A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

24/07/2012 17:44

Onze anos depois, Autódromo de Campo Grande segue como "abacaxi" judicial

Aline dos Santos

No mês passado, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) anulou a posse imediata pela prefeitura

Autódromo motiva polêmica desde 2001. (Foto: Marcelo Victor)Autódromo motiva polêmica desde 2001. (Foto: Marcelo Victor)

Inaugurado em 2001, em meio a uma polêmica judicial, o Autódromo Internacional de Campo Grande está prestes a fazer 11 anos em agosto ainda como um "abacaxi" judicial.

No mês passado, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) anulou a posse imediata pela prefeitura, que desde então aguarda a publicação da decisão. “O acórdão vai nos informar como ficou a decisão, modular os efeitos práticos”, afirma o procurador Valdecir Balbino da Silva.

Em 2009, o TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) decidiu que a posse do autódromo era da prefeitura, mas a massa falida, dona do empreendimento, recorreu.

Agora, o STJ mandou que o processo voltasse a tramitar na Justiça estadual, com direito de participação da massa falida. Conforme o procurador,deve ser aberto prazo para que a empresa se manifeste. O Campo Grande News entrou em contato com o escritório Wald, que representa o autódromo no processo no STJ, mas a defesa não quis falar.

Posto está lacrado aguardando empresa que venceu licitação (Foto: Minamar Júnior)Posto está lacrado aguardando empresa que venceu licitação (Foto: Minamar Júnior)

Novela - O autódromo motiva briga judicial desde 2001. Um dos pontos mais controversos foi a concessão de cinco áreas públicas em canteiros para instalação de postos de combustíveis da Petrobras.

Os canteiros ficam na avenida Mato Grosso, no Parque dos Poderes; na Gury Marques, saída para São Paulo; na saída para Três Lagoas, na entrada do bairro Maria Aparecida Pedrossian; na saída para Rochedo; e saída para Cuiabá.

À época, foram apontados inexistência de estudo de impacto ambiental e inconstitucionalidade da lei municipal que autorizou a concessão das áreas. Dois anos depois, em 2003, a empresa administradora do autódromo abriu falência.

Em 2009, o TJ devolveu os postos e o autódromo para a prefeitura.

De acordo com o procurador, a decisão sobre os postos em canteiros não tem relação com a sentença do STJ.

Segundo ele, os postos estão fechados, atualmente, porque a Petrobras conseguiu mais prazo para retirar os tanques de combustíveis. A prefeitura já fez licitação e a Ipiranga vai assumir os postos.

Nelsinho nega falta de interessados em explorar postos em canteiros
Segundo prefeito, artigos em edital dificultaram processoO prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB), negou que não houveram interessados e...
Trad defende postos em canteiros e critica ignorância
Sem detalhar os benefícios que trará para Campo Grande, o prefeito Nelsinho Trad (PMDB) defendeu a licitação para explorar postos de combustíveis em ...
Prefeitura licitará 5 postos em canteiros
A prefeitura de Campo Grande vai encaminhar, na próxima segunda-feira, um pedido à Camâra Municipal para que os vereadores autorizem a abertura de li...


resumindo quem sai perdendo é a população de campo grande ... é tomara que eu esteja vivo pra ver o desenrrolar dessa briguinha
 
wellington luxemburgo em 24/07/2012 11:02:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions