A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

23/08/2011 13:20

Homem morto ao ameaçar mulher já havia assassinado ex-esposa em SP

Aline dos Santos
“Por que a Justiça não deixou esse homem preso?”, perguntava Zilda. (Foto: João Garrigó)“Por que a Justiça não deixou esse homem preso?”, perguntava Zilda. (Foto: João Garrigó)

Morto ontem pelo atual companheiro da ex-mulher, Edvaldo Bastos Correia, de 55 anos, já havia matado uma ex-esposa em São Paulo, no ano de 1992. Depois do crime, ele fugiu para Mato Grosso do Sul.

Num novo casamento, desta vez com Zilda de Fátima Netto, de 36 anos, manteve o comportamento violento, perceptível pelo número de denuncias da mulher. De março de 2009 a junho deste ano, Zilda registrou cinco boletins de ocorrência contra Edvaldo, todos por ameaça.

Depois de 15 anos de união, ela decidiu pôr fim às agressões e passou os últimos dois anos tentando se livrar da violência do ex-companheiro. Inconformado, ele a perseguia e ameaçava.

Ontem, Edvaldo foi ao lava-jato que pertence a ex-mulher, no bairro Nova Lima. Após luta corporal, foi morto por Leandro Macedo, atual marido de Zilda, que está foragido.

Desesperada, ela relatou à imprensa todas as denúncias feitas contra o ex-marido e questionava: “Por que a Justiça não deixou esse homem preso?”

Em nota, o MPE (Ministério Público Estadual) informa que interveio para manter o agressor atrás das grades. A última prisão foi em janeiro deste ano, após ele atear fogo ao veículo de Zilda. Mas o agressor acabou sendo solto.

Em seguida, os promotores recorreram ao TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) e conseguiram que a prisão fosse restabelecida. Porém, Edvaldo não foi localizado e permaneceu em liberdade.

Quando foi preso em Campo Grande, em razão de violência doméstica, também foi cumprido mandado de prisão pelo crime em São Paulo. Em 2010, Edvaldo foi levado a júri em Várzea Paulista. Ele foi condenado a seis anos de reclusão, mas a pena foi extinta por prescrição.



Esta morte poderia ter sido evitada se o Judiciário no Brasil funcionasse. Tá certo que o morto procurou, mas o Judiciário como sempre . . . atrasado, ou alheio.
 
jose antonio em 24/08/2011 04:01:09
Agora nossa "BELA" justiça prende Leandro sem direito a "legitima defesa" ou seja, defendendo sua esposa !!!!! VERGONHA...
 
kaio tiberio em 23/08/2011 08:21:11
As leis do Brasil ajudam.
Onde já se viu? O cara matou a ex, pegou apenas 6 anos e foi solto porque a pena foi extinta por prescrição!
 
Geraldo Silva em 23/08/2011 06:00:50
Párabens Leandro
 
jaime cafure em 23/08/2011 04:43:14
Leandro grande homem.é assim que se faz.defendendo aquela que é sua esposa no atual,agóra só falta a policia querer condenar o cara,quando deveria ter mantido o bandidão preso, e ai morreu ? livrou ms de mais um bandido. Parabens ai Leandro ,vai a minha admiração. as autoridades devem analizar bem e não proceder sobre o Leandro por isso.
 
Aurelio Batista em 23/08/2011 04:12:43
Leandro Macedo é um herói merece todo nosso respeito e admiração. Parabéns Leandro.
 
Eduardo Aguiar em 23/08/2011 03:25:53
Atenção poder judiciário. A sua incompetência leva os cidadãos a procurar justiça com as próprias mãos.
Juiza morta por falta de escolta e pessoas fazendo o trabalho dos juizes é a derrota total. Precisamos de uma reforma nas leis e no judiciário já.
 
Eduardo Aguiar em 23/08/2011 03:23:45
Está é a justiça Brasileira, assassinos soltou entre as pessoas de bem. esse já era.
 
Manoel carneiro em 23/08/2011 03:11:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions