A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

05/10/2013 17:55

Para funerárias, novo cemitério público custará menos do que crematório

Vinícius Squinelo

Para as funerárias de Campo Grande, um novo cemitério público na cidade seria mais bem vindo do que um crematório, que pode ser criado na cidade. Segundo as empresas, um crematório exigiria um investimento três vezes maior, e ainda poderia ficar ocioso, além de gerar uma série de problemas técnicos.

Conforme Ilmo Cândido, consultor funerário e homem à frente da reestruturação da Aepaf/MS (Associação das Empresas de Pax e Funerárias de Mato Grosso do Sul), o setor espera que a possível instalação de um crematório público na Capital seja discutido mais amplamente, com as funerárias participando, o que ainda não ocorreu.

O consultor explica alguns entraves para a implantação do crematório, como questões legais. Em alguns casos a pessoa não pode ser cremada, como em um uma morte violente, que depende de autorização judicial. Além disso, o município não tem um IML (Instituto Médico Legal) adequado, o que dificultaria a emissão de autorizações para cremar”, explicou.

Candido ainda exemplifica, afirmando que só existe um crematório público no Brasil, em São Paulo (SP). Na capital paulista são entre 380 e 500 óbitos por dia, e mesmo assim o crematório não é usado todos os dias. Já na capital sul-mato-grossense são cerca de 350 mortes a cada 30 dias, o que poderia resultar em um crematório ocioso.

“Um crematório público exigiria um investimento alto, três vezes maior do que um novo cemitério, para atender uma minoria”, defendeu Candido.

Proposta – Para o consultor, um cemitério público novo e moderno seria bem mais adequado à realidade campo-grandense, podendo atender um número bem mais alto de pessoas, com um custo menor para implantação.

Mesmo assim, as funerárias esperam que se faça um estudo amplo e detalhado das condições da cidade.

Polêmica - A Câmara de Campo Grande adiou para a próxima terça-feira (8) votação do recurso contra o parecer da Comissão Permanente de Legislação, Justiça e Redação Final, que teve três votos contrários e dois favoráveis, ao Projeto de Lei n° 7.458/13, de autoria do vereador Eduardo Romero (PT do B), que autoriza a criação de crematórios públicos, fornos e incineradores em Campo Grande-MS. O recurso está previsto no art. 43 da Lei Orgânica do Município (LOM).

A comissão, por maioria, considerou “inconstitucional” o projeto, que foi sugerido por entidades da sociedade civil, como Associação dos Aposentados, Fórum do Meio Ambiente, Fórum da Cidadania, Cedampo e Abccon. Na última terça-feira, os vereadores Eduardo Romero, Elizeu Dionízio (PSL) e Grazielle Machado (PR) cobraram que fosse demonstrada a inconstitucionalidade, alegada por Edil Albuquerque e Paulo Pedra, ambos do PMDB.



Espero que aprovem o crematorio na nossa cidade, pois eu quero ser cremada, e me preocupo com os gastos que minha família teria prá me levar daqui para são paulo.
Bete MartinesRdrigues - 06 out.2013.
 
Elizabete Martines Rodrigues em 06/10/2013 10:56:24
acho que este crematório ia ser um serviço mais barato e ia tirar o cartel que existe nestas pax aqui da capital, dando um serviço mais humano e de baixo valor ao publico em geral,pois eu acredito que ia vir gente ate mesmo de outros municipios para fazer uso do crematorio.
 
marcos torres em 06/10/2013 10:49:14
As funerárias não querem deixar de lucrar, por isso são contra. Um crematório seria uma evolução para a cidade, e deixar como está, nas mãos desses papa-difunto, é um retrocesso mesmo.
 
Antonio B. Silva em 06/10/2013 10:46:16
R E T R O C E S S O !
 
CLAUDIO MOREIRA em 06/10/2013 06:49:51
Está mais do que evidente que as funerárias são contra o crematório por razões financeiras,elas perderão receita.Porem o mais lógico e higiênico é a cremação.Que os vereadores sejam conscientes e votem a favor do crematório,a população agradece.
 
Paulo Ramos em 06/10/2013 05:27:34
Se eu fosse dono de funerária, também seria contra a criação de um crematório público, afinal de contas, o cremado não vai precisar de caixão...
 
Moacir R. Souto Jr. em 05/10/2013 22:47:02
Claro que não tem vantagem, porque crematorio não cobra terreno em cemiterio ne funerárias.
 
Gleison Alessandro em 05/10/2013 21:24:18
Eu sou a favor de um crematorio. Essas pax sao contra por que eles querem é vender caixão!
 
stelah cunha em 05/10/2013 20:54:25
com crematório não terá mais porque pagar as mensalidades em cemitérios particulares para manutenção haja vista que é um compromisso vitalício, com certeza alguns não vão querer.
 
wagner briez umar em 05/10/2013 20:38:04
PESSOAS DO CAMPO GRANDE NEWS, OBRIGADA POR RESPONDEREM A MEU QUESTIONAMENTO!! AGRADEÇO PELA ATENÇÃO E PARABÉNS PELO TRABALHO DE VOCÊS!
 
jucilene de oliveira dias em 05/10/2013 20:34:29
As empresas estão criando obstaculos. Tem uma parcela da população que quer sim ter a possibilidade de cremação, mas não tem opções para tal. Principalmente é legal para pessoas com pouca familia aqui, originando de outros lugares. Pois é muito mais viavel transportar uma urna do que um morto.
Sem falar que um novo cemiterio resolve só por pouco tempo, e ainda causando serios problemas ambientais, já que o numero de pessoas a ser enterrado em campo Grande ja é grande, enquanto um crematório pode ser uma solução por muito tempo. Mas estas empresas cobram caro a falta de oferta, e com um crematório que ainda pode ter capacidade ociosa temem que perdem o lucro fácil.
Para o problema com mortos violentos: são poucos em relação ao total, em outros lugares isso também não é considerado problema.
 
Marcos da Silva em 05/10/2013 20:25:47
A maioria da população prefere o crematório. É lógico que os papa-defuntos serão contra, afinal é uma fatia a menos no lucro deles. Não respeitam nem mesmo as piores horas de uma familia e agora vem dar pitaco ande não devem. Pergunte a população, esta sim tem direito a escolha. Era só o que faltava, se meterem até na morte da gente. Tenha paciencia.
 
Jose Batista em 05/10/2013 20:07:23
è preciso investir em obras que atendam as deficiencias imediatas e nao em obras eleitoreiras, vejo o crematorio como obra para aparecer, pois sua utilização sera muito restrita, até porque a cultura do povo ainda nao recebe muito a ideia de cremação.
Ja um novo cemiterio é uma necesidade urgente, quem conhece a situação sabe que os 3 cemiterios municipais estao com sua capacidade maxima utilizada.
 
joao gaspar em 05/10/2013 19:47:25
Com certeza eles devem ser muito contrários a tudo que lhes cause prejuízos pois exploram o momento mais triste da família, quem ainda não passou por um . Ate quando vamos poluir o subsolo, daqui a pouco teremos que verticalizar cemitérios.
Temos que evoluir nisso também.
 
jota meneli em 05/10/2013 18:13:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions