ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  28    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Por terem feito benfeitorias, ocupantes se dizem no direito de viver em lotes

Bruno Chaves e Graziela Rezende | 22/10/2013 13:59
Vizinhança acompanhou reintegração de posse (Foto: Marcos Ermínio)
Vizinhança acompanhou reintegração de posse (Foto: Marcos Ermínio)

Moradores que ocupam os loteamentos Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora das Graças, região da Vila Nasser, em Campo Grande, se dizem detentores do direito de residirem no local por terem feito benfeitorias na região. Eles contam que habitaram o local há cerca de dois anos e chamaram até um topógrafo da prefeitura para nomear as ruas.

Nesta terça-feira (22), três oficiais de justiça, policiais militares e a procuradora Janete Leite, proprietária da área, foram à região acompanhar a reintegração de posse de um terreno onde mora Eli Bruno, 45 anos, que ocupa um lote há um ano e meio.

Eli e vizinhos afirmam que a família – formada por quatro pessoas – é retirada da residência sem notificação e liminar de despejo. Eles também afirmam que Janete não aceita negociação nenhuma.

“Já chegamos a oferecer R$ 30 mil em espécie e ela não quer”, disse Eli. A auxiliar administrativa Simone Borba, 27 anos, também mora no loteamento há um ano e meio e diz que Janete não fez nenhuma benfeitoria na região e, até o início deste ano, não pagava os impostos.

“Se você for à prefeitura vai ver que a maioria dos terrenos aqui tem impostos e as contas de água e luz em nome dos moradores. Ao todo, 300 famílias dos dois bairros entraram com ação conjunta na Justiça para poder morar aqui. O advogado que passou essas informações”, disse Simone.

Sobre a saída de Eli da casa, a população se demonstrou solidária. O rapaz disse que não tem para onde ir e terá que morar de aluguel. Já os vizinhos, ofereceram abrigo para a família. A advogada do morador tenta adiar a demolição.

Nos siga no Google Notícias