ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  04    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Juiz pede mais policiamento em bairros marcados pela guerra entre gangues

Por Ricardo Campos Jr. | 25/06/2015 17:37

O juiz Carlos Alberto Garcete, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, reforçou pedido feito em outubro do ano passado para que a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) reforce o policiamento na divisa do Parque do Sol com o Dom Antônio Barbosa. No entendimento do magistrado, o local sofre com a ação de gangues rivais.

Para ele, a situação perdura por mais de uma década. O juiz sugere ainda a instalação de uma base militar de pacificação na região.

Garcete emitiu o ofício durante audiência referente ao processo referente a morte de Issac Eleandro Virginio de Oliveira, 34 anos, e Lucas Vieira de Souza, 14 anos, em dezembro de 2011. Um dos réus, Thiago Correia dos Santos, 25 anos, morreu no dia seguinte ao crime em confronto com a polícial. O outro acusado está foragido.

A PM (Polícia Militar) contesta a solicitação, afirma que a região mudou nos últimos anos e o número de crimes contra a vida no local já foi reduzido. O bairro inclusive foi atendido durante as duas operações “Cidade Tranquila”, que reforçou policiamento para retirar das ruas criminosos foragidos e motoristas com veículos irregulares.

“Não entendo essa preocupação agora. De 2011 para cá são quatro anos e lá não é o local mais violento de Campo Grande. Temos viaturas do Los Angeles e do Aero Rancho que fazem policiamento lá”, afirmou o comandante de Polícia Metropolitana, coronel Francisco de Assis Ovelar.

Ele afirma que desconhece a existência desses dois ofícios, mas garante que o policiamento nessa região tem sido feito com frequência, até mesmo por estar perto da comunidade Cidade de Deus, alvo de constantes incursões de viaturas.

Nos siga no Google Notícias

Veja Também