A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 25 de Abril de 2019

20/02/2019 09:40

Manipulador de inteligência avançada, avalia promotor em 4º júri de Nando

Nando é acusado de ter matado pelo menos 16 pessoas entre os anos 2012 e 2016, em Campo Grande

Kerolyn Araújo e Mirian Machado
Nando está sendo ouvido por videoconferência nesta quarta-feira. (Foto: Mirian Machado)Nando está sendo ouvido por videoconferência nesta quarta-feira. (Foto: Mirian Machado)

Luiz Alves Martins Filho, o Nando, autor de uma série de assassinatos no bairro Danúbio Azul, em Campo Grande, está passando pelo quarto julgamento nesta quarta-feira (20). Dessa vez, pela morte de Jenifer Luana Lopes. Ele já foi condenado por outros três casos e as penas já ultrapassam os 56 anos.

No início da audiência, a acusação alegou que Nando, que passou por vários exames psiquiátricos, tem capacidade de entendimento e consciência de tudo o que faz. ''Juridicamente ele é capaz e merecedor da punição. Nando é manipulador, tem inteligência avançada e uma mente extremamente brilhante. Em cada interrogatório ele traz uma linha com algo novo sobre o que é questionado", defendeu o promotor de Justiça do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), Douglas Oldegardo Cavalheiro dos Santos.

Promotor alega que Nando tinha consciência dos crimes que cometeu. (Foto: Marina Pacheco)Promotor alega que Nando tinha consciência dos crimes que cometeu. (Foto: Marina Pacheco)

Em contrapartida, o defensor Rodrigo Antônio Stochiero Silva afirmou que Nando não tem envolvimento na morte de Jenifer Luana e vai manter a tese de que não há provas para condenação. ''Não existe ligação entre essa vítima e o Nando. Todos os fatos foram atribuídos a ele, mas não há participação em todos", defendeu.

Segundo o juiz Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, mais uma vez Nando será ouvido por videoconferência porque está com tuberculose e se recusa a fazer tratamento, não podendo ter contato com outras pessoas.

Além de Nando, Michel Henrique Vilela Vieira, comparsa do serial killer, também será ouvido durante o julgamento. Ele já possui condenação de 13 anos por um homicídio e ocultação de cadáver.

O caso – Nando é autor de uma série de assassinatos no bairro Danúbio Azul. As vítimas eram, em maioria, jovens mulheres envolvidas com consumo de drogas e inseridas em contexto de vulnerabilidade social. Ele é acusado de ter matado pelo menos 16 pessoas, entre os anos de 2012 e 2016, e ficou conhecido como um dos maiores serial killers do Estado, pela quantidade e a forma cruel como executava os crimes.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions