A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Outubro de 2019

17/09/2019 09:48

Jovem fala 3 anos após ser espancado: "Teria acabado com minha vida"

Tentativa de homicídio ganhou repercussão porque vídeo onde grupo de "bad boys" aparece socando e chutando vítima viralizou

Anahi Zurutuza e Kerolyn Araújo
De camisa preta, Samuel Acosta Gomes, de 21 anos, conta sobre dia que foi espancado (Foto: Kerolyn Araújo)De camisa preta, Samuel Acosta Gomes, de 21 anos, conta sobre dia que foi espancado (Foto: Kerolyn Araújo)

Três anos depois de ser espancado até desmaiar na saída de uma festa, Samuel Acosta Gomes, de 21 anos, quebrou o silêncio. Na época, o jovem falou somente com a polícia e ficou por um bom tempo escondido. Ele e a família temiam pela vida do garoto.

Na manhã desta terça-feira (17), o estudante de Direito contou o que aconteceu no dia 18 de setembro de 2016 para o júri. Ele pediu para que o agressor, Jhonny Celestino Holsback Belluzzo, de 23 anos, fosse tirado do tribunal.

Perguntado pelo promotor, José Arturo Bobadilha, se ele achava que a intenção do réu era matá-lo, Samuel respondeu que não tem dúvida. “Se não tivessem parado ele, ele teria acabado com a minha vida”.

A vítima conta que saiu da festa na Vila Jacy acompanhado de dois amigos e urinou no carro de Jhonny, que também estava no evento. De lá, o trio seguiria para a casa de um amigo.
Samuel lembra ainda que quando estava urinando, dois rapazes que estavam na esquina viram e gritaram. “Pedi desculpas”.

Mas, quando ele e os amigos chegavam ao destino, viram dois carros parados em frente à residência. “Corremos duas quadras e eu disse que não aguentava mais correr. Deitei no chão e cochilei. Acordei com o barulho de uma porta de carro abrindo e depois senti uma pancada na cabeça”.

Jhonny Celestino Holsback Belluzzo no banco dos réus (Foto: Kerolyn Araújo)Jhonny Celestino Holsback Belluzzo no banco dos réus (Foto: Kerolyn Araújo)

A vítima relata ainda que sentiu pancadas de socos e chutes por todo o corpo e em seguida desmaiou. Ele admitiu que estava embriagado.

Conforme a acusação, mesmo após a sessão de espancamento, Jhonny deu um “mata leão” na vítima e quando o jovem já estava inconsciente continuou chutando a cabeça do rapaz. As agressões só terminaram quando pessoas que assistiam a cena de violência impediram.

No vídeo, é possível ouvir uma pessoa gritar: “não mata ele não”. A vítima foi deixada no local sem que ninguém acionasse socorro médico. Veja o vídeo:

O crime só chegou à policia dois dias depois, quando o vídeo da sessão de espancamento viralizou nas redes sociais. Samuel narrou que júri que chegou a se encontrar com Jhonny depois do ocorrido. “Ele me mandou uma mensagem no Face pedindo para conversar. Nos encontramos numa praça em frente ao colégio militar e ele pediu desculpas”.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions