A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

10/11/2011 13:10

Mulher é suspeita de aplicar dois mil trotes nos serviços de emergência

Viviane Oliveira e Nadyenka Castro

A Polícia conseguiu identificar a mulher através de quebra de sigilo telefônico

Por dia o Ciops recebe cerca 3 mil ligações. (Foto: Simão Nogueira) Por dia o Ciops recebe cerca 3 mil ligações. (Foto: Simão Nogueira)

A Polícia investiga o caso de uma mulher que em outubro de 2010 e fevereiro de 2011 fez 1954 ligações para o Ciops (Centro Integrado de Operações de Segurança) 190 e 193 serviço de emergência da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. A informação é do delegado Márcio Rogério Faria Custódio.

Segundo ele, algumas vezes a mulher ligava e desligava em outras ela falava alguma coisa e o atendente identificava o trote. Segundo o delegado em outras ligações, como gestantes passando mal, incêndio eram tão convincentes que as viaturas foram nos locais indicados.

Outro caso é de um homem que entre maio e junho desse ano fez 562 ligações para o 193. A Polícia conseguiu identificar a mulher através de quebra de sigilo telefônico. O Ciops passa um relatório para a Polícia Civil que pede a justiça a quebra de sigilo. No último caso ainda não foi feita a quebra de sigilo, mas foi deferida.

Conforme o delegado Márcio, o crime nesse caso é de interrupção ou perturbação de serviço telegráfico ou telefônico. A pena é de um a três anos de prisão. “Esta pena pode ser dobrada quando o trote é passado em situação de calamidade pública”, destaca o delegado que nesses casos é quando está acontecendo uma calamidade e a pessoa insiste em passar trote.

Ele alerta que a Polícia está atenda a este tipo de crime e a pessoa que faz pode ser presa.

Todas essas ligações identificadas foram feitas de números de aparelhos celulares. O capitão bombeiro do Ciops Danilo Moreira Leite Santos, disse que encara o trote de duas maneiras, o trote tentado e consumado.

De acordo com o capitão, na maioria das vezes os atendentes conseguem detectar antes e não gera ocorrência. “Na dúvida se é trote ou não a gente atende e desloca a viatura para o local. O capitão explica que o percentual de trote consumado é muito pequeno, menos de 0,5% mês.

Segundo ele, esse baixo número é resultado de constantes treinamentos que os atendentes passam ao entrar no Ciops. “Os 20 atendentes entre bombeiros, Polícia Militar e Civil são treinados para identificar os trotes. Nós temos um curso intensivo que procura capacitar o pessoal”, afirma.

Todas as ligações que entram para o serviço 190 e 193 são gravadas. A primeira providência a ser tomada é quando os agentes identificam o trote e retornam a ligação para o número.

“Se for criança nos falamos com os pais sobre os trotes, no caso de adultos explicamos que a pessoa pode ser presa é que ele está prejudicando o serviço de emergência da Polícia”.

No caso de reincidência é feito um relatório e encaminhado para a delegacia da área para investigar o caso. O capitão ressalta que por mais que o trote ainda continua ele vem diminuindo ao longo do tempo.

“A Polícia Militar costuma trazer as crianças do Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência) para visitar o Ciops, a gente aproveita para conscientizar elas sobre a importância de não passar trote para os serviços de emergência”, finaliza o capitão.

Sesau e SES recolhem quase 10 toneladas de lixo no Jardim Noroeste
A ação de recolhimento de lixo realizada em casas e terrenos baldios no Jardim Noroeste - bairro localizado na regiões leste de Campo Grande - somou ...
Apae recebe doação de brinquedos da campanha Compartilhe o Natal
Foi iniciado nesta segunda-feira (11) a entrega de brinquedos arrecadados na campanha "Compartilhe o Natal", realizado pelo Ministério Público Estadu...
Ação oferece serviço especial na UBSF do Tarumã nesta terça-feira
A UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) do Tarumã promove nesta terça-feira (12) diversas atividades voltadas para a promoção de saúde da populaç...


Gente, ligar 1954 vezes passando trote em apenas dois meses é um absurdo! É absoluta falta do que fazer! Como adultos, em sã consciência, podem fazer uma coisa dessas??? Até uma criança, pode fazer umas dez vezes, mas se vc explicar, ela não fará mais. Agora, um adulto??? É inadmissível!!!!!!!!!!!!
 
Ieda Oliveira em 10/11/2011 09:50:30
po por que nao da pena alternativa para esta mulher, poe ela pra lavara as viaturas do bonbeiro por exemplo
 
franciso jose em 10/11/2011 05:57:04
Mas que falta de respeito, essas pessoas deviam pagar penas alternativas como trabalhos sociais para ocupar esse tempo e refletirem sobre o mau que causam a sociedade, é um absurdo passar trote, solicitar ajuda como forma de brincadeira, enquanto pessoas realmente precisam desse serviço podem não ser atendidas por causa de pessoas sem noção que ficam passando trote.
 
oswaldo viana em 10/11/2011 03:37:28
O que estas pessoas tem na cabeça?
A cada ação dos bombeiros e da policia, o custo é alto e envolve vidas... isto é um crime que deveria ser mais cobrado pela justiça.
 
Antônio Marcos Alencar em 10/11/2011 03:06:52
É gente que nao tem o que fazer.Porque nao vão arrumar o que fazer!Tem que prender esse bando de desocupado,vidas podem deixar de serem salvas por causa de gente assim.
 
Ariana Cristina Oliveira Pereira em 10/11/2011 02:59:40
Considero o CORPO DE BOMBEIROS MILITAR o melhor e mais eficiente serviço prestado a população. Agora tem uns malucos que não tem nada para fazer e ficam passando trotes ao CIOPS, tem que mostrar a cara destes vandalos(as) e cana neles.
Gente vamos denunciar quem passa este tipo de trote a PM e BOMBEIROS, a conta somos nós que pagamos.
 
Francisco de Araujo em 10/11/2011 02:31:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions