A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

29/08/2013 07:23

Pela segunda vez, Justiça nega habeas corpus para ator preso em manifestação

Evelyn Souza
Ator está preso no Centro de Triagem. (Foto: Marcos Ermínio)Ator está preso no Centro de Triagem. (Foto: Marcos Ermínio)

A Justiça negou novamente o pedido de habeas corpus para Eduardo Miranda Martins, de 28 anos, preso durante manifestação em Campo Grande.

A liminar pedia para que os crimes de dano ao patrimônio público e tráfico de drogas fossem desclassificados para crime de porte para consumo de pessoa. Na última semana, o Tribunal de Justiça entendeu que “mostra-se incabível a discussão acerca da desclassificação do crime de tráfico de drogas para porte de drogas para consumo pessoal”, sendo “ impossível cogitar-se da liberdade provisória”.

Eduardo é o único manifestante que permanece preso. Ele está detido no Presídio de Trânsito desde o dia 24 de junho.
Segundo a Polícia, ele foi flagrado durante o primeiro dia de manifestação com 23 papelotes de cocaína e uma porção de maconha na mochila.

O ator foi abordado depois de tentar invadir a Câmara Municipal de Campo Grande, enquanto Guardas Municipais faziam o cordão de isolamento.

Junto com ele foram presas mais cinco pessoas: O promotor de vendas, Vagner Moreira de Almeida de 24 , o operador de máquinas, Carlos Henrique Aguiar da Silva de 22, o cabeleireiro Allan Bruno de Almeida Vasques de 18 anos e repositor de mercadorias, Nelison Rodrigo Cabral da Silva, de 19 anos e o eletricista, André Luiz Silva Costa, de 30 anos.

Todos já estão em liberdade e respondem por dano qualificado contra o patrimônio público.

No dia 28 de junho o governo do Estado divulgou uma nota esclarecendo que Eduardo continua preso porque também responde por tráfico de drogas, que é inafiançável.

 



Sandro Oliveira, quem deve estar de brincadeira é você! Como você pode ter tanta certeza disso? Em que país você vive? Quer dizer que a polícia aqui no Brasil não faz esse tipo de coisa, né? Acorda rapaz! O cara estava há anos batendo de frente com os coronéis e pagou o preço disso. O fato dele já ter usado cocaína não significa que ele era viciado, muito menos traficante! Quem conhece ele, muito diferente de você, sabe disso! Acho bom você se informar melhor em que circunstâncias esse rapaz foi preso. Existem i númeras testemunhas que presenciaram a abordagem da polícia, que só depois de afastá-lo da manifestação, resolveu revistá-lo e apareceu com esses papelotes. A prisão só foi comunicada uma semana depois. E mais um monte de estranhesas que ocorreram. Vai se informar antes de acusar.
 
João Campos em 30/08/2013 16:50:17

O SEGUNDO HC ESTÁ CONCLUSO AO RELATOR, OU SEJA, SOB ANÁLISE DO MAGISTRADO - ASSIM, NÃO FOI JULGADO AINDA.
Além do mais a liminar deste segundo HC, nem cogitou a "descaracterização para crime de uso", mas sim o IN DUBIO PRO REO. Para confirmar isso, basta consultar o site do TJ/MS e ter a informação oficial - ESTE PROCESSO É PÚBLICO - ou consultar os advogados do caso, Rogério Batalha Rocha e Arnaldo kalil Molina; bem como, os advogados da Comissão de Direitos Humanos da OAB.
 
Isabela Saldanha em 29/08/2013 11:44:06
Acorda povo, vocês também devem estar de brincadeira achando que esta droga foi colocada na mochila dele, é mais fácil acreditar que um servidor da segurança publica do estado anda com 23 papelotes de cocaína!, ele mesmo já confessou que é usuário, oque eu acho estranho é ninguém ter citado o fato de ele ter concorrido a vaga de vereador no ano passado e curiosamente acabar a campanha sem ter pago ninguém, mesmo tendo recebido recurso para isto.
 
sandro oliveira em 29/08/2013 10:51:20
Até quando vão ficar usando esse rapaz de bode expiatório, dizendo que ele tinha drogas na mochila!!!!Chega né!!!!
 
Rosilene Magalhães em 29/08/2013 08:05:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions