ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUINTA  27    CAMPO GRANDE 26º

Capital

No fim de ano, PM terá esquema de segurança em bairros com grande fluxo lojista

Como exemplo, comandante lista os bairros Aero Rancho, Tijuca, Moreninhas e Parati

Por Clayton Neves e Beatriz Magalhães | 02/12/2021 17:37
Viaturas novas que serão utilizadas na Operação de fim de ano (Foto: Beatriz Magalhães)
Viaturas novas que serão utilizadas na Operação de fim de ano (Foto: Beatriz Magalhães)

Com a proximidade das festas de fim de ano, período de intensa movimentação no comércio, a Polícia Militar montou esquema especial para reforçar a segurança em todas as cidades de Mato Grosso do Sul. Em Campo Grande, principal ponto lojista do Estado, as rondas serão intensificadas e descentralizadas para bairros

"Na Capital temos vários corredores comerciais que vão receber esse reforço”, explica o comandante da Polícia Militar do Estado, coronel Marcos Paulo Gimenez. Como exemplo, ele lista os bairros Aero Rancho, Tijuca, Moreninhas e Parati.

O reforço também será sentido no número de militares  e viaturas nas ruas. Enquanto no ano passado foram 23 veículos por dia nas ruas, em 2021 serão usados 53. Agentes escalados em setores também sairão do serviço interno para reforçar a segurança nas ruas. “Vamos convocar 220 sargentos que estão no curso de formação para que ajudem nesse período”, explica.

Em Campo Grande, entre 1.000 e 1.100 PMs prestarão serviço em turnos alternados, permitindo que o serviço seja desempenhado com capacidade operacional plena.”Nosso foco será a prevenção porque atuando assim, conseguiremos reduzir os índices de criminalidade”, finaliza.

A Operação Boas festas continua até a primeira semana semana de janeiro neste período, seguem normalmente as operações de rotina, inclusive, blitzes da Lei Seca.

“No ano passado superamos dificuldades e não só produzimos segurança, mas ajudamos a garantir saúde com a distribuição de vacinas e suporte aos bombeiros. Superamos aquele que talvez tenha sido o maior desafio da nossa vida que foi vencer a morte e a pandemia”, comentou o secretário estadual de Justiça e Segurança Pública,Antônio Carlos Videira.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário