A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

24/09/2012 18:30

O "bandidão" que acordou a tempo de não perder a vida para as drogas

Elverson Cardozo
 O bandidão que acordou a tempo de não perder a vida para as drogas

Ele tem 64 anos, é militar aposentando da Marinha, tem três filhos, está no quarto casamento e vive em Campo Grande. Por mais de 30 anos foi usuário de maconha, cocaína e pasta base, além de alcoólatra

Há 17 anos longe das drogas, o aposentando aprendeu que a vida depende de escolhas.  Ninguém faz você parar de beber ou usar. Você só vai parar se mudar de comportamento, dise. (Foto: Rodrigo Pazinato)Há 17 anos longe das drogas, o aposentando aprendeu que a vida depende de escolhas. "Ninguém faz você parar de beber ou usar. Você só vai parar se mudar de comportamento", dise. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Quem conversa com ele custa a acreditar que seu apelido, no passado, foi "Bandidão", tampouco na história de que ele costumava visitar favelas e subir morros do Rio de Janeiro em busca de maconha e cocaína. As declarações fornecidas por este homem, um senhor, é a prova de que o mundo das drogas, repleto de ilusões, definitivamente não vale a pena. Entrar é fácil. Difícil é sair sem arriscar a própria vida.

Para ele, foram 34 anos de batalha. Hoje, tem 64 anos, é militar aposentando da Marinha, pai de três filhos, no quarto casamento. Vive em Campo Grande. Está longe da cidade descrita como "maravilhosa", mas continua perto de várias bocas de fumo espalhadas pelo bairro onde mora. A vantagem, se ela existe, é que esta realidade, para ele, não representa mais perigo.

Nem sempre foi assim. O primeiro contato com o "universo paralelo" aconteceu cedo, aos 13 anos, em Corumbá, cidade onde nasceu. "Tinha um colega da marinha que queimava fumo. A gente estava jogando bola, ele acendeu um e me oferece um trago", relembrou.

Em poucos dias, o cigarro de maconha já era um vício enraizado. Para a pasta base foi um pulo, mas havia um agravante: o álcool. O menino que mal tinha entrado na adolescência não ficava longe da bebida, a mesma que costumava ver o pai tomando em casa; aquela que o tio pedia para comprar desde criança, em doses, nos botecos da cidade.

"Começou aos sete, oito anos. Ele pedia para eu comprar cachaça no copo e eu vinha do botequim bicando, disse, ao revelar que o pai também era alcoólatra. Quatro anos depois, entregue ao alcoolismo e às drogas, o rapaz que até então tinha 17 anos, entrou para Marinha e se mudou para o Rio de Janeiro, onde, paralelamente ao serviço militar, passou a cursar ciências contábeis em Cascadura, na zona norte.

Lá, conheceu a cocaína e, em busca da droga, passou a frequentar bocas de fumo em favelas e chegou a subir alguns dos morros cariocas, como o "Pedra Lisa", que fica atrás da Central do Brasil.

A vida desandou e as perspectivas de futuro ficavam cada vez mais distantes. Mesmo assim, o rapaz conseguiu subir de graduação e alcançou o posto de 1º sargento, atuando como submarinista, mas o vício passou a atrapalhar a carreira, tanto que chegou a ficar preso por 10 dias no presídio naval porque havia arrumado confusão dentro de um submarino.

Hoje, aos 64 anos, o homem que se entregou o vício por mais de 3 décadas, sabe que o futuro depende das escolhas feitas no presente. (Foto: Rodrigo Pazinato)Hoje, aos 64 anos, o homem que se entregou o vício por mais de 3 décadas, sabe que o futuro depende das escolhas feitas no presente. (Foto: Rodrigo Pazinato)

O relacionamento familiar também estava prejudicado. Era a esposa e os filhos pequenos quem aguentavam tudo. "Você quer ser autoridade em casa. Eu tinha mania de grandeza, contava só vantagem, era grosso e xingava todo mundo", disse.

Quando não tinha dinheiro para comprar droga, ele procurava um agiota. Acabou se endividando e perdeu a noção do que estava fazendo com a própria vida. "Brigava por qualquer motivo e só andava armado. Meu apelido, para você ter ideia, era bandidão", contou.

Aos 46 anos, quando saiu da Marinha, voltou a Corumbá, mas continuou no mesmo caminho. Deixava a casa sem dar satisfações e só chegava quando queria. Às vezes, passava dias sem tomar banho e, quando retornava, bêbado e drogado, ainda caçava confusão com a esposa e a acusava de traição.

Foi assim por um bom tempo, até o último porre, na madrugada de 7 de agosto de 1995, quatro dias depois de ter saído para receber o pagamento. "Voltei com quatro dedos de cachaça e despertei na frente de casa. Com um cigarro aceso, sentei na calçada e comecei a pensar: Deus, acho que para mim não tem mais nada", relembrou o que ele chama de "passamento".

Naquela noite, a esposa, como sempre, estava mais uma vez à espera. Ele entrou e, do jeito que estava, dormiu.

O recomeço - No outro dia cedo, alguém bateu à porta. Eram dois homens que integravam o grupo AA (Alcoólicos Anônimos) e que ele nunca havia visto andado por aquelas redondezas.

A primeira reação foi expulsá-los. Foi o que fez, mas os rapazes, insistentes, voltaram no dia seguinte. Era o início de uma nova história na trajetória do homem que até os 52 anos havia destruído a própria vida.

Ajuda veio do grupo Alcoólicos Anônimos, mas foi preciso vontade para mudar de vida. (Foto: Rodrigo Pazinato)Ajuda veio do grupo Alcoólicos Anônimos, mas foi preciso vontade para mudar de vida. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Com muito custo o militar aceitou, enfim, conversar. Pouco tempo depois, passou a frequentar as reuniões do grupo em uma unidade de Corumbá. "Achava que não tinha mais jeito, fui em todo lugar", destacou, ao afirmar que, na irmandade, conquistou uma nova vida e, desde aquele dia, nunca mais se entregou ao vício.

O ex-militar é um dos muitos casos cruzados, de álcool e drogas, que hoje chegam à irmandade. "O alcoolismo é o trampolim para as drogas", resumiu.

De quem foi a culpa ? - Há 17 anos "limpo", o senhor que abriu essa reportagem têm uma nova história, de alegria, de superação, mas também tem consciência das escolhas que fez e sabe o que enfrentou por conta das atitudes inconsequentes que tomou na juventude. Carrega parte da culpa, apesar das circunstâncias.

Para ele, faltou orientação familiar. "Eu não tive educação. Foi o mundo que me deu a educação que tenho hoje. Não foi bom", reconhece. "A dependência deixa você sem caráter, sem educação, sem nada", completou.

Mas o discurso "quero sair, mas não consigo", comum entre os usuários de drogas, não convence mais, salientou. "O pessoal que tem problemas sempre culpa alguém pelo seu fracasso. Não! O culpado sou eu e tenho que assumir o que fiz", declarou.

Hoje, o aposentado sabe que o futuro reflete as escolhas feitas no presente e que a vida, para ser bela, depende de cada um de nós. "Eu tive a informação de que, se eu quisesse, poderia mudar de vida", destacou. "Ninguém faz você parar de beber ou usar. Você só vai parar se mudar de comportamento", finalizou.

Mas há um problema, talvez o mais grave. Na opinião deste senhor, a culpa maior tem nome: corrupção. "Enquanto houver, haverá boca de fumo".



Que Deus esteja sempre presente na vida deste senhor e afaste dele as tentações malígnas.parabéns BANDIDÂO.
 
Solange pérez em 01/10/2012 19:05:46
ONDE VAMOS PARAR COM ESTAS HERESIAS QUE ESTÃO PREGANDO?
POR QUE SE PERDEU O FOCO DA PREGAÇÃO, DO VERDADEIRO EVANGELHO?
ESTÃO VICIANDO O POVO A SÓ OUVIR SOBRE PROSPERIDADE, QUANDO JESUS DISSE:
‘Se queres ser perfeito, vai, vende o que tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no Céu; Depois, vem e segue-me".Mateus 19.21
COMO OS POLÍTICOS, ESTÃO TAMBÉM OS PASTORES FAZENDO FARRA COM O DINHEIRO DO POVO.
PEDE-SE DINHEIRO PARA "DEUS", MAS A SEDE DE PODER E A VAIDADE TÊM LEVADO ESSES HOMENS A VIVER SOB HOLOFOTES.
ENQUANTO ISSO, VEMOS CRIANÇAS QUE VIVEM ACORRENTADAS PELO DIABO AO CRACK E À PROSTITUIÇÃO.
MENINOS SE TORNAM REFÉNS DE TRAFICANTES PARA VENDAS DE DROGAS, POR CAUSA DA FOME.
ESTÁ FALTANDO ESTABELECIMENTO PARA ESCOLAS BÍBLICAS NOS MORROS E COMUNIDADES CARENTES, ESTÁ FALTANDO OFICINAS PROFICIONALIZANTES, QUE LEVEM ESTAS CRIANÇAS AO APRENDIZADO DE ALGUMA COISA, COMO MONTAR BIJUTERIAS ETC, E JUNTO ENSINÁ-LAS O AMOR DE CRISTO.
‘ENSINA O MENINO NO CAMINHO QUE DEVE ANDAR, POIS ATÉ QUANDO FOR VELHO NÃO SE DESVIARÁ DELE.’ (PROVÉRBIOS 22.6 )
ISSO EVITARIA QUE ELAS SE TORNASSEM ADULTOS TRAFICANTES, VINDO A MORRER MAIS TARDE, SEM SALVAÇÃO.
ISSO É PARA A IGREJA, O GOVERNO NÃO SABE FAZER ISSO, A MISSÃO DO GOVERNO É CONSTRUIR ESCOLAS, HOSPITAIS, POSTOS DE SAÚDE E ASFALTO, ADMINISTRAR A CIDADE E TUDO QUE PARTE DE UM ORGÃO PÚBLICO, MENOS ENSINAR A PALAVRA DE DEUS.
HOJE, SÓ SE OUVEM HOMENS E CANTORES DE DEUS FALANDO EM MILHÕES, ANDANDO ATÉ ESCOLTADOS EM CARROS BLINDADOS, PELO PERIGO DE TANTA MOVIMENTAÇÃO E PODER.
Estão convertendo os cristãos em consumidores e a igreja, em balcão de serviços religiosos.

 
pr. wesley festa em 28/09/2012 07:55:45
As coisas só acontecem quando permitimos.
Se a pessoa quer, ela com certeza consegue, tanto coisas boas quanto coisas ruins.
Superação conquistada por foco, força e fé.
Muito bom... aos poucos conseguiremos ajudar o mundo!
 
Mônica Lopes em 26/09/2012 10:00:25
Que sirva de exemplo de que quanto a gente quer e tem determinação o bem vence o mal...com Deus no coração e perseverança é possível virar o jogo..
 
Louise Gomes em 25/09/2012 11:28:53
Parabéns pela sua vitória!!!
Que orgulho senti, mesmo sem conhecê-lo pessoalemente...
Que Deus continue abençoando grandemente a sua VIDA e todos os seus dias!
 
Jussara Almeida em 25/09/2012 11:09:24
fuidependente quimico e sei como e ser viciado e uma dor terrivel para quem usa e para os familiares dou graças a deus por ter me libertado do vicio hoge vivo bem to na igreja a 12 anos sem drogas mesmo que eu saia da igreja coisa que nao pretendo fazer nao tenho mais coragem de ir em uma boca de fumo ou de fumar ou beber eu quero e ser feliz crescer dentro do meu munisterio amem parabens bandidao
 
LUIZ DO N ASCIMENTO SILVA em 25/09/2012 09:33:58
Sabe, todo dia paro e penso que as pessoas precisam cada vez mais amar umas às outras, pois sem amor não há mais nada.... O história desse Senhor não é uma "história de vergonha" é uma HISTÓRIA DE SUPERAÇÃO E CORAGEM!! Pensem nisso!!
 
Alessandra Mauro em 25/09/2012 08:45:08
Sempre é tempo de recomeçar! Deus continue guinado os passos deste Senhor para que ele nunca mais caia na tentação! Não é nada fácil se livrar deste vício!
 
Ana Miranda em 25/09/2012 08:36:16
Parabéns pela reportagem!
É isso mesmo, quem vive nesse submundo tem que "querer" sair, "querer" uma vida nova.
 
Regina Santana em 25/09/2012 08:10:12
o caminho está em vc se olhar para dentro de si mesmo e dizer: "sou criatura de Deus. Ele não me quer assim", e as entidades que buscam recuperar essas pessoas, sejam elas ligadas ou não às igrejas católicas ou evangélicas, procuram mostrar isso para essas pessoas, e Deus agem em seu interior, basta abrir o coração. Amém...
 
luiz de almeida em 25/09/2012 03:28:23
Senhores pais pela morrrr de seus filhos se é que eles tem um pingo de importância para vc's Deem exemplo e pensa 1milhão de vezes antes de oferecer bebida alcoólica para eles, o futuro deles agradece..
Parabéns ao Senhor que teve coragem de expor a sua história de vergonha, mas que agora é um exemplo de vitória e foco no que o senhor determinou...
 
Evandson Carvalho em 24/09/2012 10:37:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions