A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

28/11/2011 22:41

Mesmo com lei polêmica, movimento ainda é grande em conveniências

Paula Maciulevicius e Aline dos Santos
Na fotografia tirada de longe, a movimentação transparece. Entre eles se vê até uma criança no empurrando um carrinho de bebê, em meio a aglomeração. (Foto: Pedro Peralta)Na fotografia tirada de longe, a movimentação transparece. Entre eles se vê até uma criança no empurrando um carrinho de bebê, em meio a aglomeração. (Foto: Pedro Peralta)

A aglomeração não se intimidou nem mesmo com a polêmica lei que está para ser sancionada, de vetar o consumo de álcool em ruas, praças e conveniências da Capital. Em um giro por estabelecimentos as cenas escancaram a necessidade de se tomar alguma providência.

Na rua Anacá, bairro Moreninhas, na Capital, a movimentação no final da semana era tamanha que a Polícia calcula 500 pessoas divididas em três quadras. De crianças com mães até pessoas mais velhas. A maioria consumindo bebida alcoólica e dançando funk pelo som que saía de três carros.

A concentração de pessoas não vai até tarde, porque a Polícia Militar interfere. O Campo Grande News acompanhou a rotina de policiais do reservado da PM que monitoram quem são os provocadores da algazarra.

O que chama a atenção é o comportamento de adolescentes e motoristas de carros que chegam com isopores lotados, para vender bebida na rua, sem qualquer receio.

O Campo Grande News em companhia de um sargento reservado da Polícia de Trânsito ficou no meio da movimentação. Para não causar tumulto, as fotografias foram feitas apenas de longe. Mas de perto o que se vê são crianças até pequenas, acompanhadas de mães, dançando, algumas mais velhas com latas de cerveja em mãos, achando que estão fazendo bonito.

As 500 pessoas só se concentraram ali porque a janela de uma conveniência vendia bebidas a rodo. E quem não conseguia chegar até o balcão, tinha a disposição bebidas em um isopor, na carroceria de uma Pampa vermelha.

Com discrição, o Campo Grande News começou a perguntar às pessoas o que achavam da lei aprovada pela Cãmara. Um grupo de três mulheres, uma delas com uma criança de menos de 5 anos, respondeu que concorda e que está ali porque não tem opção de espaço.

O local não é muito iluminado, mas mostra a presença de adolescentes junto ao consumo de álcool. (Foto: Pedro Peralta)O local não é muito iluminado, mas mostra a presença de adolescentes junto ao consumo de álcool. (Foto: Pedro Peralta)

“Tem barulho, eu moro aqui mesmo então eu venho. Não tem o que fazer”, disse uma delas. Nenhuma quis se identificar e logo depois da conversa se afastaram da equipe.

O policial que acompanhou o Campo Grande News comenta “o problema mesmo é o som alto. Porque ele é o que chama as pessoas. A maioria deles menores de idade”.

A música é o que conduz dois “bondes”. O grupo de adolescentes se intitula e usa até camiseta. Um escrito “Bond Envolvente” e o outro “Os envolvidos”. Todos menores de idade que dançam uma coreografia ensaiada.

A situação só se tranqüiliza quando as viaturas da Polícia chegam. Bombas de efeito moral e revista pessoal. É assim que termina a noite nas Moreninhas e traz de volta a tranquilidade aos moradores, àqueles que não entram na algazarra.

Antes da batida da PM, um dos carros responsáveis pelo som foi embora. Ele recebeu uma ligação pelo celular, avisando de que a Polícia ia aparecer.

Da chegada dos policiais até o final da concentração de pessoas foram segundos. Os poucos que não conseguiram ir embora rápido, passaram pela revista. Nada de irregular foi encontrado.

“Eu acho que está certo a Polícia vir. Tem muito menor de idade aqui, mas eles não precisam chegar desse jeito”, disse uma jovem.

“A lei pode até ser boa, mas não vai conseguir mudar. A conveniência pode não vender, mas os carros vendem. Tem sempre uma caminhonete F-1000 que chega e abre a carroceira vendendo”, argumenta outra moradora.

E é dessa forma que a noite termina. Com revista pela Polícia Militar. (Foto: Pedro Peralta)E é dessa forma que a noite termina. Com revista pela Polícia Militar. (Foto: Pedro Peralta)

O problema não se resume apenas a região das Moreninhas. No bairro Universitária, não eram nem 10 horas da noite e o local já estava “fervendo”. A rua Pontalina tem uma conveniência em uma esquina e uma pizzaria com música ao vivo na outra. O chamariz para a aglomeração de pessoas.

Por lá as pessoas já aparentavam embriagues. O hálito exalava álcool e todos com latinhas na mão. A receptividade com a imprensa não é das melhores. É preciso chegar aos poucos para depois iniciar a entrevista. Foto eles não permitiam, mas opinião sobre a lei tinha das mais diversas.

Os primeiros a comentarem são dois irmãos. “Eu sou contra essa lei. Aqui não tem algazarra, quando começa o dono fecha. O que tem que existir é igualdade, pergunta se eles vão fiscalizar o bairro nobre como vai ser na periferia?”, questiona Denilson Machado Benites, de 40 anos.

“Já tem lei seca, era essa que precisava ser cumprida. Som alto, orgia, isso eu sou contra, já passa dos limites. Mas agora todos vão pagar pelo erro dos outros”, comenta Deilson Machado Benites, de 40 anos.

“A lei é certa, mas não é todo mundo assim. Tem vândalo, mas tem gente que vem para relaxar. O certo era multar os motoristas com som alto. Mas o álcool não dá problema só na conveniência. Eu mesmo já bebi e quando cheguei em casa, quis arrumar confusão com o vizinho. Era em casa”, conta Alex Carvalho, de 24 anos.

A lei preocupa os donos de estabelecimentos. Os únicos que se dispuseram a conversar com o Campo Grande News foram o casal Ana Lúcia Vieira e Luiza Andrade.

“Quando começa a dar problema, a gente fecha as portas. Eu dependo disso aqui. Pago alvará e a gente liga para a Polícia, mas quem vai dar segurança para a gente nisso? Estamos fazendo o trabalho da Polícia e eles podem muito bem dar tiro na gente”, relata a dona.

Eles dizem que no Universitária é tranquilo e que o alvará é para funcionar até 23h.

“Quem vai levar com isso somos nós. Os clientes fieis, para onde eles vão? Para casa dormir. Muitos ainda vão fechar, não vão aguentar”, acrescenta o dono.

Legislação - O projeto que proíbe o consumo de bebidas alcoólicas em conveniências, ruas e praças públicas foi aprovado na semana passada por 14 votos a três, na Câmara Municipal. Agora segue para sanção do prefeito Nelsinho Trad (PMDB) que sinalizou aprovar a lei o quanto antes. O projeto tramitava desde 2009 na Câmara e o texto inicial proibia o consumo de bebida e bagunça nos postos de combustíveis.

Alvará - A legislação municipal estipula que as conveniências podem funcionar até 23 horas, entre segunda e quinta-feira. Às sextas-feiras e fins de semana, o funcionamento vai até meia noite. Contudo, o estabelecimento comercial pode requerer alvará especial para funcionar 24 horas, que é concedido pela Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano). Uma das exigências é que o local ofereça segurança, ou seja, contrate prestadores de serviços de segurança.

O posto Trokar, na avenida Fernando Correa da Costa, tradicional point, perdeu o alvará especial porque houve uma tentativa de homicídio em julho deste ano. “Em casos de crime contra a vida, perde o alvará”, explica o delegado da Deops (Delegacia Especializada de Ordem Política e Social), Antonio Silvano Rodrigues Mota. Na ocasião, uma mulher de 25 anos foi baleada pelo ex-marido.

A Polícia reforça que denúncias contra as boates a céu aberto, como viraram as conveniências podem ser feitas na Deops ou em delegacia dos bairros.

“É importante que a pessoa registre o boletim de ocorrência, para que o dono não alegue estar sendo denunciado por algum concorrente de quem está ‘tomando’ a freguesia”, salienta o delegado.



TEM QUE ACABAR MESMO COM ISSO. CONVENIENCIAS NA RUA, NOS POSTOS(GENTE COM BEBIDA, CIGARRO, BEBADOS, ETC), É UMA COISA ABSURDA ISSO. PAISES MENOS DESENVOLVIDOS NAO PERMITEM ISSO. MAS O LOBI AQUI É ENORME E O PREFEITO TEM QUE SER MACHO E HONRAR O VOTO QUE TE DERAM EM INTERESSE DA POPULAÇÃO. É UM BANDO DE ARRUACEIROS, INCOMODANDO QUEM QUER DESCANSAR. A BEBIDA SO CONTRUBUI PRA CASUAR DANOS.
 
LUCIANO MARQUES em 30/11/2011 10:53:49
SERÁ QUE COM ESSA NOVA LEI, OS BARES DE ALTO PADRAO, QUE SERVEM A BEBIDA EM MESAS NA CALÇADA DA AFONSO PENA (espaço publico) VÃO SER FISCALIZADOS TAMBEM, MIÇA CAFÉ MOSTARDA E OUTROS
 
ENOS RICARDO em 30/11/2011 10:05:46
Já que querem proibir a liberdade dos jovens, que façam um espaço apropriado para que possa acontecer isto!
 
Anderson Marques em 30/11/2011 09:42:01
Criar um monte de leis proibindo isso e aquilo é fácil. O problema é que políticos não pensam em uma solução definitiva, apenas em um paliativo para livrar sua cara até as próximas eleições. Não basta proibir, devem oferecer uma alternativa para o lazer da população. Do contrário, ou a lei não pega, ou o povo criará sua própria alternativa. Usem seus cérebros vereadores, pelo menos uma vez!
 
Bruno Nodes em 30/11/2011 09:28:48
Eu acho que a polícia tem que ir até o local e fazer o seu dever, que é assegurar que as leis sejam cumpridas, mas tomar uma cervejinha com os amigos não significa que sejam bandidos, sendo assim a polícia tem que respeitar as pessoas, tratá-las com educação.
 
roberto dos santos em 30/11/2011 09:22:11
O que se vê é só a ponta de um problema que começa bem antes, com a ausência do Estado em dar uma melhor educação, melhor formação e melhor preparo para os jovens. Um Estado que não deu opção de lazer e de inserção na sociedade àqueles jovens. Aqueles jovens cresceram e hoje os jovens, filhos daqueles jovens são o reflexo da falha lá atrás. A polícia não resolverá o problema ! Só com educação !!!
 
adelar taffarel em 29/11/2011 12:48:49
Não adianta essa desculpa de que quem é pobre não tem opção, pq o assunto aqui não tem nada a ver com classe social, mas sim com estupidez. Desocupados, antas e gente de péssimo gosto não são seletivos, dão em cacho e em todas as famílias, ricas, pobres e de classe média. E antes que perguntem, não sou milionária, não nasci rica, mas hoje vivo muito bem graças ao meu cérebro.
 
Madalena sortioli em 29/11/2011 12:37:24
Além das conveniências, a polícia deveria vistoriar aquela região da frente do aeroporto, uma coisa que foi construída para ir família observar aviões e se divertir um pouco, virou uma Afonso Pena com direito a som alto, jovens consumindo bebidas alcoólicas e drogas, sem contar nas meninas dançando sensualmente em meio a crianças e pessoas de bem!!!
 
ANYELLI RODRIGUES em 29/11/2011 12:25:58
Sílvia:"pq tinha mãe com bebe de colo?"Porque infelizmente esse comportamento é transmitido de pais para filhos,arruinando as gerações futuras e prendendo quem pensa aos efeitos da idiotice dessa massa alienada.
Cultura o caçamba e diversão não é nem de longe. É porcaria, rebeldia sem causa, cachaçada e vadiagem. A combinação perfeita para que esse país não saia do 3º mundo.
Asnos INCONVENIENTES.
 
Madalena Sortioli em 29/11/2011 12:19:24
Tem que coibir mesmo essa aglomeração de periguetes e arruaceiros em vias públicas, povo que não sabe beber, bebem a noite inteira, depois pegam um carro ou uma moto e botam em risco pessoa de bem quando não matam, sem falar que não conseguem nem jogar uma lata o garrafa em um lixo, veja a condição das vias públicas na imagem da reportagem cheia de garrafas e latinhas de cerveja no chão.
 
Renato Yuri em 29/11/2011 12:10:14
Se usassem 1/3 do tempo que gastam nessa vagabundagem inconsequente para adquirir cultura (e não me venham com essa conversa de que funk é cultura das massas) e conhecimento, não seriam a razão para esse país ser bem o que é.
Se há roubo, politicalha e toda a desgraça que corrompe esse país, não é por outra razão que não a eterna valorização da vadiagem malemolente brasileira dizendo: É DIVERSÃO!
 
Madalena Sortioli em 29/11/2011 12:09:37
Como eu queria ter dinheiro pra investir nesta cidade... parece que os empresarios daqui não querem ganhar dinheiro... só shopping? pelo amor de Deus como uma capital não tem um Parque Aquático???? Sou totalmente contra esta aglomerações e bagunças mas é óbvio que sem opção de lazer pessoas vão pra rua fazer algazarra.
 
Willian Souza em 29/11/2011 12:00:28
Nosso bairro (Moreninhas) infelismente volta ser noticia mal vista pela sociedade, não por conta das pessoas que frequentam esses pontos, mas sim pela ausencia de policiamento nestes locais pois aqui sempre respeitaram a policia, `´quando estão presentes´`, e o barulho quem faz? são pessoas de outros bairros que vem exibir seus sons potentes. Parabéns ao vereador Paulo Siufe e ao Lidio Lopes.
 
JOSE J NETO em 29/11/2011 11:59:00
Não adianta criar leis, educação e cultura vem de casa(obrigação dos pais não do governo), se o pai não cria o filho(a) direito, vira isso ae, a cultura para esse povo de cerébro atrofiado é escutar funk alto na pracinha,encher a cara, assistir novela e fazer filhos que terão a mesma vida miserável e insipiente dos pais.
 
Roberto Inzagaki em 29/11/2011 11:49:46
PORQUE A POLICIA NAO PRENDE O SOM DOS CARROS QUE FAZEM ESSAS BADERNAS ACONTECEREM.???
 
hermes canhete em 29/11/2011 11:45:55
O engraçado nisso tudo é que antes da policia chegar eles estão sabendo, que hrs era isso, pq tinha mãe com bebe de colo?
 
silvia dos santos pereira em 29/11/2011 11:38:03
Se em casos de atentado contra a vida perde-se o alvará especial, porquê a conveniência Guanandy, localizada na Manoel da Costa Lima em frente á Barra Mansa e o bar Cabrobró logo ao lado permanecem abertos? Ali já foram constatados diversas tentativas de homicídio e até homicídios mesmo. Alguma coisa têm de errada aí.
 
Carlos de Moraes em 29/11/2011 11:15:35
Essa lei não vai pegar como a lei seca não funciona, hoje Campo Grande esta virando uma cidade comercial, não tem mais opção de lazer mais aqui na capital! Como se as pessoas fosem robos, que ao termino de um dia de trabalho nao tivesse o direito de lazer que por sinal e muito escasso aqui em Campo Grande!
 
José Luis em 29/11/2011 10:53:45
sou a favor.
apesar de não gostar de funk, e nem desses tumultos, sou a favor que a prefeitura encontrasse algum meio de deixar quem gosta desse tipo de "lazer" se divertir. poderia pelo menos arrumar um local onde isso fosse possivel, independentemente de quem esteja freguentando esses locais, menor ou não, faz parte da população e deve-se oferecer lazer a eles.até o parque de exposição fecharam.
 
milton pinheiro em 29/11/2011 10:18:41
AONDE A GALERA JOVEM POSSA IR PARA SE DIVERTIR E OUVIR SEU SOM SEM ENCOMODAR NINGUEM...E CLARO MAS ONDE ELES VAO E CLARO QUE NÃO SOU A FAVOR DE GAROTAS FICAREM SEM ROUPAS MAS DO JOVEM TER UM LUGAR SIM PARA IR E NÃO A MAIORIA CRITICAR PORQUE TEM SIM E QUE ENCONTRAR UMA SOLUÇAO BOA PARA AMBOS OS LADOS....
 
RODRIGO FREITAS em 29/11/2011 09:17:08
SENHOR THIAGO BENARROS CONCORDO EM CERTA PARTE SUA OPNIAO TEMOS SIM QUE PROCURAR O CAMINHO DE DEUS...MAS CADA UM SABE SUA HORA DE IR E PROCURAR DEUS DE VERDADE NÃO SO QUANDO ESTAMOS PRECISANDO DELE AI CORRE PRA IGREJA E COMEÇA A REZAR...TA CHEIO DE PASTOR E PADRE PEGANDO MENINOS E MENINAS POR AI OU VCS NÃO VE O NOTICIARIO DIRETO....FALTA SIM UM LUGAR COM SEGURANÇA E POLICIAMENTO.
 
rodrigo freitas em 29/11/2011 09:13:52
Na minha opnião deveriam se preocupar com a violência nas ruas, não com cidadão honesto que tem direito a se divertir da forma que ele achar correto. Ao invés de proibir, deveriam criar um lugar para que tdos pudessem se divertir sem ser incomodado e sem incomodar a ninguém

 
cleber renato em 29/11/2011 09:04:26
Nem mesmo no tempo do governo militar existia tanta imposição, quanto os nossos vereadores Campograndesse estão querendo impor aos municipes.Estas idéias está muito parecida com antigas histórias contadas em livros ou novelas dos Coronéis do café e da cana de açucar no tempo do Império. Em pleno século XXI é dificil. Cuidado Srs. vereadores estamos proximo as eleições e o povo poderá julga-los

 
larissa silva em 29/11/2011 09:02:13
É INCONSTITUCIONAL uma Câmara Municipal legislar sobre assunto de competência federal. Qualquer um poderá judicialmente requerer seu direito e irá ganhar. Conveniências transformaram-se em points para pobres e ricos se aglomerarem, um pouco de tudo que disseram, o importante é tratar algo como segurança da comunidade, de interesse da saúde pública, e campanhas para educar jovens e adultos !!!!
 
joaquim carvalho em 29/11/2011 09:01:33
Nem o projeto de proibição de venda em postos de combustiveis nem o de consumo em vias publicas e praças está certo, isso não vai resolver nada do mesmo jeito que a proibição de venda em rodovias não resolveu, não podem proibir alguem de tomar cerveja em frente a sua casa ou um comerciante de vender um produto legal isso não está certo, sera que os politicos não tem mais nada para fazer ??



 
leidi ajala em 29/11/2011 09:01:00
Na minha opnião deveriam se preocupar com a violência nas ruas, não com cidadão honesto que tem direito a se divertir da forma que ele achar correto. Ao invés de proibir, deveriam criar um lugar para que tdos pudessem se divertir sem ser incomodado e sem incomodar a ninguém

 
adriane ramalho em 29/11/2011 09:00:04
DAQUI A POUCO VÃO ME PROIBIR E USAR SHORT,
VÃO ME PROIBIR DE DAR RISADA,
DAQUI A POUCO VÃO PEDIR PRA IMPRENSA NÃO NOTICIAR,
DAQUI A POUCO O ESTADO "DEMOCRÁTICO" VAI ESTAR PIOR DO QUE UMA DITADURA, SE JÁ NÃO ESTÁ É CLARO.

PEÇO AOS VEREADORES O MÍNIMO DE RESPEITO AS LIBERDADES INDIVIDUAIS,
ACHO ENGRAÇADO SE BEBER CERVEJA NA PORTA DA MINHA CASA VÃO QUERER QUE EU PAGUE MULTA OU VÁ PRESO
 
CLAUDIA EMANUELE em 29/11/2011 08:59:19
Tanto problema mais importante pra se resolver pela cidade. Ficam ai com essa hipocrisia. Chamar quem bebe de desocupado é no mínimo falta de utilizar o cérebro pra algo útil senão acompanhar a vida alheia. Eu não bebo em posto ou em conveniência, mas me utilizo desses comércios quando faço ou vou à festas e não faço bagunça pra isso.

 
jairo rodrigues em 29/11/2011 08:47:31
Sim vamos proibir tudo!o cidadão de beber a sua cerveja,de sair de casa para si divertir,vamos proibir tudo que não seja para pagar impostos.afinal se não pagarmos impostos como e que eles vão receber seus salários.Senhores vereadores porque vocês não fazem leis que realmente vão trazer benefícios para população de campo grande.

 
claudio severo em 29/11/2011 08:46:51
Isso se chama Brasil, com tanta coisa para se resolver de extrema urgencia, querem discurtir a proibição de bebidas alcoolicas nas ruas e postos de combustiveis...

Vão discutir os salarios dos professores, vao discutir uma saude melhor pra população, moradia, asfalto..... simplismente uma vergonha isso
 
jose luis em 29/11/2011 08:46:05
Ótimo horário, onde somente eles e os "velhos" que não tem nada para fazer podem ir discutir como censurar cada vez mais a nossa liberdade. Imprensa cuidado os próximos a serem censurados podem ser vocês.

não a essa lei......aqui não e a ditadura mas ja ta quase!!!
 
helio mandonça em 29/11/2011 08:45:24
acho q vc´s deveriam procurar se estruturar pra dpois pensar em diversão; alguns desses não tem nem o q comer em casa, vivem em muquifos, vestem trapos, o assunto deve ser só futebol e novela, e por aí vai...parece q não sabem q é nessas reuniões q costumam sair discussõs, brigas e mortes. Procurem estudar gente, procure Deus, saiam dessa pobreza de espírito meu povo, vc´s podem melhorar...Abraço!
 
Thiago Benarrós em 29/11/2011 06:14:31
Não acredito no q li dos senhores Mauro dias e RODRIGO FREITAS. Quanta tolice senhores, desde quando sair de casa para encher a cara escutando funk nas conveniencias e ver aquelas mulheres vulgares sem escrúpulos rebolando é diversão?? Acho q vocês não sabem o q é diversão. Supondo q saibam, quem disse q somos obrigados a vivermos só nos divertindo? Parece q só tem isso pra se preocupar na vida..
 
Thiago Benarrós em 29/11/2011 05:33:45
os idosos já trabalharam o suficiente e têm o direito de descansar. Já estiveram na ativa ao seu tempo, quando não estão no presente.
Os que estão trabalhando agora, tem esse direito também.
E os jovens o de se divertir.
Os empresários das conveniências, de vender.
Mas cada um no seu quadrado, sem desrespeito.
 
Madalena Sortioli em 29/11/2011 05:19:59
Rodrigo Freitas: ".. se acabar com as bebeidas e o sosn nas conveniencias onde vou ver os brotinhos final de semana.? gente pensem na gente .......os adolecentes q serão o futuro do nosso país..".

Liga não. Se proibirem isso, quem sabe você use o tempo para aprender a escrever, por exemplo. Fica a dica.
 
Laura Costa em 29/11/2011 05:05:07
É lamentável que as pessoas hoje acreditem que isso se chama lazer.
Eu não sei onde foi que aprenderam que desrespeitar o direito dos demais, que agir como selvagens e que ter esse tipo de opção seja, de alguma forma, algo divertido.
Poxa vida, gente. Será que não dá vergonha não, de aparecer dessa forma, de fazer parte disso? E tem gente com idade de mamando a caducando... credo.
 
Mirian Costa em 29/11/2011 05:02:39
Rodrigo Freitas:". os velhos incomodados q mudem. "

Não lhe deram educação , seu inconveniente? É bem o perfil do pessoal das conveniências, que não têm respeito pelo próximo e são incapazes de viver e se divertir civilizadamente.
E velha é só sua falta de educação. A maior parte dos que reclamam aqui não são velhos. SÃO TRABALHADORES. E velho não é xingamento, pq vc será, se não morrer antes.
 
Madalena sortioli em 29/11/2011 04:50:09
Não entendo,quando as pessoas dizem que Campo Grande não tem opções de lazer,será que estão se referindo a rios e praia? mas que é que sai de noite para tomar banho de rio ou mar? saem a noite é para tomar bebidas alcoolicas mesmo.e depois a reclamação não é pelo alcool ingerido em si,mas pelo barulho causado pelo sistema de som dos carros e simulação ou pratica de sexo em via púlblica.
 
antonio luis em 29/11/2011 04:22:23
Não concordo com essa de parar com o barulho nas conveniencias. os velhos incomodados q mudem do local. pq em conveniencia e o point de encontros das mulheradas q saem pra curtir.. se acabar com as bebeidas e o sosn nas conveniencias onde vou ver os brotinhos final de semana.? gente pensem na gente .......os adolecentes q serão o futuro do nosso país..

 
RODRIGO FREITAS em 29/11/2011 03:15:47
CONTRA_DEIXA A GALERA SE DIVERTIR SE VCS NÃO SAEM DE CASA O PROBLEMA E DE VOCES.ATE PARECE QUE NÃO TIVERAM ADOLESCENCIA NÃO ISSO SE NÃO FIZERAM PIOR...O POVO NEM TEM AONDE IR AI ELES VAO PARA OS FINAIS DE FEIRA E PARA FRENTE DAS CONVENIENCIAS....E SE NÃO GOSTA DE BARULHO COMPRE UMA CHACARA ENTAO....
 
mauro dias em 29/11/2011 03:12:44
Certeza. Apoio 100% essa lei. Quer beber, bebe em casa. Nossas ruas precisam de segurança. Esses indeliquentes enchem a cara, ligam o som no max. e ainda arriscam a vida das pessoas. Projeto de lei tambem pra quem usa drogas na rua. Eu nao sou obrigado muito menos meus filhos a conviver com drogados e absorver o cheiro podre dos intorpecentes. Eu sou oprimido por esses maginais.
 
Carlos Eduardo em 29/11/2011 03:09:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions