ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Preso com toneladas de lixo em casa é liberado, mas terá de procurar tratamento

Ele passou por audiência de custódia nesta manhã no Fórum e vai responder ao processo em liberdade

Por Viviane Oliveira | 01/06/2021 11:04
Trabalhadores foi contratato pra fazer a limpeza do imóvel (Fotos Marcos Maluf)
Trabalhadores foi contratato pra fazer a limpeza do imóvel (Fotos Marcos Maluf)

Sem familiares por perto e vivendo em situação de aparente abandono, o idoso de 68 anos preso ontem de manhã pela Decat (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e de Atendimento ao Turista) por acumular toneladas de resíduos em casa, na Avenida Paulista, na região do Jardim Piratininga, em Campo Grande, disse à polícia que pessoas desconhecidas jogavam lixo, sem autorização, para dentro da casa dele.

O idoso passou por audiência de custódia na manhã desta terça-feira (1º) e teve a liberdade concedida, sem necessidade de pagar a fiança arbitrada na delegacia de R$ 2.2 mil, pela juíza May Melke Amaral Penteado. O idoso deverá procurar o Cras (Centro de Referência de Assistência Social) mais próximo da sua casa para atendimento, avaliação psicossocial e possível encaminhamento para tratamento psicológico.

Conforme o auto de prisão em flagrante, o acumulador relatou que vivia de favor na casa. O imóvel pertence a sua ex-mulher. Ele disse que trabalha como eletricista autônomo com ganho de R$ 300 mensal e recolhia material reciclável de valor na rua para revender.

Montanha de lixo era vista por cima do muro (Foto: Henrique Kawaminami) 
Montanha de lixo era vista por cima do muro (Foto: Henrique Kawaminami)

Segundo ele, pessoas desconhecidas também se aproveitavam da situação e jogavam lixo no imóvel. Indagado sobre a proliferação de animais peçonhentos como baratas, ratos, escorpiões por causa do lixo, disse colocar veneno para evitar a visita dos bichos, mas mesmo assim eles apareciam em épocas de chuva e frutas.

No local, conforme a polícia, havia acúmulo exagerado de madeira, latas e eletrodomésticos danificados, na altura do telhado, que era possível avistar da rua, por cima do muro. Em razão da quantidade de sujeira, também havia dificuldade em entrar na residência. Os resíduos também bloqueavam as portas.

Os policiais tiveram que caminhar sobre os sacos para ter acesso ao interior da casa. A ex-mulher do idoso, de 73 anos, disse que já havia tentado limpar o quintal, mas ele não aceitava. Ontem, ela fretou caminhão para fazer a retirar do lixo, vai pagar R$ 1 mil pelo serviço e informou que serão necessários mais 3 dias para a limpeza ser finalizada. Depois, pretende alugar a casa. Segundo a mulher, o idoso tem um imóvel no Bairro São Jorge da Lagoa.

Limpeza começou a ser feita ontem por empreiteira contrata pela ex-mulher do idoso (Foto: Henrique Kawaminami)
Limpeza começou a ser feita ontem por empreiteira contrata pela ex-mulher do idoso (Foto: Henrique Kawaminami)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário