ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  23    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Morre em Campo Grande, aos 67 anos, o engenheiro civil Aroldo Figueiró

Aroldo Figueiró passou mal no início da semana e estava internado quando sofreu parada cardíaca; velório será no Memorial Park

Por Silvia Frias | 29/10/2020 07:52
Nas redes sociais, amigos lamentam a morte do engenheiro, descrito como alegre e animado (Foto/Reprodução)
Nas redes sociais, amigos lamentam a morte do engenheiro, descrito como alegre e animado (Foto/Reprodução)

O engenheiro civil Aroldo Abussafi Figueiró, 67 anos, morreu na madrugada de hoje, em Campo Grande. Figueiró estava internado desde o início da semana, depois de passar mal. Ontem, sofreu parada cardíaca e faleceu por volta das 4h.

A presidente eleita do Crea-MS (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de MS), Vânia Mello, publicou hoje cedo mensagem de pesar pela morte de Figueiró. “Feliz, sereno, sendo junto a todos construtor de ideias”.

Vânia relata que ele estava bem depois da cirurgia bariátrica, mas passou mal, vomitou sangue e foi para a UTI da Unimed. Por conta do problema, passou por endoscopia. Ontem, teve parada cardíaca. “Ele era muito animado, amigo de todo mundo, um grande profissional, é liderança na engenharia”. Nas redes sociais, vários amigos lamentaram a morte de Figueiró.

Inicialmente, a família pretendia fazer velório na sede do Crea-MS, mas não será possível por conta das restrições sanitárias impostas pela pandemia. O velório está previsto para começar às 14h30, no Memorial Park, no Jardim Centenário.

Aroldo Abussafi Figueiró  nasceu no dia 27 de janeiro de 1953. Engenheiro civil, foi candidato à Prefeitura de Campo Grande pelo PTN nas eleições de 2016. Também foi professor da Uniderp.

Em sua página no Facebook, fez breve relato de sua história: “Me lancei candidato nas eleições de 2016, a Prefeitura de Campo Grande, PTN. Sou Casado com 5 filhos, 4 netos, engenheiro apaixonado pela vida, minha tolerância é árabe e a reação alemã, o entendimento Português, trabalho com pessoas e as vejo a todas, iguais, não aceito qualquer autoritarismo, não tenho cores ideologias, acreditando sempre em Deus, sou anarquista e amo minha família, do meu jeito é claro, me acham radical e eu concordo em 93,17% das vezes”.

"Sou anarquista e amo minha familia", descreveu-se Figueiró em postagem nas redes sociais (Foto/Reprodução)
"Sou anarquista e amo minha familia", descreveu-se Figueiró em postagem nas redes sociais (Foto/Reprodução)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário