A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

27/11/2014 13:25

Prefeitura entrega 482 casas, mas novos moradores só entram em dezembro

Kleber Clajus
De forma simbólica, Olarte entregou hoje chaves a famílias de conjunto habitacional nas Moreninhas (Foto: Kleber Clajus)De forma simbólica, Olarte entregou hoje chaves a famílias de conjunto habitacional nas Moreninhas (Foto: Kleber Clajus)
Marcelo esperava entrega definitiva, como detalhado em documento entregue aos moradores (Foto: Kleber Clajus)Marcelo esperava entrega definitiva, como detalhado em documento entregue aos moradores (Foto: Kleber Clajus)

A entrega do Conjunto Habitacional José Maksoud, nesta quinta-feira (27), só deve ser concluída com a efetiva mudança de 482 famílias na primeira quinzena de dezembro. Os imóveis, na Moreninha IV, ainda aguardam ligações de água e luz, além de plano da Emha (Empresa Municipal de Habitação) para remoção dos contemplados de 10 áreas de favela, em Campo Grande.

O jardineiro Marcelo Ferreira de Oliveira, 32 anos, ficou confuso com a realização da entrega simbólica, uma vez que documento entregue antes da assinatura de contrato apontava a data como definitiva. “A data era para entrega e perdi um dia de trabalho”, comentou o morador de área de risco no Jardim Itamaracá, apesar de já haver preparado o jardim da nova casa para a mudança.

Marta Martinez, diretora-presidente da Emha, explica que o processo de remoção ocorrerá em 10 etapas, acompanhado da limpeza dos terrenos ocupados de forma irregular. A primeira fase inicia-se pela horta comunitária existente nas Moreninhas. Ela ainda justificou que, como os contratos foram assinados na segunda-feira, ainda não houve tempo hábil para instalação de água e energia, responsabilidade das concessionárias do serviço.

Estudante de Pedagogia, Selma Cristina de Souza, 36, conta os dias para sair de área abaixo de linhão de energia nas Moreninhas. “Vivia há oito anos com meu marido e três filhos na incerteza e agora vamos ter o que é nosso”, comentou, após receber chave fictícia do imóvel entregue pelo prefeito Gilmar Olarte (PP).

No conjunto habitacional, foram investidos R$ 27,817 milhões, sendo R$ 23,136 milhões do programa federal Minha Casa, Minha Vida, R$ 4,251 milhões de contrapartida municipal e R$ 430,4 mil do Orçamento Geral da União. Os imóveis, com 42 metros quadrados, beneficiarão famílias das favelas Pioneiros, Indianápolis, Perpétuo Socorro, Itamaracá, Ametista, Cohab Universitária, Mário Covas, Jardim Colibri/Campo Alto, Moreninha Linha 1 e Horta Comunitária.

Conforme o superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Paulo Antunes, os novos moradores não precisarão pagar pela casa própria, porém os alertou que é proibida a venda, aluguel ou emprestá-la a terceiros.

Já o filho do homenageado, Cesar Maksoud ressaltou que o fato do residencial ser voltado a operários enaltece a memória do pai que foi “símbolo de trabalho, liderança e pioneirismo no Estado”.

Das famílias beneficiadas, de acordo com Marta Martinez, cerca de 100 só receberão as casas após resolverem pendências documentais com a Emha e Caixa Econômica Federal.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions