ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 34º

Capital

Presa após perseguição, “ladra gata” ostentava vida fácil na internet

Estefanni Ramires de 19 anos, é natural de Ponta Porã, mas acabou presa em Campina Grande do Sul (PR)

Luana Rodrigues | 13/01/2017 18:26
Garota ostentava em fotos a beira da piscina. (Foto: Reprodução/ Facebook)
Garota ostentava em fotos a beira da piscina. (Foto: Reprodução/ Facebook)
Estefanni em foto do Facebook. (Foto: Reprodução/ Facebook)
Estefanni em foto do Facebook. (Foto: Reprodução/ Facebook)

“Não vou dar entrevista, estou muito feia”, disse a sul-mato-grossense Estefanni Ramires de 19 anos, à imprensa paranaense, ao ser presa em Campina Grande do Sul. 

Natural de Ponta Porã - município distante cerca de 323 quilômetros de Campo Grande, a garota ficou conhecida como "ladra gata" após o flagrante com veículo roubado.

Conforme informações do jornal O Dia Online, ao ser capturada após uma perseguição envolvendo viaturas da Polícia Militar e até um helicóptero, a ladra disse que “se fosse um carro esportivo, não seria capturada”.

Questionada pelos jornalistas, Estefanni disse que estava feia e que, por isso, a entrevista seria concedida de costas, de maneira que não mostrasse o rosto, sem maquiagem.

Ainda na delegacia, quando um repórter lhe perguntou o porque do crime, a garota disse: “Cada um se vira como pode, né?”, em tom de deboche.

Ostentação - Com mais de quatro mil seguidores no Facebook, Estefanni gostava de ostentar nas redes sociais. Além das fotos de biquíni exibindo o corpo, também tinha imagens em festas e até ao lado de armas, ou fumando.

Perseguição - Estefanni Ramires, de 19 anos, roubou o veículo, uma camionete Nissan Frontier no bairro Guatupê, em São José dos Pinhais. De acordo com o site Tribuna PR, ela estava acompanhada de um comparsa, porém, ele não foi identificado.

Após a polícia ser acionada, o veículo começou a ser procurado, com auxílio de um helicóptero. Assim que encontrado, já que a camionete tinha rastreador, Estefanni foi acompanhada sem saber pelos militares.

Depois, iniciou-se uma perseguição, fazendo um cerco até que a assaltante se rendesse, na rodovia BR-116, já no território do município de Campina Grande do Sul. Ela foi presa em flagrante e levada para a delegacia, onde foi reconhecida como autora do crime pela vítima. O rapaz que estava com ela segue sendo procurado.

Como a assaltante estava desarmada, acredita-se que ele levou a arma usada no crime. No Paraná, Stefanni foi chamada de "ladragata" por veículos de comunicação após sua prisão.

Nos siga no Google Notícias