A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

15/01/2014 15:11

Mato alto em via movimentada muda a rotina de motoristas e moradores

Aliny Mary Dias
Não é fácil enxergar, mas há um motociclista cruzando a avenida Aero Clube (Foto: Simão Nogueira)Não é fácil enxergar, mas há um motociclista cruzando a avenida Aero Clube (Foto: Simão Nogueira)

A falta de manutenção da Prefeitura nos locais onde o mato já atinge altura de 1,5 metros é reclamação constante de moradores de vários bairros de Campo Grande. Na Vila Sobrinho, a situação está tão complicada que já reflete no trânsito da região e muda a rotina de quem passa por ali.

A Avenida Aero Clube, no entorno da Praça do Papa, concentra grande parte das reclamações de quem mora no bairro ou usa o trecho como percurso para ir da casa ao trabalho. O matagal abre espaço para que lixões se formem e até sofás se amontoem no local.

Nery Barros, 25 anos, é contador e mora na Vila Palmira. Ele conta que utilizava a avenida para ir ao trabalho, mas mudou a rota em razão do perigo que o mato alto trouxe para o local. “Fica complicado de fazer os cruzamentos e é muito mais fácil de acontecer acidente. Eu vi sinais de uma batida em um dos cruzamentos há poucos dias e não estou indo para o trabalho por lá”, explica.

Um dos locais com mato mais alto é o cruzamento da Aero Clube com a Benjamim Constant. Para quem dirige na via é preciso ter atenção redobrada porque apesar da avenida ser a preferencial, muitos motoristas avançam as paradas obrigatórias por não enxergar os carros.

Aposentada caminha no local e tem medo do mato alto (Foto: Simão Nogueira)Aposentada caminha no local e tem medo do mato alto (Foto: Simão Nogueira)
Sofás e entulhos são jogados na avenida (Foto: Simão Nogueira)Sofás e entulhos são jogados na avenida (Foto: Simão Nogueira)

A aposentada Zenir Monteiro, 63, tem o costume de caminhar na avenida diariamente no início da manhã. Ela conta que há um mês mudou a rotina com medo do mato alto. “Agora eu caminho um pouco mais tarde porque já vi marginal escondido no mato. Bastante gente deixou de andar por aqui”, explica.

Outro que também reclama do descaso com a região é o pedreiro Wilson da Silva, de 47 anos. Ele é ciclista e passa pela avenida Aero Clube todos os dias. Os amontoados de lixo que aparecem na calçada da via indignam o pedreiro.

“Sempre quando eu passo aqui vejo pessoas em carroças ou caminhonetes jogando lixo e entulho. Acho um absurdo, até sofás lotam a calçada que nem existe mais”, completa Wilson.



Já viram o mato perto do PRONCOR do bairro Cidade Jardim?
 
fátima silvestre em 16/01/2014 10:06:21
no bairro jd paquetá, esta um caos, as ruas que são de terra, pedras e buracos, estão horriveis, dias atrás passou o trator da prefeitura e deixou as ruas pior ainda, cheia de pedras e valetas.
 
Silvana Lemes em 16/01/2014 07:16:52
no bairro que moro, JD Paquetá, ao lado do Azaléia e Vila Nossa Senhora das Graças, depois que o trator da prefeitura "passou" pelas ruas de TERRA do bairro, ficou ainda pior, cheio de valetas, pedras enormes, ou seja, serviço realizado péssimo.
 
José Vieira em 16/01/2014 07:10:19
a falta de manutenção é com certeza um grande problema, mas junto a isso tem uma população que tambem contribui
afinal quem jogou lixo neste mato? o povo tambem tem que tomar consciencia dos seus atos.
 
marcel dos santos nobre em 15/01/2014 19:06:32
MAS O POVO E MUITO RELAXADO MESMO !!!! E SO OLHAR AS TRANQUEIRAS JOGADAS !!!!
 
paulo eduardo sandim em 15/01/2014 18:22:23
E O BERNAL??????
 
GILMAR BENEDITO em 15/01/2014 16:13:13
Ao pessoal do Campo Grande News:

"senhores cuidado com as noticias que se veiculam neste site a respeito da capital morena, afinal, correm o risco de serem expulsos da cidade pela assessora do prefeito".

Não reclamem (risos), a cidade está maravilhosa, a saúde em plenas condições, educação (nem vou comentar),... melhor parar.

 
Joao Marcelo em 15/01/2014 15:39:58
Beeem feito ! Não queriam o Bermal ?
 
Arnobio Luiz em 15/01/2014 15:32:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions