A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

26/11/2013 09:16

Obra de drenagem transforma ruas em "lamaçal" e revolta moradores

Viviane Oliveira
Leila mostra o barro que se formou em frente a casa do sogro e no calçadão, local que os pedestres usavam para caminhar. (Foto: Marcos Ermínio) Leila mostra o barro que se formou em frente a casa do sogro e no calçadão, local que os pedestres usavam para caminhar. (Foto: Marcos Ermínio)

Uma obra de drenagem de água pluvial tirou o sossego da maioria dos moradores do Bairro Estrela do Sul, região Norte, em Campo Grande. O que era para ser comemorado se tornou um pesadelo, pois as ruas que eram asfaltadas se transformaram em barro e a obra que já começou há dois meses não tem prazo para terminar.

A drenagem do bairro é mais um serviço da Prefeitura que não tem prazo para acabar, assim como o Centro de Belas Artes, a Avenida Júlio de Castilhos e a obra para sanar de vez o problema de erosão na Avenida Ernesto Geisel.

Os moradores do Estrela do Sul dizem que a obra começou em setembro em quatro ruas do bairro e nos calçadões, que foram quebrados para a obra ser realizada. Em algumas ruas o serviço de drenagem já foi finalizado, mas o asfalto e as calçadas que foram quebradas ainda não foram refeitas pela empresa.

O atendente de telemarketing Leandro de Carvalho Roda, 28 anos, reclama que as ruas estão barreadas e em algumas delas não tem nem condições de sair a pé de casa. “O pior de tudo é que por conta do tempo chuvoso a empresa fica até duas semanas sem aparecer e a gente sofrendo com a poeira, rua esburacada e barro para todos os lados”, afirma.

O encarregado de pavimentação da Construtora São Luiz, João Batista de Oliveira, confirmou que as obras começaram em setembro e não tem prazo para terminar. Segundo ele a obra é do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), mas 10% ficou por conta da Prefeitura, que ainda não pagou.

Na manhã de quarta-feira (20), a equipe, de quatro a cinco pessoas, no máximo, estava na Rua Madame Butterfly, e os serviços iam ser paralisados por conta da chuva. “Nós ficamos 8 dias parados e prazo para terminar nós não temos”, confirma o encarregado.

A auxiliar de cozinha Leila Pereira de Oliveira, 44 anos, mora na região e cuida do sogro que reside na Rua Cavalheiro da Rosa. Ela reclama que até para sair de casa com carro é complicado. “O meu sogro é doente e precisa ir sempre ao médico. Por conta do barro que ficou na rua, quando chove meu marido tem dificuldade de encostar com o veículo no meio-fio”, lamenta.

A rua que era asfaltada ficou intransitável. (Foto: Marcos Ermínio) A rua que era asfaltada ficou intransitável. (Foto: Marcos Ermínio)
A obra que era para ser comemorada pelos moradores se tornou um pesadelo. (Foto: Marcos Ermínio) A obra que era para ser comemorada pelos moradores se tornou um pesadelo. (Foto: Marcos Ermínio)

A obra de drenagem de água pluvial é para evitar alagamento no bairro, que por ser mais baixo acaba recebendo a água dos bairros mais altos, com por exemplo, Coronel Antonino e Imperial. Apesar da demora, o encarregado de obras garantiu que todas as calçadas e o asfalto serão refeitos, mas não sabe dizer quando.

O titular da Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação), Semy Ferraz, disse que no total o valor da obra com a Construtora São Luiz é de R$ 17 milhões e que o pagamento ocorre depois do término do serviço. “Isso está no contrato, o encarregado de obra está equivocado, pois não existem esses 10%. A empresa primeiro faz o serviço para depois receber”, diz.

Ainda conforme o secretário, como construtora vai executar vários serviços o pagamento é realizado por etapa. “A obra não pode trazer transtorno para os moradores e tudo o que foi quebrado por conta do serviço, deve ser arrumado”, explica, acrescentando que toda empresa tem um prazo para entregar o serviço.

O titular da pasta garantiu que ainda hoje vai conversar com o fiscal de obra da região do Estrela do Sul para saber o que realmente está acontecendo.




bom dia gostaria que a equipe fosse ate minha casa na frente onde foram feitas as fotos. pois a maquina rachou toda a minha casa!!! procurei um responsável ele olhou e falou voltaremos para avaliar melhor... quero saber quem vai pagar esse prejuízo a empresa?á prefeitura? so marcar que mostr o estrago que a maquina fez!!!
 
elison carvalho em 27/11/2013 12:09:23
Realmente a situação esta muito difícil, principalmente para as crianças que utilizam o calçadão para ir a escola, quando chove fica intransitável.
Durante as obras os funcionários passavam a maior parte do tempo tomando tereré e conversando, enquanto apenas um dele trabalhava operado a maquina usada na obra.
Situação lamentável.
 
Fernanda Sousa da Silva em 26/11/2013 15:42:27
Pior ´´e o meu Bairro que ´´e o ATLANTICO SUL,que no ano passado, mandaram cartinhas dizendo que ia asfaltar e que jah tinha os recursos, na verdade eu acho que na prefeitura jah ate consta como asfaltada, mas ate hj ainda nao chegou o asfalto, mandei um e-mail para p vereador CARLAO CARA DE PAU,que so veio no meu bairro pedir foto e nunca mais veio, neh para ver se estava fazxendo mesmo o asfalto que ele disse que ele quem tinha conseguido, mas jah deisiti , um amigo meu que trabalha na camara disse que eles nunca respondem e-mail infelizmente quando ele vir no meu bairro pedir voto, pode ter certeza que ele vai tomar uma ovada bem no meio da cara TO INDIGNADO PELO DESCASO...
 
jose antonio em 26/11/2013 14:53:54
EU NAO ENTENDO ESSE POVO. SE ARRUMA A RUA PRA EVITAR ALAGAMENTO ACHA RUIM DO BARRO. SE NAO ARRUMA CAUSA ALAGAMENTOS. DAI NAO SEI O QUE O POVO PREFERE. ALAGAMENTO TODO ANO PRO RESTO DA VIDA OU LAMA POR 2 MESES. NAO SOU DO BAIRRO MAIS VEJO QUE VAO AGRADECER NO ANO QUE VEM QUANDO A CHUVA CHEGAR.
 
ricardo silva em 26/11/2013 13:19:00
Os serviços da terceirizada são totalmente mal feitos. A empresa abre o asfalto (no meio da rua) e o refaz mal e porcamente, com o nivelamento bem mais alto que o nível já existente da rua, gerando um caos que fica para o resto da vida e ninguém está preocupado com isso a não ser os moradores.
O correto é recapear a rua toda, a exemplo do Jardim Imá que está sendo concluído e o asfalto de péssima qualidade tem deixado as ruas esburacadas. Cadê os fiscais dessas obras?
 
Maria Angela em 26/11/2013 12:38:40
Não esta tão ruim assim, 240.0000 votos no Bernal, o zé povinho tem que por a cara a pau.
 
eraldo a bento em 26/11/2013 12:08:07
FALTA DE PLANEJAMENTO, FALTA DE VONTADE, FALTA DE ESTRUTURA E MUITA FALTA DE RESPEITO...MAS, COMO DIZ NÉ....AS PESSOAS EM PRIMEIRO LUGAR!!!
 
Marcelo Mattos em 26/11/2013 11:56:22
realmente a situação esta dificil,moro a uma quadra da obra,e qnd chove todo esse barro vem parar na porta de casa,e as crianças p irem a escola precisam passar por ali tb,ficam todas sujas,e qnd esta seco,a poeira é insuportável,ta demorando mt p ficar pronto!!!
 
lucinara rodrigues em 26/11/2013 10:46:26
É, a situação está trágica mesmo. Já caí duas vezes nessa lama tentando passar para o outro lado da rua, pois dependendo de onde o morador está e para onde precisa ir ele tem que passar por essa bagunça. Se não, é necessário fazer A VOLTA para chegar onde precisa.
 
Geane Fernandes em 26/11/2013 10:31:30
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions