ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, TERÇA  23    CAMPO GRANDE 22º

Capital

"Luto duplo", diz pai sobre filha presa pela morte da neta de 2 anos

Velório de menina acontece na manhã deste sábado; mãe e padrasto foram presos pelo crime

Dayene Paz e Ana Paula Chuva | 28/01/2023 09:02
Muitas pessoas se despedem de menina morta pela mãe e padrasto. (Foto: Marcos Maluf)
Muitas pessoas se despedem de menina morta pela mãe e padrasto. (Foto: Marcos Maluf)

Familiares se despedem hoje da menina de 2 anos que morreu na noite de quinta-feira (26), vítima de recorrentes agressões do padrasto, Christian Campoçano Leitheim e da mãe Stephanie de Jesus da Silva - que estão presos. O pai de Stephanie afirmou que o luto é em dobro.

O homem, de 45 anos, que conversou brevemente com a reportagem durante o velório na manhã deste sábado (28), afirmou que não perdeu apenas a neta, mas também a filha, já que não a considera mais. Ele também afirma que ao tocar na netinha, sentiu ossos quebrados.

A despedida da pequena é comovente e muitas pessoas ligadas à família estão no local.

A criança morava com a mãe, o padrasto e os outros dois irmãos - um apenas filho de Christian - na Vila Nasser. A reportagem apurou que as crianças ficavam sob os cuidados de Christian enquanto a mãe trabalhava.

Na noite de quinta-feira, Stephanie chegou ao posto de saúde com a filha já sem vida. Foi então que as médicas evidenciaram lesões pelo corpo, inclusive nas partes íntimas da criança. Também perceberam que ela estaria morta há cerca de quatro horas.

Stephanie alegou que a menina estava passando mal desde o dia anterior, com dores na barriga, e que o padrasto batia como correção. Na data da morte, os dois afirmam que a criança não foi agredida.

O pai biológico já havia feito denúncias à polícia e ao Conselho Tutelar, pois visualizou a filha ferida em dias de visita. Ele e a avó materna já lutavam pela guarda da menina na Justiça, segundo os vizinhos. Segundo a reportagem apurou, a primeira denúncia de maus-tratos contra a criança acabou sendo arquivada no ano passado por falta de provas.

Também há informações da unidade de saúde de que a menina foi 30 vezes ao médico, uma delas com fratura na tíbia. A mãe informou que os atendimentos eram referentes à sintomas de gripe.

O casal, Stephanie e Christian, foi preso em flagrante. Além do homicídio qualificado e omissão de socorro, a polícia investiga se a criança sofreu violência sexual.

Nos siga no Google Notícias