A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Janeiro de 2018

04/04/2011 08:31

Professores demitidos após briga com reitora são reintegrados à UFMS

Aline dos Santos
Professor denunciou perseguição. UFMS justificou que exoneração foi resultado de sindicância. Professor denunciou perseguição. UFMS justificou que exoneração foi resultado de sindicância.

Demitidos da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) em dezembro do ano passado, os professores Cezar Augusto Carneiro Benevides e Nanci Leonzo, efetivos do curso de História, foram reintegrados ao quadro de servidores da universidade.

De acordo com portaria publicada hoje no Diário Oficial da União, o retorno dos professores atende à sentença emitida pela Justiça Federal. O documento, assinado pela reitora Célia Maria da Silva Oliveira, também torna sem efeito as portarias que demitiram os servidores. Cezar Augusto era chefe do departamento de História.

A demissão dos professores foi marcada por troca de acusações e denúncia de perseguição. À época, a UFMS informou, via assessoria de imprensa, que as demissões foram resultados de uma sindicância.

Conforme a universidade, a decisão foi baseada num fato que aconteceu em 2006, quando os professores providenciaram a aquisição de livros, “em desvio de finalidade do convênio Fadems (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Educação de Mato Grosso do Sul)/UFMS Vestibular 2007, sem licitação dispensa ou inexigibilidade”.

O professor doutor Cezar confirmou que comprou em meados de 2006 um acervo de aproximadamente 2,5 mil livros de uma coleção da professora Nanci Leonzo, mas que a compra foi regular.

Cezar e Nanci viveram juntos entre o fim da década de 80 e início da década de 2000. Segundo o professor, a reitora atribuía ao relacionamento um jogo de interesses para adquirir o acervo.

Os professores Cezar e Nanci, conforme a UFMS, já responderam a outros processos administrativos disciplinares, tendo recebido duas advertências e uma suspensão por 90 dias.

Perseguição – Em entrevista ao Campo Grande News, logo após a demissão, Cezar Benevides justificou que a reitora estaria agindo influenciada por professores que permaneceram por um tempo no curso de História e que há quase um ano “sumiram do mapa” alegando problemas de saúde.



fui aluno do curso de História e me formei em julho de 2010 com muito custo e muita briga, onde valia mais os interesses particulares de certos professores do que a formação dos alunos. São estes professores que traficam influência com o grupo politico da atual reitora. Professores que com alegação de problemas de saude deixaram o curso a deriva, denotando o total descaso para com o curso, os alunos e propria instituição.
 
kiko cruciol em 04/04/2011 11:32:25
Maria José, não vejo vitória nenhuma nesta sua colocação. A decisão é de um magistrado e não cabe a apreciação de abaixo assinado de acadêmico para tomada de tal decisão. Penso que esta seja uma decisão temporária que ainda cabe recurso por parte da Assessoria Juridica da UFMS. Veremos o que vai dar.
 
Orlando Freitas em 04/04/2011 11:18:59
esta reitora atual da UFMS é muito autoritária e se acha dona da lei,a universidade sempre foi aberta à comunidade aos domingos e feriados para as familias passearem,ao tomar posse a 1ªcoisa que fez foi bloquear a entrada do campus para ninguem entrar eos guardas ficarem sem fazer nada,é um absurdo reitora célia isso,a ufms é da comunidade e nao sua!vai por médico noHU em vez de ficar incomodada com quem usa o campus para um piqeniqe aos finais de semana
 
rogerio paiva em 04/04/2011 10:47:28
Sou aluna do curso de História e acredito que a reintegração dos professores também precisa ser vista como uma vitória dos estudantes. Na última semana, entregamos um Abaixo Assinado no Ministério Público e na Justiça Federal, com a adesão da maioria dos acadêmicos, pedindo a volta dos professores.
Sou a favor da continuidade do curso de História. Sou contra toda forma de perseguição política.
Não entendo como a reitoria demorou tanto tempo para obedecer a decisão judicial pela reintegração.
 
Maria José Surita Pires de Almeida em 04/04/2011 09:32:13
Isso mostra como o ensino superior no Brasil este organizado!!! Que vergonha desta briga política onde os maiores prejudicados são os alunos da UFMS.
 
Jose abreu em 04/04/2011 08:40:15
Concordo com a Maria José. A reintegração dos professores, significa sim, uma grande vitória para nós, alunos do curso de História!!! Espero que essa seja a primeira das notícias boas de que precisamos para concluir o nosso curso com qualidade!!!!
 
Elaine Florentino em 04/04/2011 04:37:06
Sinceramente não vejo vitória alguma do alunos no retorno desses professores........ realmente o curso está um desastre, mas precisamos saber o seguinte: cometeram ou não improbidade.... se não cometeram, ótimo... se cometeram... rua com eles..... é simples assim!
Não podemos permitir que sob o argumento de falta de professores, quem tenha cometido alguma falta fique livre de responsabilidades... aguardemos então...
 
Cristian Moraes em 04/04/2011 03:49:57
Me questiono até quando a história vai ser vista e reproduzida pelos olhares dos poderosos? Gostaria de ver algo sobre o outro lado desta história, até pq estamos cansados desse discurso vitimizado.
 
Marcelo Hobsbawm em 04/04/2011 03:18:27
Não é de hoje que a universidade federal vem dando mau exemplo para a sociedade, de tempos em tempos seus professores estão brigando e até saindo no braço para defender seus interesses. fico preocupada com a forma truculenta e sem diálogo dos nossos doutores em educação. Será que não esta na hora de mudança por la? alunos esta tarefa passa por suas mãos fortaleça seus diretórios estudantis cobre mais respeito dos professores e reitores. No meu tempo de estudante fiz parte de vários movimentos que colaboraram para melhoria da educação. Não se cale lute!
 
Joanita Rodrigues da Rosa em 04/04/2011 01:49:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions