ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUARTA  27    CAMPO GRANDE 11º

Capital

Jogar futebol ou vôlei é a “melhor forma de transmitir o vírus”, alerta médico

Por Gabriel Neris | 04/04/2020 07:51
Populares jogam vôlei de areia na Praça do Peixe, em Campo Grande (Foto: Paulo Francis)
Populares jogam vôlei de areia na Praça do Peixe, em Campo Grande (Foto: Paulo Francis)

Futebol, vôlei e basquete são algumas das preferências de esporte coletivo praticado em quadras espalhadas por Campo Grande. Em período de isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus, algumas pessoas têm rejeitado a determinação e continuam a todo batendo uma bolinha, mas o médico Sandro Benites faz o alerta: “a melhor maneira de transmitir o vírus é numa partida de futebol, vôlei e basquete”.

O médico explica que o Covid-19 é um vírus respiratório e sua principal forma de transmissão é através de gotículas. “Durante a respiração você elimina essas gotículas, a mão infecionada vai no rosto, na bola, pega na outra pessoa que está suando. A transmissibilidade é enorme, nem usando máscara no joga não dá”, diz.

Sandro Benites afirma que praticar esporte neste momento é “totalmente contra indicado. A pessoa pode pensar que não faz parte do grupo de risco, que é atleta, mas não precisa pensar no próprio umbigo, pensa nas pessoas que estão em casa. É um egoísmo gigantesco. ‘Mas vou parar de fazer esporte?’. Vai”.

“Boa parte das pessoas estão infectadas e assintomáticas. Um jogador de vôlei, se tiver, passa para todos. Provavelmente alguém ali mora com um diabético, idoso”, alerta.

Crianças brincam na quadra de esporte da Praça do Peixe (Foto: Paulo Francis)
Crianças brincam na quadra de esporte da Praça do Peixe (Foto: Paulo Francis)

O número de casos confirmados pelo novo coronavírus chegou a 60 em Mato Grosso do Sul, de acordo com a SES (Secretaria de Estado de Saúde). São 43 em Campo Grande, seis em Dourados, quatro em Batayporã, dois em Nova Andradina, e um em Rio Verde, Alcinópolis, Três Lagoas, Ponta Porã e Sidrolândia.

Outros 43 casos estão sob investigação. Até o momento Mato Grosso do Sul registrou um óbito provocado pela doença.