A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

19/03/2014 15:44

Quadrilha de mascarados deu prejuízo de R$ 30 mil em mais de 10 farmácias

Bruno Chaves
Rodsney tem várias passagens pela polícia. Em 2010 ele foi preso por tráfico de drogas em Selvíria (Foto: Perfil News)Rodsney tem várias passagens pela polícia. Em 2010 ele foi preso por tráfico de drogas em Selvíria (Foto: Perfil News)

Mais de 10 farmácias de Campo Grande foram vítimas da quadrilha de mascarados. Estimativa da polícia aponta que o prejuízo de todos os roubos ultrapassa os R$ 30 mil. Na última ação do bando, realizada no dia 12 de março, o policial Weslen de Souza Martins, 36 anos, acabou morto com um tiro no coração.

Ontem (18), o líder do grupo foi preso. Rodsney Mendes de Carvalho, 30, escolhia os estabelecimentos vítimas e comandava toda a ação. Ele, inclusive, participou do roubo a farmácia da Vila Bandeirantes onde o policial foi morto, segundo a polícia.

“Ele atuava no comando, sempre na retaguarda e dando cobertura”, contou a delegada titular da Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos a Veículos), Maria de Lourdes, que investiga o último assalto. Os demais roubos cometidos pela quadrilha são investigados pela Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos).

Como o assalto que terminou na morte do investigador continua em investigação, a polícia não pode precisar o número de pessoas que participaram da ação. Entretanto, nos demais casos, a delegada acredita que quatro pessoas agiam em conjunto.

“Eles deram um prejuízo de mais de R$ 30 mil. Se somar os carros roubados, esse prejuízo fica bem pior”, pontuou Maria de Lourdes. O grupo, explicou a delegada, sempre roubava com o apoio de máscaras. O objetivo era de dificultar a identificação.

A delegada contou que “algumas vezes eles repetiam as máscaras”. “A da caveira utilizada na farmácia da Vila Bandeirantes foi reconhecida por mais de cinco vítimas”, afirmou. Além de comércios de medicamentos, o bando costumava assaltar floriculturas e demais estabelecimentos.

Ficha criminal – Rodsney é considerado pela polícia um preso de alta periculosidade. Ele foi preso em Amambai, a 360 quilômetros de Campo Grande, próximo da fronteira com o Paraguai. Para a delegada, a intenção dele era fugir para o país vizinho.

Ele tem passagem por falsidade ideológica, ameaça, tráfico de drogas, apropriação indébita, estelionato e roubo, conforme informou a assessoria da Polícia Civil.

Comparsa – Autor dos disparos que vitimou o policial civil Weslen no assalto do dia 12, Paulo Vieira Torrete Júnior, 22, era comparsa de Rodsney e tinha uma extensa ficha criminal. Ele, que já tinha executado outras duas pessoas, morreu em confronto com a polícia horas depois assassinar Weslen.

Torrete morava em uma casa da Rua Agostinha Bacha, no Jardim das Perdizes, em Campo Grande, que tinha como locatário Rodsney.

O bandido morto cometeu o primeiro crime quando tinha 14 anos. Torrete matou um desafeto. Cinco anos depois, com 19 anos, ele assassinou uma criança de 12 anos. Ele também tinha passagem por roubo, furto, assalto a mão armada, tráfico de drogas e outros.



Esse criminoso está vivo pra contar historia O tamanho de sua obesidade, é o tamanho de sua ficha criminal. Após ser apresentado a imprensa, arrumadinho e inteirinho,o sorriso sarcástico, ja deve ter sumido nas dependências da DERF onde agentes e colegas do policial assassinado vão se revezar durante a madrugada interrogando o Gordão, como em filmes americanos...com cafezinho e tudo...! Tudo na mais alta "profissionalidade", lógico!
 
Samuel Gomes em 19/03/2014 17:55:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions