A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

14/05/2014 12:18

Juiz libera licitação e 22 câmeras chegam ao Centro no 2º semestre

Aline dos Santos e Kleber Clajus
Cruzamento da Afonso Pena será um dos pontos de monitoramento. (Foto: Marcos Ermínio)Cruzamento da Afonso Pena será um dos pontos de monitoramento. (Foto: Marcos Ermínio)

A Justiça liberou a licitação da Prefeitura de Campo Grande para compra de 22 câmeras que vão vigiar o Centro da cidade. O juiz da 4ª Vara de Fazenda Pública e Registros Públicos, Alexandre Ito, revogou liminar que havia suspendido o procedimento licitatório em outubro do ano passado. O pedido para paralisar a compra partiu do Consórcio Liderança.

De acordo com o comandante da Guarda Municipal, coronel Jonys Cabrera, o pregão, no valor de R$ 890 mil, foi vencido por uma empresa de Cuiabá. “A intenção é até o segundo semestre concluir a instalação”, afirma.

Os equipamentos serão colocados em pontos com maiores índices de criminalidade, como cruzamento da Afonso Pena com a 14 de Julho, rua 15 de Novembro e entorno do Camelódromo e Feira Central.

O prazo para utilizar o recurso vai até dezembro, quando a gestão municipal deve fazer prestação de contas ao Ministério da Justiça. Para não perder a verba, a Prefeitura teve que pedir prorrogação de prazo no ano passado.

As câmeras é um pedido antigo e deveria ter saído do papel em 2013. A primeira licitação foi lançada em maio. No entanto, o procedimento foi suspenso após questionamentos das empresas participantes.

Denúncias também foram feitas à Justiça e ao TCE (Tribunal de Contas do Estado), que interrompeu a licitação. O processo só foi reaberto em setembro do ano passado.

Agora, a nova ameaça para perda de recursos é a suspensão de licitação para instalação de 400 pontos de fibra óptica em Campo Grande.

A estrutura de cabos também é necessária para a substituição de 200 semáforos e criação do centro de controle operacional, que prevê 40 câmeras e sensores em 420 cruzamentos semaforizados para dar fluidez ao tráfego. Os dois projetos somam R$ 84 milhões.

Na mesma decisão em que libera o prosseguimento do processo licitatório do videomonitoramento do Centro, o magistrado manteve a liminar que suspendeu a licitação dos pontos de fibra óptica, no valor de R$ 2,3 milhões. O dinheiro, oriundo de programa federal, precisa ser utilizado até outubro.

Para o titular da Seintrha (Secretaria de Justiça e Segurança Pública), Semy Ferraz, há duas possibilidades. “Ou mantém o contrato com a empresa ou libera de novo a licitação”, disse.

Em 20 de dezembro de 2012, foi divulgado o contrato entre a gestão municipal e o Consórcio Liderança, composto pelas empresas Prática Engenharia Ltda e WSNET Soluções em Informática Ltda-ME.

No entanto, conforme o secretário, a Caixa devolveu os documentos exigindo correções. A Prefeitura decidiu abrir nova licitação. A rescisão contratual foi publicada em 28 de agosto do ano passado. Mas o consórcio recorreu à Justiça.

Com dinheiro em caixa, prefeitura mantém videomonitoramento no papel
Qualificado por empresários campo-grandenses como o projeto que “mudaria a cara da cidade”, além de trazer mais segurança e novos hábitos à população...
Licitação para videomonitoramento da região central é reaberta
A concorrência para o sistema de videomonitoramento da Capital foi reaberta nesta quinta-feira (26). Conforme o Diogrande (Diário Oficial de Campo Gr...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions