS BEM EMPREGADO?
"Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo" (1 Coríntios 11:1).
DEUS DEVERIA SER CONSULTADO SOBRE A FORMA COMO DEVEMOS EMPREGAR A ARRECADAÇÃO QUE SE FAZ EM SEU NOME.
JESUS DESCEU DO SEU TRONO DE GLÓRIA PARA NOS SOCORRER E MANDOU QUE FIZÉSSEMOS O MESMO COM O NOSSO PRÓXIMO, E O QUE SE VÊ É JUSTAMENTE O CONTRÁRIO. TODOS QUEREM O PEDESTAL.
AS APARÊNCIAS ENGANAM!

A IGREJA QUE ESTÁ A FAVOR DISSO NÃO TEM VISÃO ESPIRITUAL. É ISSO QUE ESTÃO FAZENDO: FORMANDO CEGOS ESPIRITUAIS. EU FICO CADA VEZ MAIS TRISTE, AO VER O RUMO QUE A IGREJA TOMOU.
MAS, SE NOS UNIRMOS PODEREMOS COMBATER O ERRO, QUE VEM CONFUNDINDO MUITAS PESSOAS QUE NÃO ESTÃO SABENDO DISCERNIR NEM O QUE SEGUIR. "
O "BOM SAMARITANO, NOS PAGA PARA CUIDARMOS DOS ESPANCADOS" (LUCAS 10.25-

 
pr. wesley festa em 28/09/2012 07:50:05
Não tenho a menor penas deles, afinal iniciaram ao mundo das drogas por livre opção, então que morram consumindo drogas..
 
ADAILTON QUEIROZ em 28/09/2012 06:37:43
foi uma reportagem , muito interessante pois só assim olhamos para dentro de nós e reconhecemos que somos seres totalmente dependes de DEUS!
 
Fernanda lopes em 28/09/2012 06:28:29
Acho que isso não é papel da Igreja e sim dos nossos líderes políticos disponibilizarem tratamento para essas pessoas( recuperação), é necessário uma estrutura que encaminhe os dependentes para uma formação psicológica e profissional.
Assim poderão se sentir capazes e valorizados.
 
Divanilza Jacques Palhano em 28/09/2012 05:57:16
Quem realmente está dentro da igreja (templo) Deus ou o diabo?

Irmãos é com muita tristeza que venho a relatar isto agora, peço a Deus perdão se estiver errado.
Estamos vivendo o tempo em que tiraram Jesus de dentro da igreja e colocaram o diabo para tomar conta.
Pois o que mais vemos e estamos acostumados e muitos já aceitando ver os escândalos dentro da igreja, pois se tornou lugar de prepotência e por isto vemos igrejas enfraquecidas pela divisão, desânimo e falta de compromisso dos líderes e membros.
Traições dentro das igrejas se tornaram comuns.
A frieza tomou conta do povo que se dizia pertencer ao Deus do amor.
A avareza com os nescitados é algo muito comum, levando as pessoas a uma total
falta de compromisso com as coisas de Deus.
Pastores covardes com a vida por debaixo dos panos totalmente destruída mostrando que está tudo bem, mas se olharmos e buscarmos o entendimento de Deus verá então a realidade destes lobos devoradores.
E infelizmente a igreja se tornou o lugar que mais tem inveja, cada um quer ver o outro pior do que está, por que daí ele se torna maior que o irmão, então onde está a união?
A soberba se tornou um ponto forte, pois cada pastor quer ter o carro mais caro e ter mais exaltação para ele, transmitindo isto também para os membros fazerem o mesmo entre eles.
O egoísmo é algo comum pessoas negando a ajuda ao irmão, pois tem medo de perder o que tem.
E por fim a amizade se tornou algo banal, virou inimizade, agora o amigo é de acordo com a classe social ou financeira que no termo popular significa panelinhas.
Então tenho a certeza que muitos líderes tenham que voltar ao primeiro amor e rever o seu juramento como homem ou mulher de Deus e mudar esta situação.


 
pr. wesley festa em 28/09/2012 04:02:22
Boa matéria, acho que o campo grande news deveria fazer tbn matérias sobre os usuarios de cigarro e de bebiba alcoólica.
 
Paulo Henrique em 27/09/2012 09:43:28
iaao realmente é uma das realidades que estamos presenciando hoje em dia isso já se tornou comun hoje em dia tato fas e tanto fes pena néeeeeeeeeeeeeeeeee
 
tainara talia em 27/09/2012 08:16:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions