ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUINTA  18    CAMPO GRANDE 16º

Capital

Polícia suspeita de latrocínio no caso de homem morto em terreiro

Michael Morgan Noronha Andredoli foi encontrado morto estrangulado com fio de ventilador na casa onde vivia

Por Viviane Oliveira e Bruna Kaspary | 31/07/2018 09:52
Casa onde a vítima vivia e trabalhava na Vila Piratininga  (Foto: Saul Schramm)
Casa onde a vítima vivia e trabalhava na Vila Piratininga (Foto: Saul Schramm)

A Polícia Civil trabalha com as hipóteses de latrocínio e homicídio no caso do umbandista Michael Morgan Noronha Andredoli, 57 anos, morto seminu e estrangulado com fio de ventilador nesta segunda-feira (30), na casa onde vivia, na Avenida Manoel da Costa Lima, na Vila Piratininga, em Campo Grande. Alguns objetos da residência - celular e notebook - foram levados pelo autor.

Conforme o delegado Hoffman D'Avila, plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga, fazia 12 horas que a vítima havia sido morta quando foi encontrada. O corpo já estava em rigidez cadavérica. “Ainda não há nenhum suspeito. A circulação de pessoas na casa era intensa”, explica. Quanto à vítima ter sido encontrada seminua, o delegado disse que somente exame irá apontar se houve relação sexual antes do crime. 

Ainda de acordo com o delegado, considerando vários aspectos, dentre eles a profissão dele e a forma em que o corpo foi encontrado, a hipótese de suicídio foi descartada. Na casa, funcionava um terreiro de umbanda. A vítima fazia trabalhos espirituais, segundo relatos do filho dele de 30 anos à polícia.

Dona de um restaurante na região, Elza Domiciano, 50 anos, conhecia a vítima há 20 anos. Ela contou que ontem (30) por volta das 12h30 foi a última vez que viu o amigo. “As vezes ele ligava dizendo que não estava bem. Que não viria almoçar. Eu, então, vinha trazer o marmitex aqui”, relembra.

Amiga da vítima há 20 anos conta que viu Micahel pela última vez ontem por volta do meio-dia (Foto: Saul Schramm)
Amiga da vítima há 20 anos conta que viu Micahel pela última vez ontem por volta do meio-dia (Foto: Saul Schramm)

Ela relata ainda que há dois meses o amigo comentou que tinha um cara que tentou invadir a casa dele para roubar usando uma barra de ferro, mas depois não comentou mais sobre ameaça ou roubo. “Ele era muito apegado a família e atendia com hora marcada”, diz Elza.

Outro vizinho, Jean Carlos Ramiro, 30 anos, contou que todo o dia avistava Michael tirando o carro do quintal. “Ele era discreto. Ontem, por volta das 20h, a filha apareceu na casa o procurando, mas como ninguém atendeu ela foi embora”.

Caso - Michael foi encontrado morto seminu e estrangulado com fio de ventilador às 22h50 de ontem (30) na casa onde vivia e trabalhava. Estranhando a ausência do pai, o filho dele foi até a casa e se deparou com a cena do crime. Ele disse à polícia, que não tem ideia de quem cometeu o crime, pois o pai recebia muita gente na residência.

Nos siga no Google Notícias