ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Homem tenta minimizar estupro dizendo que menina falou ter 14 e não 12 anos

Ele acabou preso por estupro de vulnerável e subtração de incapaz

Por Ana Beatriz Rodrigues | 01/07/2022 16:33
Caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Foto: Marcos Maluf)
Caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Foto: Marcos Maluf)

O ajudante de pedreiro de 23 anos, preso por estupro, alegou em depoimento que levou uma adolescente para sua casa porque ela havia mentido ter 14 anos. O rapaz teve a prisão convertida em preventiva, após abusar e passar três dias como a menina de 12 anos em casa. Mesmo que a garota tivesse 14, a gravidade pela lei é a mesma, considerando estupro de vulnerável.

De acordo com o delegado Marcelo Damasceno, o rapaz contou que ele e a adolescente estavam conversando há três meses pelo Facebook. Durante a troca de mensagens no dia 25 de junho, a menina aceitou encontrar com ele. Segundo o rapaz, a garota garantia que tinha autorização da mãe, mas o único problema seria que ela teria que esperar os irmãos dormirem para poder sair de casa.

Por volta das 22h, o ajudante de pedreiro, mandou um motorista de aplicativo buscar a adolescente na casa dela, a menina fez o trajeto do Bairro Jardim Sayonara até o Bairro Mário Covas, onde fica a casa do autor. O rapaz confessou que os dois fizeram sexo, mas que só havia acontecido uma vez.

Damasceno, explicou que a família só conseguiu localizar a menina com ajuda da irmã dela, que sabia a senha do Facebook e assim tiveram acesso às mensagens que ela trocava com o rapaz.

Em seguida a polícia entrou em contato com o ajudante de pedreiro pedindo para ele ir até a unidade policial e levar a garota junto. Ele acabou preso por estupro de vulnerável e subtração de incapaz. Ele ja tinha passagens por receptação e porte de drogas para consumo pessoal.

Nos siga no Google Notícias