A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

17/11/2012 10:29

Promotor diz que vai entrar com ação contra organização de show

Fiscalização da promotoria flagrou cinco adolescentes embriagados durante show do David Güetta

Paula Maciulevicius
Show excedeu o horário estabelecido pelo alvará e Promotoria vai entrar com ação por desobediência. (Foto: João Garrigó)Show excedeu o horário estabelecido pelo alvará e Promotoria vai entrar com ação por desobediência. (Foto: João Garrigó)

A Promotoria da Vara de Infância e Juventude retirou cinco adolescentes embriagados do show do DJ David Güetta, realizado na madrugada deste sábado, no Jockey Club, em Campo Grande. O promotor Sérgio Harfouche afirmou que a organização do evento vai responder por falsidade ideológica e desobediência de ordem judicial.

Foram 35 fiscais da promotoria, junto do promotor Sérgio Harfouche para controlar a entrada de adolescentes, que só poderiam assistir ao show acompanhados dos pais ou responsáveis ou com autorização em firma reconhecida, desde que a organização fiscalizasse o cumprimento da lei que proíbe a venda de bebida para menores.

Segundo o promotor, os pais dos adolescentes que foram retirados da festa assinaram o termo de compromisso de que vão comparecer à Promotoria. A ideia inicial era de levar os adolescentes até o Ministério Público Estadual, onde uma base foi montada, mas devido ao trânsito na região, os pais foram acionados até o local do show.

“Nós atendemos ali mesmo. Teve mãe desesperada para levar filho para o hospital em coma. Enquanto a mãe não chegava, eles não saíam. Só autorizei entregando para a mãe”, ressalta o promotor.

Neste caso, Harfouche explica que os pais não serão responsabilizados porque eles cumpriram com o alvará e deram autorização aos filhos. “Os pais propriamente não estavam lá, eles cumpriram com o alvará dando a autorização. Quem infringiu foi o organizador, porque eles foram avisados”, reforça o promotor em relação a ingestão de bebidas alcoólicas pelos adolescentes.

“Eles escancararam bebida alcoólica pra menores. Peguei adolescente em coma e inclusive me veio a denúncia de que alguns estavam trabalhando no bar”, completou Harfouche.

O promotor disse ainda que a organização da festa vai responder pelos crimes. “Eu vou encaminhar a denúncia. Ninguém é contra a diversão, mas que faça com responsabilidade, não minta para o Estado, não minta para a Polícia”.

“Teve mãe desesperada para levar filho para o hospital em coma. Enquanto a mãe não chegava, eles não saíam”, declarou promotor da Infância e Juventude, Sérgio Harfouche. (Foto: Arquivo)“Teve mãe desesperada para levar filho para o hospital em coma. Enquanto a mãe não chegava, eles não saíam”, declarou promotor da Infância e Juventude, Sérgio Harfouche. (Foto: Arquivo)

Na área criminal, Harfouche explica que a Move pode responder por desobediência, porque o alvará que permitia a entrada de adolescentes, estabelecia que a festa deveria terminar as 4h. No entanto, o show se avançou até 5h. E também por declaração falsa em documento público, por informar à Promotoria e ao Juizado da Vara de Infância e Juventude, primeiramente que o público esperado era de 7 mil pessoas e depois, dois dias antes do evento, que a expectativa era de 12 mil pessoas. A pena prevista para os crimes, conforme o promotor, é de um a cinco anos de cadeia.

O promotor relata que ontem avisou os organizadores desde as 20h de que o show teria de ser encerrado às 4h. Ainda durante a madrugada, ele novamente procurou a organização que informou que o DJ entraria no palco as 3h e que se passasse do horário, iriam retirar os adolescentes.

“Quando deu 4h, tinha mais gente do lado de fora. O número de seguranças era insuficiente. Eu mandei ofício para os hospitais para me informar cada adolescente que deu entrada em coma e eu vou tomar providência”, declarou.

O promotor disse ainda que a organização poderá ter de indenizar o Estado devido ao número de policiais militares que foram deslocados para o evento. Inicialmente, 25 policiais foram colocados para trabalhar no Jóquei Clube, no entanto, conforme relato do promotor, o excedente de público fez com que efetivo aumentasse.

“Eles terão de indenizar por conta dessa situação. A Polícia e o Estado não estão lá para enriquecer o bolso de ninguém. Só espero que o Tribunal de Justiça, em caso de recurso, não banalize a própria Justiça”, completou Harfouche.

Sobre o horário ter ultrapassado o limite imposto no alvará, a assessoria jurídica confirma e diz que por questões de segurança, a festa não foi interrompida. “Infelizmente não deu para encerrar no horário, deu 4h e o DJ ainda estava tocando e não tinha como parar. Era um evento muito grande, foi pela própria segurança, as saídas poderiam ser perigosas”, declarou o advogado da Move, Fábio de Melo Ferraz.

A retirada dos cinco adolescentes embriagados, não chegou ao conhecimento da organização, segundo informou o advogado que disse ainda que o Ministério Público Estadual estava lá justamente para fiscalizar em conjunto com toda a equipe de organização.

Em relação a alegação do promotor de que a Move declarou falsidade em documento público, o advogado contesta. “Em momento algum foi declarada falsidade. O alvará foi requerido em cima da estimativa de público que até o início da semana, a Move vendeu aproximadamente 12 mil convites”, respondeu Fábio.

A assessoria jurídica da Move também nega que os adolescentes que tenham consumido bebida alcoólica compraram dentro do evento. “Tanto o caixa como o bar foram instruídos para não vender bebida alcoólica para menor. Com certeza a Move não vendeu e que se apure o fato de como foi que eles conseguiram beber”.

A informação de que havia adolescentes trabalhando até no bar também foi contestada pelo advogado que afirmou que a organização deu todo suporte para que o Ministério Público fiscalizasse.

Por fim, o advogado ressaltou que o Ministério Público tem o direito de entrar com a ação e que a Move vai aguardar o posicionamento e fazer a defesa.

Congestionamento na entrada de show de David Guëtta já é de 3 km
O show do DJ internacional David Guetta já começa a levar um número grande de carros para o Jóquei Club de Campo Grande. Na avenida Gury Marques, pri...
Falta de pagamento faz prefeitura suspender hemogramas na rede pública
A falta de pagamento para um fornecedor de insumos fez com que a prefeitura de Campo Grande suspendesse a partir desta quarta-feira (13) a realização...


o único promotor que trabalha em campo grande... Parabéns pelo trabalho de excelência...
 
luciano alencar em 19/11/2012 21:05:23
Em primeiro lugar as "criancinhas" menores de idade já estavam bebendo antes de entrar no evento, ou seja, é a grande realidade, quando é pra ser é mesmo. Lá dentro literalmente não havia liberação de bebida para menores, mas e do lado de fora? e outra se os pais liberam eles devem ter a plena consciência que lá existe a venda de bebidas alcoólicas e que com certeza os filhos deles podem dar um jeito para consumação das mesmas. Mas por fim só acho que não devia ser liberado a entrada de menores em eventos como esse, aliás em nenhum lugar, já que os pais não se responsabilizam e a justiça sempre joga pro lado dos organizadores dos eventos.
 
Juliana Lacerda em 19/11/2012 10:22:48
se um adolescente quiser beber bebe quando e onde quiser estamos no Brasil onde os menores podem tudo! tem coisa melhor para os promotores se preocuparem por exemplo menores que matam que roubam e nada os acontecem! deixar os menores irem aos shows é um ato de cultura tem de deixar eles irem sim, cada pai ensine os seus fihos o que é certo ou errada! hoje um menor te rouba é presso e solto e ai promotor!:!!!
 
samuel vosni em 18/11/2012 14:43:31
PRIMEIRO PONTO: Não tinham que ter liberado entrada de menores no show.
SEGUNDO PONTO: Ouvi um menor dizendo lá dentro que havia FALSIFICADO uma carteira de identidade pra poder comprar bebida. Ou seja....
TERCEIRO PONTO: No mundo inteiro, festas de música eletrônica NUNCA acabam antes do sol nascer. Acho que CG merece festas desse porte, mas precisa deixar de pensar como província. Além do quê, nossos governantes precisam URGENTEMENTE pensar num local para esse tipo de evento.
 
Alexandra Rocha em 18/11/2012 11:33:48
O estranho e não responsabilizar os pais, sendo que são os maiores responsaveis nesta ação, dando o direito dos filhos menores participar de um evento so para maiores!!! Parabéns ao promotor pela atitude.
 
Silas Nunes em 18/11/2012 11:33:37
A Policia Federal ficou na saida de uma festa e pegou muita gente, e agora a promotoria fiscaliza e flagra a moçada. Se tudo fosse fiscalizado nao teriamos tanta droga e acidentes de transito. É só fiscalizar. Se liga Brasil!!!
 
MOISES BATISTA em 18/11/2012 10:38:27
Sou careta e assumo que isto não é feio, imoral e fora de moda. Quando fui jovem não ia para festas de bailes, discotecas, formaturas ou eventos para beber ou fumar drogas. Vejo com descrédito atitudes sociais atuais soluções em vista de formadores de filhos irresponsáveis dão carta de anuência para o fato. Interromper a vida e fazer passeata torna uma realidade comum depois da tragédia nada chororô no caixão. Falta atitude propositiva, formativa e proibitiva em eventos, kit vodka importada e 5 energéticos matam mais que qualquer outra droga ilicita, festas badernas buzinaço e gritos atravessam a madrugada sem critério de horário e pertubação do sono alheio. Preocupam autoridades e pais o efetivo policial, causam acidentes com morte no trafego, lotam enfermarias de postos e hospitais.
 
Carlos Alberto Catalani em 18/11/2012 10:38:06
Parabéns sr promotor Deus o abençõe o sr e sua familia!!!
 
Fatima Oliveira em 18/11/2012 09:43:19
Parabéns promotor Sérgio Harfouche, apesar que ainda deveria ter tido mais rigor ainda! Essa Campo Grande cidadezinha que se dis "Capital" não tem nem um local para ter um Show de verdade, a cultura deste estado influencia em suas obras, olha as ruas da cidade que tal? escolas bem arrumadinhas...que tal? Segurança pública perfeita...que tal? Nossos governantes...que tal? Os proprios pais levam seus filhos ao covil do inferno! e depois ainda reclamam, que tal levar seu filho a uma biblioteca? A isso é muito chato né? Ja fui jovem e nem por isso acabava com minha vida enchendo a cara, mas aos que aprovam a cultura que beber é bom!
 
Hueber Bueno em 18/11/2012 08:23:56
Só 5?
e as drogas,falta de segurança publica?Fora a pertubação ao sossego!!!!
Não sou contra a festas,sou contra a baderna,pessoas mijando na sua calçada ,barulho até amanhecer o dia!!!
 
wagner natal em 18/11/2012 08:03:55
Parabéns promotor,esta certo na sua atitude,porém,a festa nao foi até as 5 hs da manha,mas sim até as 7 e 30,moro proximo ao local do evento,e pude ver pessoas realmente atravessando a rua sem olhar para os lados,congestionamento e nenhuma fiscalizaçao,e pior continuando a beber...
 
Eliane Soares em 17/11/2012 21:36:58
Quanta hipocrisia. Fico me perguntando se os pais desses adolescentes realmente os liberaram por pensar que eles iriam a um evento desses e não beberiam nada... quem tem que exercer esse tipo de controle são os PAIS. O MP e os organizadores me parecem muito bem intencionados, mas não tem como fazer algo à prova de falhas.
 
Ricardo Farias em 17/11/2012 21:30:19
Muito bom promotor, continue atuando desta forma não apenas nestas festas, mas também no Moreninha I, II, IIi e IV, no Aero Rancho, Na Vila Nhâ Nhá, Taverópolis e etc. Existe necessidade de fiscalizações e muitos outros eventos.
 
Carlos Antunes em 17/11/2012 20:37:24
Infelizmente a culpa e da promotoria de liberar a entrada de menores para tal evento, visto que é de senso comum que os adolescentes pedem para um maior comprar a bebida. Quem deveria ser penalizado com toda certeza são os pais e os menores.
 
Leandro Souza em 17/11/2012 19:20:43
Na próxima é só não darem autorização alguma, se liberaram alvará sabiam que isso poderia ocorrer. E realmente está na hora de barrar esses empresários que só querem lucrar, e desrespeitam a justiça, acham que seus nomes falarão mais alto. Na próxima sequer autorizem esses eventos. Isso de cultura não tem nada. Um monte de gente bêbada, drogada. Meia entrada para estudante? no que esse evento acrescenta na cultura do adolescente?
 
Rafael Santos em 17/11/2012 19:16:46
Parabéns promotor... Tinha que sobrar pros pais dessa mulecada também que autoriza essa pentelhada frequentar shows desse porte... Esse tipo de lugar num é ambiente pra essa criançada...
 
Alan Rodrigues em 17/11/2012 17:24:34
o Promotor esta certo este show deveria ser proibido neste local rola muita coisa errado e aliciamento de menor os moradores da região não aguenta mais tanto barulho.
 
carlos marques em 17/11/2012 16:53:15
Quem garante que foi vendida bebidas a esses menores? Supor é fácil né Sr. Promotor, todo mundo sabia que isso ia acontecer, o certo seria nem autorizar a entrada dos menores! E é mais que claro que em lugares onde menor de idade não compra bebida, vai um maior de idade, compra e eles tomam! Isso não tem como fiscalizar! E sobre o público, estimativa não é número certo, então se no dia do evento for mais ou menos pessoas do que o estimado, é normal!
 
André Serra em 17/11/2012 16:45:08
QUEM DERA TIVÉSSEMOS MAIS PESSOAS COM O MESMO PENSAMENTO DESSE PROMOTOR. UM GRANDE HOMEM EM NOSSO ESTADO.
 
Valter Antunes de Oliveira em 17/11/2012 16:11:41
Realmente a culpa é dos pais por não instruir seus filhos, e o que acham que eles fazem quando estão longe dos seus olhos, tomam suco?É claro que pedem para um adulto comprar bebidas.Quando tinha shows na esposição cansei de ver garotos desmaiados nas calçadas.Vamos deixar de hipocrisia e começar educar melhor os jovens sobre o perigo que o as bebidas causam.
 
Marcia França em 17/11/2012 16:10:16
EU ADMIRO MUITO A ATITUDE DO PROMOTOR SÉRGIO HARFOUCHE, ESTÁ DE PARABÉNS POIS SÓ ASSIM CONSEGUIREMOS CONTROLAR NOSSOS JOVENS COMO ALGUNS ANOS ATRÁS, É FALTA DO COMPROMETIMENTO DOS PAIS E DOS FILHOS QUANTO A INFORMAÇÃO DE SEUS DIREITOS E DEVERES PERANTE A SOCIEDADE, JÁ QUE FOMOS COBRADOS QUANDO ADOLESCENTES, ENTÃO NADA MAIS JUSTO DO QUE COBRARMOS DOS NOSSOS,TIREM UM TEMPO PARA LER COM SEUS FILHOS O ECA(ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE) PROMOTOR PARABÉNS PELA SUA ATITUDE!!!!!
 
jucilene de oliveira dias em 17/11/2012 15:39:02
É destes tipos de profissionais que precisamos, parabéns promotor pela ação!
 
Regiane Barbosa em 17/11/2012 15:32:06
EU SOU A FAVOR DE ADOLESCENTE FICAR EM CASA COM OS PAIS ELES TERAO O TEMPO CERTO PÁRA SAIR A NOITE É SO TERT PASCIENCIA PARA ESPERAR A MAIOR IDADE, SENHOR PROMOTOR SÉRGIO HARFOUCHE E ENTENDIDO QUE MENOR NÃO DEVE IR A SHOWS AINDA MAIS DESSE PORTE, QUANTO A BEBIDA VEJA TAMBEM QUE PODERIAM SER VENDIDAR AOS MAIORES E ESSES POR SUA VEZ, PASSAR AOS MENORES, É PRECISO ANALISAR ESSA HIPÓTESE.
 
jucilene de oliveira dias em 17/11/2012 15:30:30
Concordo que a promotoria tem que punir sim, mas em primeiro lugar tem que punir os pais, eu e mais uma mãe fomos ao show, com minha filha adolescente e com mais cinco adolescente de 15 a 17 anos, os pais tem que ter responsabilidades para com os filhos, dava pra contar os adolescentes que realmente estavam acompanhados pelos pais, se ouve falhas da organização também ouve do MP na fiscalização, quem olhava a autorização era o pessoal da segurança, não conferiam o nome do menor nem nada, só olhavam a autenticação do cartório, o que tinha de menor que entrava e depois passava a autorização pro outro entrar, acho que o nobre Promotor, tem que agir preventivamente, menor só pode ir a shows acompanhado de seu responsável legal e ponto. Caso contrário NÃO ENTRA E PONTO.
 
Iara Moura em 17/11/2012 14:57:36
O certo é prevenir e não deixar esses adolescentes entrarem no Show, isso sim seria um bom trabalho.
 
João Junior em 17/11/2012 13:49:29
se a regra vai ser proibir menor em lugares onde ha oferta de bebidas entao comecem a proibir menores de frenquentar praça de alimentação de shopings é a mesma coisa oras!
 
samuel vosni em 17/11/2012 13:10:52
Sempre admirei este Promotor, mas esta atitude deliberar menor de idade pra um evento deste porte, não concordo.
Menor de idade não tem maturidade pra frequentar um ambiente que tem bebida a vontade.
Agora acionar os organizadores por conta disto ...
 
Lizeti Aparecida Zanineli em 17/11/2012 12:47:27
NÃO DEVERIAM TER AUTORIZADO ADOLESCENTES DE FORMA ALGUMA, TINHA TANTA CRIANÇA QUE MAIS PARECIA UM SHOW DA XUXA.
 
FLAVIO GOMES em 17/11/2012 12:31:58
Vamos parar com isso...mães desesperadas para levar seus filhos com coma alcoolico ao hospital, essas mães não sabem que seus bebes bebem? Elas não estão nem ai, muitos adolescentes saem e voltam para casa e suas mães nem sabe onde foram, eles voltam de carona, taxi, to cansada de ver isso. Os pais também deveriam ser responsabilizados senhor promotor. Vamos parar de hipocrisia.
 
Adriana Morais em 17/11/2012 12:21:06
engraçado ,menor pode matar e nao ser responsabilizado,roubar e nao ser responsabilizado,traficar ,beber,fumar,se drogar, por que sempre alguem vai ser responsabilizado,os pais,o estado,organizadores de evento...e assim vai ne ...parabens promotor...
 
valeria gutoski em 17/11/2012 12:20:10
Parabéns a esse promotor! Pela iniciativa de acompanhar os fatos de perto e poder constatar o que acontece nas noites campograndenses, se houvesse outros profissionais da justiça como esse Promotor Sr. Sergio, com certeza não teríamos a morosidade que existe dentro do judiciário, tenho certeza que ele vai correr atras e fazer cumprir a lei e penalizar quem tiver que penalizar, só uma ressalva Sr. Promotor, existem varias boates em campo grande que permite a entrada de adolescentes, é só fazer uma fiscalização mais rigorosa, Por exemplo: Uma boate que se chama "Jatobá", em que nas noites de quinta, sexta e sabado, quando há evento lá, o que mais se vê são menores frequentando aquele lugar....
Se o Sr. Promotor puder, coordene uma "operação" junto as policias nesses locais e constatará...
 
Fabricio Souza em 17/11/2012 12:19:58
Totalmente a favor do promotor
 
Divina Lemos em 17/11/2012 12:04:36
Impressionante como tem gente que gosta de aparecer. Em primeiro lugar, no caso, o ECA,no artigo 249, prevê pena de multa, de 3 a 20 salários, neste caso, não crime de desobediência. Segundo, a organização pode, sim, fazer previsão de público, previsão não é garantia. Terceiro, não existe falsidade ideológica sem intuito de prejudicar terceiro ou obter vantagem indevida, o que não aconteceu no caso. Quarto, a polícia militar lá esteve, e trabalhou bem, para garantir a segurança de todos os presentes, não para dar lucro à organização do evento! Quinto, é lamentável que o Promotor de Justiça atue com este nível de parcialidade e de populismo, ameaçando entrar com ação, mesmo sem fundamento algum, e ainda, por antecipação, criticar eventual decisão em sentido contrário.
 
Adriano Barros em 17/11/2012 11:51:26
Ninguém foi jovem..tudo bonzinhoo hipocrisia ..!!
 
Sérgio Lima em 17/11/2012 11:49:07
É hipocrisia da promotoria dizer que foi o bar doo evento que vendeu para os menores. Todos sabemos que os menores "alcoolatras" pedem para que maiores de idade comprem as bebidas. Os pais que sabem que seus filhos bebem, deixam a responsabilidade para o Estado. E quando pegam esses menores bebados e dopados, fazem o que? Ficam procurando um culpado, ao invés de punir o próprio menor e seus pais, pois os mesmos não se importam quando chegam embriag, por isso estamos sendo atacados por bandidos menores, pos sabem que são protegidos por que deveriam puni-los quando errados. Dê para esses menores "veneno" para ver se eles tomam...... aí verão que eles tomam por conta própria. E esses festas são feitas para menores, e todos sabem disso.
 
Kamél El Kadri em 17/11/2012 11:35:44
Hoje pela manhã, por volta das 7 hs ainda era possível avistar jovens e adolescentes embriagados atravessando a avenida Gury Marques sem ao menos olhar dos lados de tão " loucos" que estavam.
Sr Promotor chega a lenha nessa organização!
 
Luciano Sliva em 17/11/2012 11:28:09
Parabéns a promotoria pelo excelente trabalho em coibir dois malefícios que são a venda e ingestão desregrada e irresponsável de bebidas alcoólicas e, a omissão dos pais quanto aos esclarecimentos e restrições que deveriam impor à seus "filhinhos". Quanto ao comentário do colega sobre fiscalizar eventos sertanejos, acho super válido e de grande valia, porém não venha com falso moralismo, por conta de suas preferencias musicais, pois o problema não é o ritmo e sim a irresponsabilidade de adolescentes e pais. Abraço!
 
Charles Cavalcante em 17/11/2012 11:27:35
Faça-me o favor.....
Que tal a gente so fazer show com a turma da Monica e o Cebolinha.
Ha!... tambem podia começar as 20:00hs e terminar la pelas 23:45hs.
Bebida????? que tal "Poncho".
 
João Soares em 17/11/2012 11:20:18
Província dos infernos!!!
 
Marcio Levy em 17/11/2012 11:16:20
Claro que ninguem vendeu bebidas para esses adolescentes, afinal ninguem vende não é mesmo, só não entedo porque vejo tantos adolescetes embriagados, nesse evento então.....
 
Heitor Costa em 17/11/2012 11:04:00
Gostaria de saber do SR. Promotor se vai realizar a mesma operação em Shows de música Sertaneja, menores bêbados não é culpa da Move , pois um menor no local não compra bebidas ele simplesmente, solicita a um maior de idade para comprar e beber no local, os pais são os responsáveis , e a culpa é da Promotoria em liberar menores no local.
 
Benny Paiva em 17/11/2012 10:58:43
Parabéns pelo trabalho que o promotor Sérgio Harfouche vem fazendo em Campo Grande, para nós que temos filhos pequenos ele da a esperança que futuramente os adolescentes vão poder se divertir cumprindo as leis!
 
Ronaldo Pereira em 17/11/2012 10:50:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions