ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SÁBADO  19    CAMPO GRANDE 17º

Capital

Polícia apura se há conexão entre assassinatos de estudante de MS e enfermeiro

Os dois jovens eram da área da saúde e moravam sozinhos, em endereços que são relativamente perto

Por Anahi Zurutuza | 08/05/2021 12:30
Marcos Vinício Bozzana da Fonseca, de 25 anos, em foto divulgada em rede social (Foto: Facebook/Reprodução)
Marcos Vinício Bozzana da Fonseca, de 25 anos, em foto divulgada em rede social (Foto: Facebook/Reprodução)

A Polícia Civil do Paraná está investigando se o assassinato de Marcos Vinício Bozzana da Fonseca, de 25 anos, campo-grandense que estudava Medicina em Curitiba (PR), tem conexão com o homicídio de enfermeiro, também na capital paranaense. A imprensa e os “detetives” da internet já levantam a suspeita de que serial killer estaria agindo na cidade e atraindo vítimas por meio de aplicativos de encontros.

O estudante de Mato Grosso do Sul foi encontrado morto na tarde de quarta-feira, dia 5, oito dias depois que o corpo do enfermeiro, David Levisio, de 30 anos, foi achado com marcas de violência no apartamento em que morava.

As semelhanças entre os casos foram listadas por jornais online e programas jornalísticos em emissoras de televisão de Curitiba. Os dois jovens eram da área da saúde e moravam sozinhos, em endereços que são relativamente perto – Marcos Vinício no Bairro Portão e David, na Vila Lindóia. Ambos seriam ainda usuários de aplicativo de relacionamento.

Apresentador do Balanço Geral de Curitiba fala sobre a distância entre apartamentos das duas vítimas (Foto: Ric Mais/Reprodução)
Apresentador do Balanço Geral de Curitiba fala sobre a distância entre apartamentos das duas vítimas (Foto: Ric Mais/Reprodução)

A hipótese de que os dois tenham sido vítimas do mesmo assassino foi levantada, por exemplo, pelo programa Balanço Geral, que foi ao ar nessa sexta-feira (7), na emissora Ric Mais, afiliada da Rede Record.

A RPC de Curitiba, afiliada da Rede Globo, informou que a polícia está apurando se há relação entre os dois casos, embora detalhes não tenham sido divulgados. As duas mortes são investigada pela DHPP (Delegacia de Homicídios) de Curitiba. O Campo Grande News tentou falar com o delegado Thiago Nóbrega neste sábado (8), mas a informação na unidade é que ele só estará por lá na segunda-feira (10).

David Levisio, enfermeiro que foi encontrado morto no dia 30 (Foto: Facebook/Reprodução)
David Levisio, enfermeiro que foi encontrado morto no dia 30 (Foto: Facebook/Reprodução)

Estudante de MS - Marcos Vinício cursava Medicina na PUC (Pontifícia Universidade Católica) do Paraná desde 2017.

Segundo o delegado responsável pelo caso, não havia marcas de luta no apartamento, mas a suspeita é que o rapaz tenha sido asfixiado com um cobertor ou por esganadura. “Já ouvimos diversas testemunhas e estamos aguardando laudos e analisando imagens de câmeras de segurança”, informou à reportagem ontem.

O estudante campo-grandense foi velado e sepultado na tarde dessa sexta-feira (7) em Campo Grande. A despedida aconteceu no Cemitério Jardim das Palmeiras, em uma cerimônia restrita a família. Muito abalados, parentes de Marcos preferiram não falar com a imprensa por enquanto.

Enfermeiro paranaense – Já David, natural de Londrina, no norte do Paraná, atuava na área da saúde há dois meses na capital. Ele foi encontrado com as mãos amarradas e sinais de tortura. Ele também pode ter sido sufocado até a morte.

O corpo foi localizado no dia 30, depois que amigos estranharam o sumiço do rapaz, que desde 27 de abril não respondia mensagens ou atendia o celular.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário