A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 23 de Outubro de 2018

13/01/2014 10:00

Líder do tráfico na Vila Nhá-Nhá é preso com quase 190 quilos de maconha

Luciana Brazil e Graziela Rezende
Dupla, Dinho à esquerda e Alex de vermelho, foi presa no sábado e apresentada hoje na Denar.  (Foto: Marcos Ermínio)Dupla, Dinho à esquerda e Alex de vermelho, foi presa no sábado e apresentada hoje na Denar. (Foto: Marcos Ermínio)

Considerado o líder do tráfico de drogas na Vila Nhá-Nhá, Eupídio da Silva Santos, 23 anos, conhecido com Dinho, foi apresentado na manhã de hoje (13), na Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico), depois de ser preso no último sábado com um veículo roubado. O comparsa, Alex Rocha de Oliveira, 26, conhecido como Alemão, também foi detido durante a abordagem policial.

Segundo o delegado João Paulo Sartori, há cerca de um ano Dinho teria assumido o tráfico na região. “Há pelo menos dois meses ele estava sendo investigado”.

No sábado pela manhã, a polícia recebeu a informação de que a dupla chegaria de Ponta Porã em um veículo roubado, um Nissan/Livina, preto, com placa de Barrinha, São Paulo.

Por volta das 8 horas, os policiais chegaram à residência de Dinho no bairro Los Angeles. “Eles estavam dormindo e a casa pertencia ao Dinho, um dos líderes do tráfico da Vila Nhá-nhá. A casa, inclusive, era de alto padrão, tanto o imóvel quanto os objetos”, ressaltou o delegado.

Na residência a polícia encontrou apenas o veículo roubado. Continuando em diligência Já na casa de Alex, no bairro Santa Emília, a polícia encontrou 186,1 quilos de maconha, dividida em tabletes.

Carro roubado, com placa de Barrinha, estava na casa de Dinho.Carro roubado, com placa de Barrinha, estava na casa de Dinho.
Quase 190 quilos de maconha estavam divididos em tabletes.Quase 190 quilos de maconha estavam divididos em tabletes.

Segundo Sartori, a droga era distribuída por Alex para outros estados, principalmente para Brasília (DF).

Em outras tentativas de prender Dinho, a polícia sempre acabava pegando pessoas que eram contratadas por ele.

Pena X Passagem- Eles foram presos em flagrante por tráfico de drogas (pena varia de 5 a 15 anos), por associação ao tráfico (pena de 3 a 10 anos), por receptação (pena de 1 a 4 anos), por causa do carro roubado, e por uso de documento falso (1 a 4 anos de detenção). Segundo o delegado, no momento da abordagem a dupla usou documentos falsos.

Alex já tinha mandado de prisão em aberto por tráfico de drogas e por roubo. Dinho tinha passagem por tráfico de drogas.



Parabéns a equipe da DENAR!
 
Jorge Arantes do nascimento em 13/01/2014 13:47:32
No país os sistemas estão falidos, a saúde, a educação, a segurança, mas nada se assemelha a falencia do judiciario, causa nojo e revolta a facilidade com que os marginais entram e saem das cadeias, sujeito com dezenas de crime cometidos e por mais ridiculo que possa parecer nenhum deles o condena a pena restritiva da liberdade, a justiça só existe para quem é trabalhador, esse é encurralado pela Receita Federal, oprimido pelo Detran, perseguido pelo IPTU, saqueado atraves das contas de agua e luz, mas ao marginal dentro dos presidios a agua é farta e desperdiçada aos milhoes de litros, a luz e refeição tambem ´é de graça e de excelente qualidade, quanto a saude, basta ver as condições de excelencia das ambulancias que transportam os presos. O judiciario precisa de reforma urgente
 
Horlando P. de Mattos em 13/01/2014 11:19:05
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions