A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

08/09/2015 09:59

Por lote da reforma agrária, sem-terra andam 80 quilômetros a pé

Viviane Oliveira
Manifestantes caminhando pela Rui Barbosa sentido ao prédio do Incra, que fica na Rua 25 de Dezembro. (Foto: Fernandes Antunes) Manifestantes caminhando pela Rui Barbosa sentido ao prédio do Incra, que fica na Rua 25 de Dezembro. (Foto: Fernandes Antunes)

Um grupo de sem-terra a pé e em carreata percorrem ruas de Campo Grande nesta manhã (8), em direção ao prédio do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), onde entregam pauta de reivindicações pedindo a aceleração da reforma agrária em Mato Grosso do Sul. Durante o trajeto, os manifestantes ocupam duas faixas sentido centro. A Guarda Municipal e Agetran (Agencia Municipal de Transito) acompanham a marcha.

Eles são do acampamento Estrela Cinco e saíram no sábado de Nova Alvorada do Sul sentido Campo Grande. No total, os manifestantes andaram cerca de 80 quilômetros a pé. Com apitos e faixas pedindo a reforma agrária, o grupo também pede apoio aos indígenas. “A gente está fazendo esse movimento sem ajuda de ninguém, estamos com a cara e a coragem”, destaca o presidente do MTR (Movimento dos Trabalhadores Rurais), Ednaldo Menezes.

No Estado, são 28 municípios com acampamentos e milhares de famílias esperando por assentamentos, reclama Rodionei Merlim Coutinho, coordenador da Coalizão dos movimentos sociais. “Queremos mostrar para a sociedade que a reforma agraria está parada. A presidente Dilma Rousseff (PT) não olha para os pobres, apenas para os grandes produtores”, reclama. Os manifestantes também pede que um servidor assuma a superintendência do Incra e não um indicado político.

Integrantes do MAF (Movimento da Agricultura Familiar), MAC (Movimento da Agricultura Camponesa), MSTB(Movimento Sem Terra Brasileiro), FNL (Frente Nacional de Luta), MAR (Movimento Agrário Rural) e MLPT (Movimento de Luta pela Terra), participam da manifestação. O MST (Movimento Sem-terra) não participa da marcha.

Via sacra - O grupo saiu na madrugada de sábado de Nova Alvorada do Sul. Depois de bloquear a passagem de veículos por cerca de 20 minutos, em pedágio da BR 163 em Anhanduí, chegaram no fim da tarde em Campo Grande, onde acamparam na BR 163, próximo ao posto Locatelli. Os manifestantes informaram que vieram em seis ônibus, oferecidos pela CCR MSVia. 




Podiam ir pra Síria lá tem muita terra, o povo de lá tá desocupando o local
 
Simplificador em 08/09/2015 10:55:15
Por que não andam a pé até Brasília?
 
Cyro Escobar Ribeiro Neto em 08/09/2015 10:28:21
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions