A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

07/11/2011 19:30

Moradores do Nova Lima pedem apoio do MPE para resolver “buracão”

Paula Vitorino
Moradores querem solução imediata para buracão. Moradores querem solução imediata para buracão.

Os moradores do bairro Nova Lima protocolaram nesta segunda-feira (7) pedido de apoio do Ministério Público Estadual (MPE) para resolver o “buracão”. A erosão na rua Marquês de Herval voltou a assustar a população após as chuvas do dia 30, quando engoliu parte da calçada.

De acordo com o presidente do Cedampo (Centro de Documentação e Apoio aos Movimentos Populares), Haroldo Borralho, os moradores pedem a intervenção do MPE para o imediato cercamento do “buracão”, com vigilância permanente na área; a proibição do deposito de resíduos sólidos no local, que abrange nascentes de córregos, e solicita que o prefeito Nelson Trad Filho apresente o projeto de recuperação da área.

“Do jeito que está é um dano não só ao meio ambiente, mas também ao patrimônio público. Jogar lixo e entulho no local não resolve nada, só destrói as nascentes que ali estão”, diz.

As medidas foram decididas após reunião na sexta-feira (4), com representantes da OAB (Ordem dos Advogados), diversas associações e moradores do bairro.

Os moradores querem a resolução imediata do problema, independente da liberação de recurso federal ou não, antes que o buraco “engula as casas”.

Eles também denunciam que o local é usado para deposito de todo tipo de lixo, o que atrai insetos e animais peçonhentos para a região, além do forte cheiro.

A Prefeitura aguarda desde março a liberação de R$ 5 milhões do Governo Federal para as obras definitivas no local. Desde então, foram realizados reparos emergências como aterro e tubulação improvisada, que foram todos levados pelas chuvas da última semana.

De acordo com o secretário de obras, João de Marco, já era previsto que os reparos fossem levados pelas chuvas, já que são obras “precárias”.

“A solução definitiva só virá com um obra grande e pra isso precisamos de recurso federal”, frisa.

Como são obras emergências, o secretario não soube precisar quanto foi gasto até agora com os serviços no local. As obras emergências para conter a erosão do dia 30 devem terminar em 10 dias e incluem aterro e desvio do curso de água.

Na sexta, o prefeito decretou novo estado de emergência no bairro com o objetivo de agilizar a liberação do recurso federal.



Perguntar não ofende. Por acaso, não é nesta mesma rua (ou corredor do Nova Lima), que mora, ou morava um Vereador eleito pelo povo da região? Ou será que ele já se mudou da "comunidade"?
Em nenhum momento ouvi dizer que ele esteja lutando ao lado daquele povo para solucionar o problema.
 
Hilda França em 08/11/2011 12:08:52
O dinheiro gasto com obras provisórias é levado com a chuva... porque não gastar um pouco mais e fazer algo de qualidade ao invés de fazer um serviço no qual até mesmo quem faz já tem a certeza de não irá resolver...
a resposta está de onde vem o dinheiro... é do povo... essas obras provisórias é para iludir o povo para ganhar votos...
 
Elisângela Francico em 08/11/2011 10:45:55
É facil tentar achar culpados, mas é impossivel achar neste caso. Isto vem desde a criação do bairro cada casa que se constroi, cada rua patrolada ou pavimentada, cada arvore arrancada ou vegetações em geral, o terreno arenoso e com varios decreveis. com tudo isso nao tem culpados e sim falta de planejamento la no passado, agora nao tem como impedir que as pessoas construam.
 
Aires Junior em 08/11/2011 10:07:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions