A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

21/03/2011 18:34

MP trata caso de segurança morto em bar como homicídio doloso

Jorge Almoas

O Ministério Público Estadual está tratando o caso da morte de Jefferson Bruno Escobar, que morreu após ser atingido por um soco no bar onde trabalhava como segurança na Avenida Afonso Pena, como homicídio doloso duplamente qualificado.

No inquérito instaurado pela Polícia Civil, Chrstiano Luna de Almeida foi indiciado por lesão corporal seguida de morte. Ele é acusado de ter cometido o assassinato e é praticante de jiu-jitsu.

No entanto, no entendimento do MP, o caso pode ser tratado como homicídio doloso com duas qualificadoras. Uma das qualificadoras é motivo fútil, caso o desentendimento entre Jefferson e Christiano fique provado como sendo banal.

Testemunhas disseram que o segurança pediu para o lutador deixar o bar pois estava promovendo desordem. Ao revidar com um soco, Christiano provocou a morte de Jefferson.

A segunda qualificadora é recurso que dificultou a defesa da vítima. Para isso, a justiça vai precisar comprovar que o autor é lutador de artes marciais.

Nesta segunda-feira, o coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça Criminais, procurador Evaldo Borges Rodrigues da Costa, pediu que os promotores Douglas Oldegardo Cavalheiro dos Santos e Luciana do Amaral Rabelo Nagib Jorge acompanhem o inquérito policial.

Para o Ministério Público, o caso deve ser apreciado por uma das varas criminais do Tribunal do Júri. O juízo especializado avalia a ocorrência de crime mais grave, neste caso, homicídio duplamente qualificado.

A análise do MP mostra que a lesão corporal e morte caracterizam o homicídio. O laudo necroscópico irá esclarecer quais as lesões corporais que levaram Jefferson a morrer. A pena prevista para homicídio doloso qualificado é de 12 a 30 anos de prisão.

Nesta segunda-feira, Christiano teve o pedido de liberdade negado pela Justiça. Ele foi transferido para o Presídio de Trânsito. O corpo de Jefferson foi enterrado ontem no Cemitério Santo Amaro, em Campo Grande.



GILMAR.. VC NÃO SABE O QUE ESTÁ FALANDO..
PELO JEITO VC N PRESTOU ATENÇÃO NO VÍDEO MESMO.. E NEM NAS NOTÍCIAS.
O ATESTADO DE ÓRBITO DO BRUNO NÃO ALEGOU QUE A CAUSA DA MORTE FOI INFARTO. PROCURE SABER DAS COISAS, ANTES DE JULGÁ-LAS.
 
RAYANE VIEIRA em 06/05/2011 11:53:08
nossa, o cara se formou em direito para brigar legal hein.Ouvi comentarios de quem estava no clube e me disseram q ele subiu em cima do garçon e deu varios golpes não posso afirmar se é verdade mas........
 
luiz felipe em 23/03/2011 01:55:17
Neire, homicídio doloso e ainda com motivo fútil e banal agrava a pena, pois significa que ele não tinha "suas razões" para fazer o que fez, portanto, o que o MP quer é o mesmo que você, fazer com que ele fique o máximo de tempo na prisão. No entanto, a defesa deve cumprir o papel dela, pois mesmo que a população embalada pela mídia queira interferir, o fato é que toda história tem mais de um lado, inclusive esta.
 
Ana Maria em 22/03/2011 04:13:16
Não teve soco não teve nada... teve o chute que o seguraça deu ao rapaz cair ao chão....o segurança teve um infarte por estar fazendo força e faltou folego veja como ele se abaixa e afrouxa a gravata ...ele estava sem preparo para aquele esforço...quase igual ao jogador de futebol que veio a falecer no jogo....e quem quebrou a costela do rapaz, creio eu, pelo que vi no video, foi a massagem cardíaca fieta com IMPERÍCIA..... se o advogado de defesa trabalhar nesta tese ele derruma o MP.....Faltou defesa da vitima???com varios seguranças agarrando o (bad boy)
ali não foi usado nenhum golpe de arte marcial ou jiu-jitsu.
INFELIZMENTE A FAMÍLIA QUE PERDEU......
 
Gilmar candido em 21/03/2011 10:44:53
A JUSTIÇA SERÁ FEITA !
 
Mayara Gonçalves em 21/03/2011 09:31:00
Como essa justiça não é, definitivamente para os pobres.Esse negocio de qualificação, motivo futil, que absurdo..... O cara destrata um trabalhador que nesse caso é um garçon, se atraca com o segurança por se recusar a sair do bar, porque se tivesse saido conforme fora pedido isso não teria acontecido, briga la fora, derruba uma garota que infelizmente a mãe confia em sair com um cara desses, MATA o segurança e ainda o MP fala que é motivo futil, banal que ele nao teve como reagir....Hora isso é uma vergonha nacional... bem depende do poder aquisitivo da familia dele, que nesse caso tava se "divertindo" enquanto os outros estavam trabalhando pra pagarem seus estudos e levar o dinheiro pra familia no final do mês, sim porque se perguntarem se eles gostam de trabalhar a noite é claro que a resposta seria NÃO.....MP cuidado pra não chegarem ao nível dos Direitos Humanos
 
neire glaucia em 21/03/2011 07:39:21
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions