ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SEXTA  14    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Justiça bloqueia R$ 1,3 milhão para cirurgias na coluna, crânio e remédio

Verba pública dos cofres da Prefeitura da Capital e Governo de MS vai pagar urgências

Por Cassia Modena | 19/05/2024 16:12
Raio-x da coluna de paciente de 49 anos, que corre o risco de deixar de andar (Foto: Reprodução/Justiça de MS)
Raio-x da coluna de paciente de 49 anos, que corre o risco de deixar de andar (Foto: Reprodução/Justiça de MS)

Entre abril e maio deste ano, três pacientes de Campo Grande conseguiram bloqueio do total de R$ 1.385.477,02 dos cofres públicos municipal e estadual, para garantirem as cirurgias e a medicação de alto custo que precisam. Os casos são de urgência.

A primeira, é uma costureira de 59 anos que se mantém com a ajuda do benefício do Bolsa Família e precisa de cirurgia para retirar um tumor intracraniano descoberto em 2022. A massa cresce rapidamente e causa prejuízos na fala, locomoção, memória, equilíbrio, além de paralisia facial.

Como o pedido dela não foi atendido na rede pública, ainda que já tivesse ordem judicial para isso, a 1ª Vara de Registros Públicos e de Registros Públicos condenou a Prefeitura de Campo Grande a custear o procedimento na rede particular, depositando o valor de R$ 558.130,02.

O segundo caso, é de um homem de 49 anos, que está afastado do trabalho devido a uma lesão grave e generativa na coluna vertebral. Segundo sua defesa, sem o tratamento cirúrgico "estará no fio da navalha, que a qualquer momento, devido ao agravo nas dores, pode ficar incapacitado de se locomover, dependendo inteiramente de seus familiares".

Ele também conseguiu o bloqueio de verbas públicas da prefeitura para fazer a cirurgia na rede particular, após tentar sem sucesso fazer via SUS (Sistema Único de Saúde). Com o orçamento apresentado, garantiu R$ 281.347 mil.

A terceira ação com resultado favorável a paciente, permitirá fazer o tratamento de câncer nas células plasmáticas com um medicamento de alto custo chamado Daratumumabe 1800. Ele vai precisar de 14 frascos, que o governo estadual deverá comprar por R$ 546 mil.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias