A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 16 de Janeiro de 2018

16/02/2014 11:15

Pode parecer detalhe, mas 1 hora a "menos" no dia faz toda diferença

Viviane Oliveira
Para os amigos que trabalham juntos, 1h a menos significa prejuízo. (Foto: Cleber Gellio) Para os amigos que trabalham juntos, 1h a menos significa prejuízo. (Foto: Cleber Gellio)

Pode parecer um detalhe, mas para o pedreiro Alíbio Borges, 42 anos, 1 hora a menos significa prejuízo, isso porque, com horário de verão o trabalhador chega a ganhar R$ 40 a mais por dia. Em vigor desde o dia 20 de outubro do ano passado, o horário de verão terminou a meia-noite de hoje (15) e os relógios foram atrasados em uma hora em Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Mato Grosso, Goiás, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e o Distrito Federal.

Em Campo Grande as opiniões se dividem, tem gente que gosta do horário de verão porque o dia rende mais, outros preferem o horário normal, pois a noite é mais longa.

Alíbio e o amigo Ednei Gonçalves da Silva, 43, que também é pedreiro, contam que no horário de verão começam a trabalhar 7h, param para o almoço e depois retornam e vão até às 20h. Já no horário vigente os trabalhadores costumam parar às 17h. “Começa a escurecer e o trabalho não rende”, justificam.

Para a porteira Maria Inês Moreira, 48, que entra no serviço às 6h da manhã, hoje foi dia de dormir mais. “Acordei 1h mais tarde, o que faz toda a diferença em um domingo de trabalho”, diz, acrescentando que prefere que as noites sejam mais longas.

A comerciante Cléo Nogueira, 66, prefere o horário de verão, pois fatura mais no final do mês, mas afirma que por outro lado também gasta mais. “A concessionária de energia diz que economiza, mas acho que a conta não está certa, pois a gente gasta com ventilação e ar-condicionado”, destaca.

Correndo para não chegar atrasada na igreja, a merendeira Marina Rodrigues, 32 anos, se empolgou com o tempinho mais fresco e dormiu demais. “Tirei o atraso”, conta Marina segurando a mão do filho de 5 anos.

Economia - Segundo a Enersul, os 9.722 megawatts economizados superaram em 12% o esperado para o período. O montante corresponde ao consumo das cidades de São Gabriel do Oeste e Jardim, que têm juntas 45.824 habitantes. A redução do consumo no horário de pico, das 18h às 21 horas, também foi grande, mas não superou as expectativas e gerou uma economia de 4,2%. O esperado era que o montante chegasse a 4,5%.

Horário de verão chega ao fim, mas consumidor deve poupar energia
Depois de quase quatro meses, chega ao fim o horário de verão 2013/2014. À meia-noite de hoje (15), os relógios devem ser atrasados em uma hora nos e...
Horário de Verão em MS economizou energia para manter duas cidades
Chega ao fim na noite deste sábado (15) o Horário de Verão no Centro-Oeste, Sudeste e Sul do país. Segundo a Enersul, os 9.722 megawatts economizados...
Horário de Verão gerou economia de 4,2% no Estado, diz ONS
Os quase quatro meses de Horário de Verão em Mato Grosso do Sul geraram uma economia de 35 megawatts, a redução em relação a demanda habitual foi de ...


graças a Deus que chegou o fim do horário de verão, eu acordei tão bem hoje, prefiro o horário normal.
 
sueli amorim em 17/02/2014 09:58:32
Gente,naturalmente mesmo que não houvesse o horário Verão durante o verão os dias são mais longos,independente ou não de haver horário de verão,enquanto que no inverno a noite é mais longa que o dia é a natureza que o homem não pode alterar.
 
antonio costa em 17/02/2014 09:14:03
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions