A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

06/10/2011 08:59

Lei que permite videomonitoramento em Campo Grande já está em vigor

Marta Ferreira

Instalação de câmeras na região central tem custo estimado em pelo menos R$ 13 milhões

Videomonitoramento já é adotado em muitas cidades. (foto: João Garrigó)Videomonitoramento já é adotado em muitas cidades. (foto: João Garrigó)

Foi sancionada hoje pelo prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho, a lei complementar 185, que permite a implantação de um sistema de videomonitoramento na região central da cidade. Nelsinho havia informado na semana passada que a lei seria sancionada e que o custo estimado para colocação em prática do sistema é de pelo menos R$ 13 milhões.

De acordo com o prefeito, o financiamento pode vir de parceria com empresários, como a lei permite. Ao sancionar a lei, ele vetou o artigo que previa dotação orçamentária para a implantação do sistema, sob a alegação de que despesas não está prevista nem no orçamento nem no Plano Plurianual 2010/2013.

O projeto acrescenta no Código de Polícia Administrativa do Município a possibilidade de instalar câmeras na região central, com o objetivo de monitar o trânsito e fiscalizar o cuidado e respeito com o patrimônio público e o meio ambiente.

A lei estabecele que o sistema será gerido pela Prefeitura, mas aberto a parcerias e convênios com outras instituições.

O projeto autoriza o executivo a utilizar o serviço de cabeamento de fibra ótica – que já existe – para instalar o sistema. O uso das câmeras, conforme a lei, terá limites. Não pode haver filmagens que invadam a privacidade, como por exemplo em residências e ambiente de trabalho.

As imagens captadas, conforme o texto da lei, terão de ser armazenadas por pelo menos 30 dias e no máximo 90 dias.

Deve ser instalada uma central de monitoramento, mantida pela prefeitura, onde apenas os funcionários credenciados devem ter acesso, de acordo com a lei.

“O acesso às imagens de videomonitoramento, dados e informações resultantes de vigilância e monitoramento, bem como ao local onde são exibidos e registrados, deve ser controlado por sistema informatizado que, obrigatoriamente, deve registrar, em cada acesso, a senha eletrônica individual ou identificação datiloscópica, procedendo, ainda, ao registro do horário de ingresso e saída do servidor credenciado”, diz a lei.

O acesso à Central de Videomonitoramento será permitido às autoridades públicas, mediante comunicação antecipada, sendo registrada sua identificação e horário de ingresso e saída.

A lei diz, ainda, que “terceiros” podem ter acesso às imagens apenas com autorização judicial. A lei já está em vigor.

Promotoria e prefeitura firmam acordo para recuperar área de preservação
Foi celebrado entre o MPE (Ministério Público Estadual) e a prefeitura de Campo Grande acordo para recomposição da vegetação nativa da área de preser...
Concurso recebe inscrições para 83 vagas técnico-administrativas
Seguem abertas as inscrições para o concurso que oferece 83 vagas para técnico-administrativos em Educação na UFMS (Universidade Federal de Mato Gros...
Vice-governadora visita projeto em que detentos reformam escolas
O projeto "Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade", desenvolvido pelo Poder Judiciário estadual, foi conhecido e elogiado na sexta-feira (...
Crianças do Vespasiano Martins recebem Papai Noel e ganham presentes
As crianças do loteamento Vespasiano Martins, na periferia de Campo Grande, receberam a visita especial do Papai Noel neste sábado (16). Foram distri...


De que vai adiantar gastar uma fortuna para identificar meliantes, se uma já presa confessa 32 crimes e é posta em liberdade, para que identificar? Se não vai mudar nada no resultado final, que é bandidos soldos, cidadões presos em regime domiciliar em suas residencias, por medo da lei paralela que está dominando a lei central estatal. Vamos aguardar um dia JESUS voltará é a única esperança.
 
PORFIRIO VILELA em 07/10/2011 02:29:33
Muito bom. Porém que a administração municipal pense, além de outros, em pelo menos dois fatores: Instalar câmeras também em determinados bairros; e que faça parceria com a Secretaria de Segurança Pública, para que as Policias Civil e Militar, através do CIOPS também tomem parte nessa empleitada. Afinal, ninguém melhor entende de segurança pública do que os profissionais que nela trabalham.
 
Fernando Silva em 06/10/2011 12:25:24
Este sistema deveria ser implementado nas vias que ocorrem mais acidentes são mais recorrentes. #ficaadica.
 
Renata Santos em 06/10/2011 11:56:01
Que este projeto venha de encontro aos anseios da sociedade que é mais segurança e que possa ajudar a elucidar crimes. E o mais importante, que as imagens obtidas sirvam de prova e instrumento de punição para os infratores da lei.
 
Wellington Sampaio em 06/10/2011 01:02:11
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions