A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

18/03/2011 15:36

Posto de Saúde usa papelão para “engessar” trabalhador acidentado

Aline Queiroz

Paciente reclama da falta de estrutura da saúde pública

José saiu de posto de saúde com papelão para imobilizar o braço. (Foto: Arquivo Pessoal).José saiu de posto de saúde com papelão para imobilizar o braço. (Foto: Arquivo Pessoal).

Ferido em acidente de trabalho, ocorrido esta manhã, José Rodrigues, 38 anos, se surpreendeu ao ter o braço imobilizado por papelão. No lugar de talas, feita de gesso, profissionais do Posto de Saúde da Vila Almeida de Campo Grande usaram papelão e faixas.

O método revoltou José Rodrigues e ele comenta que nem sabia que este seria só o primeiro problema que iria enfrentar. José sofreu acidente às 8h30, quando entrava na cabine de um caminhão, no macroanel rodoviário, na saída para São Paulo.

O trabalhador caiu no chão e fraturou o pulso. Os próprios colegas de trabalho encaminharam José ao posto de saúde.

A equipe apontou a necessidade de atendimento de um ortopedista e José recebeu encaminhamento ao CEM (Centro de Especialidades Médicas).

Para chegar ao local ele usou novamente o veículo do amigo. “Não tinha ambulância”, afirma.

Com o papelão no braço ele foi ao CEM, de onde teve de seguir para o Hospital Universitário, novamente no carro do amigo.

Passadas sete horas do acidente de trabalho, José Rodrigues aguarda ser submetido a exames.

“Estou aqui num banco esperando para ver se vão me internar”, reclama.

Ele conta que o hospital está lotado e não sabe nem sequer se será operado.

“A família da gente fica preocupada porque quanto mais tempo demora pior fica”, diz.

Comum - Profissional do Posto de Saúde da Vila Almeida, que terá o nome preservado, explica que o procedimento é comum.

Talas especificas para o tratamento são usadas em pacientes que ficarão no posto e, quando se trata de imobilização provisória, até atendimento de ortopedista, o papelão é utilizado sem o comprometimento do resultado.

“Acho que os nossos representantes tinham que ver melhor isso. Eu tenho 16 anos de profissão e nunca precisei de serviço de saúde. Agora que preciso passo por isso”, disse.



Pelo amor de Deus com o braço quebrado quer ambulançia, existem casos mais graves para serem atendidos, e o papelão colocado não há nada de errado, e com certeza se for ficar internado vai ficar no corredor do HU aguardando, é dificil mas a saude publica aqui em campo grande está melhor que muitos estados, estamos com os serviço superlotados uma parte se atribui a migração de pacientes de outros estados, temos que agradeçer o que temos. publiquem por favor
 
JAFAR FARES em 18/03/2011 09:33:23
meu Deus,imagina o material que eles vao usar na operaçao tapa buraco de campo grande......será que o povo vai esquecer isso na proxima eleiçao....
 
roni braga em 18/03/2011 08:22:03
CARA PARECE ATÉ BRINCADEIRA O ESTADO QUE SE ENCONTRA A SAUDE DESTA CIDADE NA 'UTI' CADÊ A GRANA DO IPTU DE OUTROS IMPOSTOS QUE É DIRECIONADO PARA A 'SAUDE' POXA VIDA ESTES POSTO MAIS PARECE BAMBU BONITO POR FORA E OCO POR DENTRO SEM NADA,SEM BOM ATENDIMENTO,SEM REMÉDIOS
 
ANTONIO FABIANO PORTILHO COENE em 18/03/2011 05:01:00
Alow... Sr. Prefeito! Não ter equipamentos necessários para atender a população nos atendimentos de urgência e emergência... isso sim é que é um "PAPELÃO" hein!
 
Ana Carol em 18/03/2011 04:58:08
não temos ambulancia,nao temos tala p um simples procedimento,e olha q o nosso governador e prefeito são medicos.
 
maira mendes em 18/03/2011 03:55:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions