A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

29/03/2016 14:46

Mulher de 32 anos está internada com gripe suína em CTI particular

Natalia Yahn

Uma mulher de 32 anos, que não teve o nome divulgado, diagnosticada com H1N1 – vírus também conhecido como gripe suína – está internada no CTI (Centro de Terapia Intensiva) do Hospital Unimed, em Campo Grande. O caso dela é considerado grave e de alto risco de contaminação. Por isso, toda a unidade está em alerta e os funcionários do local foram orientados a usar equipamentos individuais de proteção (máscaras e luvas).

A Unimed, cooperativa que administra o hospital, informou em nota que “pacientes com quadros suspeitos de H1N1” estão internados na unidade, mas “trabalha com protocolos técnicos de atendimentos diferenciados para patologias transmissíveis, e a utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para segurança do paciente, funcionários e demais públicos, como é o caso de máscaras e luvas, é comum a todas as patologias”.

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informou que não foi notificada sobre o caso, o que pode acontecer após o tratamento da paciente, já que está internada em uma unidade particular.

Casos - Nos 76 primeiros dias do ano, ainda durante o verão, Mato Grosso do Sul já tinha registrado uma morte por H1N1, além de 60 casos notificados de outros tipos de influenza A, que inclui o vírus H3N2. Os casos foram registrados entre 1° de janeiro e 16 de março. Mas, a partir do dia 2 de fevereiro foram 45 casos notificados em 43 dias, passaram de 15 para 60 - aumento de 75%.

O paciente que morreu por conta da doença era de Corumbá, a 400 quilômetros de Campo Grande, onde o número de casos notificados chega a 44, o maior entre os cinco municípios que registram a doença até agora. O óbito por gripe aconteceu no mês de janeiro, pois no primeiro boletim epidemiológico da SES (Secretaria de Estado de Saúde), divulgado no dia 2 de fevereiro, o caso já aparecia como confirmado.

Na Capital são 11 casos notificados, Ponta Porã aparece com três, Caarapó e Ladário com um, respectivamente. O segundo boletim epidemiológico da SES – divulgado no dia 17 de março –, aponta que desde o início do ano até o dia 16 de março, 151 amostras foram encaminhadas para triagem no Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública). Foram cinco casos confirmados, quatro de H3N2 em Campo Grande e um de H1N1 em Corumbá.

No primeiro boletim eram apenas 15 casos notificados – um em Campo Grande e 14 em Corumbá. Além de 57 amostras avaliadas pelo Lacen, com quatro confirmações – três na Capital (de H3N2) e um em Corumbá (de H1N1). Desde 2009 até 2015 foram registradas 86 mortes por influenza A – 15 causadas por H3N2. Somente no ano passado foram sete mortes, uma delas por H1N1.

Vacinação - A Campanha Nacional de Imunização contra a influenza começa em Mato Grosso do Sul a partir do dia 30 de abril, quando também será o dia da mobilização conta a doença em todo o Brasil. A vacinação esta prevista para acontecer até o dia 20 de maio.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions