ACOMPANHE-NOS    
MAIO, TERÇA  24    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Mãe que abandonou as filhas já deixou crianças sozinhas por 10 dias

Ontem, suspeita deixou meninas mais uma vez sozinhas e sem comida para tomar tereré com amiga

Por Clayton Neves e Ana Beatriz Rodrigues | 28/01/2022 14:04
Geladeira estava vazia na casa das meninas. (Foto: Divulgação/PC)
Geladeira estava vazia na casa das meninas. (Foto: Divulgação/PC)

Presa na tarde de ontem (28) por abandonar as filhas de 10 e 12 anos, moradora do Jardim Santa Emília, de 33 anos, é reincidente no crime. Na Justiça, a mulher responde a processo por deixar as crianças sozinhas em casa durante 10 dias, período em que fez uma viagem ao Paraguai para visitar o namorado.

Irmãs dividiam espaço com gatos, sujeira e muita bagunça. (Foto: Denar)
Irmãs dividiam espaço com gatos, sujeira e muita bagunça. (Foto: Denar)

Consta na denúncia do Ministério Público Estadual que, após receber denúncias de vizinhos, equipe do Conselho Tutelar foi até o local no dia 16 de janeiro de 2020. Lá, encontrou o imóvel fechado com as crianças dentro. Na casa, estavam as filhas da suspeita, na época, com 10 e 11 anos, e uma prima das garotas, de apenas 7 anos.

As meninas foram ouvidas pelo setor psicossocial da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) e confirmaram que estavam sem a companhia de um adulto há mais de uma semana.

O caso voltou a se repetir um ano depois. Ontem, as duas irmãs, hoje com 10 e 12 anos, foram encontradas por policiais civis em meio à sujeira e sem comer há pelo menos 24h. A casa onde as meninas foram resgatadas estava em condições insalubres e era mantida com ligações clandestinas de água e energia elétrica. Havia gatos no local e muita bagunça.

A mãe das meninas foi encontrada e presa por investigadores da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico) em um bar no mesmo bairro, onde disse ter ido para "tomar café com uma amiga". Ela passou por audiência de custódia na manhã de hoje e teve liberdade provisória decretada pela Justiça.

Na tarde de hoje (28), o Campo Grande News esteve na casa onde as meninas foram resgatadas e encontrou a acusada. Agitada, a mulher, que preferiu não dar entrevista, disse que tudo que tinha para falar já havia dito na delegacia. “Não quero falar com imprensa, estou muito nervosa e com a cabeça a mil”, disse.

As meninas dividiam a casa de cômodos pequenos com mais quatro cachorros e alguns gatos. Em meio à sujeira do quintal, havia alguns brinquedos espalhados e potes com restos de comida.

A reportagem conversou com alguns moradores da região, que preferiram não se identificar. Segundo eles, logo que a mulher retornou para o bairro, por volta do 12h, ela pediu para alguns vizinhos caixas e ajuda para fazer a mudança, alegando que iria voltar para a casa da mãe em Água Clara.

Uma das vizinhas contou que a mulher cuidava bem das crianças. "Às vezes, ela ia para o bar, porque o rapaz dava alguns salgadinhos pra ela quando ajudava com o atendimento”, contou a vizinha.

Nos siga no Google Notícias