A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

09/06/2018 13:06

Públicas e privadas, grandes obras incomodam a rotina da cidade

Caçambas, obras de prédio e de revitalização interferem no dia a dia do campo-grandense

Aline dos Santos
Na Dom Aquino, interdição é para obras de prédio. (Foto: Fernando Antunes)Na Dom Aquino, interdição é para obras de prédio. (Foto: Fernando Antunes)

Do poder público ou da iniciativa privada, grandes obras compartilham altas somas de dinheiro, melhorias futuras e transtornos no presente. Na manhã deste sábado (dia 9), a quadra da rua Dom Aquino, próximo da José Antônio, parte da faixa de rolamento da esquerda era tomada por máquinas e buracos. A interdição faz parte da obra de um prédio, que já resultou em asfalto desnivelado perto do meio-fio.

Segundo Rodrigo Ricci, 28 anos, que trabalha perto da obra, a construção acarreta em dificuldade para encontrar vaga de estacionamento e muita poeira, visível no pó que encobre as motocicletas paradas no entorno do prédio.

Na rua 14 de Julho, entre a Fernando Corrêa da Costa e 26 de Agosto, além de máquinas e asfalto cortado, a poeira que irrita a garganta logo denota que “estamos em obras”. A intervenção faz parte do Reviva Centro, obra iniciada na quadra há uma semana e que prevê investimentos de R$ 49,2 milhões na primeira fase.

Othavyo Amaral, 20 anos, conta que foi negociado para que os veículos de moradores possam ter livre acesso e até a possibilidade de futura dor de cabeça já foi conversadas. Os imóveis foram visitados para um antes e depois da obra. Ou seja, uma forma dos proprietários se resguardarem caso a obra resulte em problemas, como rachadura.

 

Obra do Reviva Centro na esquina da Fernando Corrêa com a 14 de Julho. (Foto: Fernando Antunes)Obra do Reviva Centro na esquina da Fernando Corrêa com a 14 de Julho. (Foto: Fernando Antunes)
Segundo Othavyo, foi negociado livre acesso de moradores da rua 14 de Julho, (Foto: Fernando Antunes)Segundo Othavyo, foi negociado livre acesso de moradores da rua 14 de Julho, (Foto: Fernando Antunes)

A abertura no solo é para rebaixar a fiação, que será subterrânea. Supervisora da Endo Car Seminovos, Taciane da Gama Dias conta que a partir de segunda-feira a obra deve ser na calçada em frente à loja.

A expectativa é que demore três dias. Por enquanto, a loja segue atendendo com acesso pelas ruas 14 de Julho e 26 de Agosto.

Até então, o maior problema é a poeira. Os carros não são cobertos, pois precisam ser vistos pelos clientes e os modelos de cor branca exigem limpeza constante.

Na esquina da 14 de Julho com a Fernando Corrêa, a obra interditou parte de uma das faixas de rolamento. Já os pedestres transitam por trecho onde cones isolam o fluxo de veículos de quem anda a pé. O espaço comporta apenas um passante por vez.

Também no Centro de Campo Grande, conforme mostrado em reportagem do portal, obra lembra caçamba, que se espalham pelas escassas vagas de estacionamento. Na rua 13 de Maio, esquina com a venida Afonso Pena, seis caçambas de entulho foram instaladas para reforma de agência bancária.

Caçambas em vagas de estacionamento na rua 13 de Maio. (Foto: Fernando Antunes)Caçambas em vagas de estacionamento na rua 13 de Maio. (Foto: Fernando Antunes)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions