A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

09/10/2014 13:29

Para proteção pessoal, oficiais de justiça querem andar armados

Luciana Brazil
Várias palestras fazem parte da programação do congresso. (Foto: Divulgação)Várias palestras fazem parte da programação do congresso. (Foto: Divulgação)

Temendo pela segurança pessoal, oficiais de justiça lutam para que seja aprovado um Projeto de Lei, que já tramita no Congresso Nacional, que autoriza o porte de arma para estes profissionais. O tema será discutido no 7° Conojaf (Congresso Nacional dos Oficiais de Justiça Avaliadores Federais) que acontece até amanhã em Campo Grande.

Conforme a categoria, o risco de vida no exercício de suas funções é diário, sendo comum ofensas, agressões físicas e até assassinatos destes profissionais.

Responsáveis por levar pessoalmente ao jurisdicionado ordens e atos oriundos de sentenças, despachos judiciais e acórdãos que resultam em mandados de prisão, de penhora, avaliação, intimação, desocupação, reintegração, busca e apreensão, entre outros, os oficiais de justiça nem sempre são bem recebidos pela população.

"Não temos dúvida de que com o porte de armas, o oficial de justiça correrá menos risco de vida no exercício de suas funções. Ele está sozinho no seu dia a dia e no campo, onde o perigo é maior. É preciso que o parlamento aprove esse projeto de lei que autoriza definitivamente esse profissional andar armado no trabalho", afirmou Hebe-Del Kader Bicalho, presidente da Fenssojaf (Federação Nacional das Associações dos Oficiais de Justiça Avaliadores Federais), que está em Campo Grande para a realização do congresso.

Ainda nesse encontro, profissionais de todo o Brasil discutem os sérios problemas de saúde em que os oficiais de justiça são acometidos devido à tensão das atividades.

O presidente da Associação dos Oficiais de Justiça Avaliadores Federais de Mato Grosso do Sul (ASSOJAFMS), José Ailton Pinto Mesquita Filho, garantiu que doenças como depressão, hipertensão e outras, são comuns nesse meio profissional.

"Precisamos garantir melhores condições de trabalho dos nossos profissionais em todo o Brasil", afirma ele.
José Ailton afirmou também que "nós, oficiais de justiça precisamos entender o que acontece em todo o território nacional sobre a nossa atividade e precisamos mostrar, não só aos demais colegas servidores, mas às autoridades do Judiciário, que somos servidores qualificados, com curso superior, bacharéis em direito".

Congresso- Com o tema principal “O oficial de justiça avaliador federal como elemento dinamizador do judiciário”, o congresso segue até amanhã. A programação conta com diversas palestras de profissionais renomados. O evento é realizado pela Fenassojaf e Assojaf /MS.

Amanhã, no terceiro e último dia do congresso, trabalhos pela manhã, das 9h às 13h, ficarão por conta da Fenassojaf. À tarde, das 15h às 16h, o tema “Oficial de justiça- Projetos e Possibilidades: Aposentadoria especial e PEC 414/2014 (Função essencial à justiça)” será abordado por Hebe-Del Kader Bicalho, presidente da Federação.

As inscrições podem ser feitas pela internet: www.fenassojaf.org.br. Mais informações sobre a programação podem ser obtidas pelo e-mail conojaf@fenassojaf.org.br ou pelo telefone: (67) 9976-4519.

 

Congresso reúne oficiais de justiça de 8 a 10 de outubro
De 8 a 10 de outubro, Campo Grande será sede do 7º Congresso Nacional dos oficiais de justiça avaliadores federais, que terá como tema principal “O o...
Terminal rodoviário de Campo Grande oferece cartões de Natal gratuitos
A rodoviária de Campo Grande, mais um ano, oferece gratuitamente cartões de Natal gratuitamente para os passageiros que passarem pelo local até o pró...
Universidade do MS recebe certificação de excelência em gestão
Será recebida pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) em solenidade que acontece na próxima segunda-feira (18) o certificado de excelência em ges...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions