A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

03/02/2011 09:58

Quadrilha especializada em extorsão por telefone é transferida para MS

Angela Kempfer

Grupo também participou de ataques no RJ em 2010

Doze integrantes de quadrilha especializada em extorsões por telefone, o golpe do falso sequestro, foram transferidos ontem do Rio de Janeiro para a Penitenciária Federal de Campo Grande.

Segundo o Ministério da Justiça, os presos também participaram dos ataques no Rio de Janeiro no final de 2010, com organização de confrontos com a Polícia - ações comandadas de dentro dos presídios.

Já estão em Mato Grosso do Sul os detentos Anderson de Souza Ribeiro, Carlos Alberto Lobo, Darley Vasques da Silva, Deives Dias Monteiro, Edson Gustavo de Souza, Fábio dos Santos Lima, Flávio Cesar Cassemiro, Lazaro Gomes de Medeiros, Luciano de Freitas, Luiz Carlos de Vargas Faneli, Márcio Cea de Paiva, Robson de Oliveira Júnior.

O grupo estava preso desde 2007 e chegou às 11 horas de quarta-feira á Capital, escoltado por nove agentes penitenciários federais e cinco integrantes da Força Nacional, em avião da PF, mas a transferência foi feita sob sigilo para evitar tentativas de resgate.

“Eles precisavam de uma resposta dura por causar pânico à sociedade. É a primeira vez que os integrantes desta facção criminosa são transferidos”, afirmou o juiz-corregedor das prisões do Rio, Carlos Eduardo Carvalho de Figueiredo, atendendo requerimento da Secretaria de Segurança Pública.

A facção atua dentro dos presídios e é conhecida como ‘Povo de Israel’, apesar de não ter cunho religioso.

O modo de ação já é conhecido em todos os estados brasileiros, inclusive, com vítimas em Mato Grosso do Sul. A quadrilha liga para as vítimas, simula estar com algum parente e exigem dinheiro para liberá-lo.

Segundo a Justiça, eles são excluídos de facções criminosas como o Comando Vermelho, ADA (Amigos dos Amigos) e TCP (Terceiro Comando Puro).

Geralmente são presidiários ameaçados e por isso excluídos de grupos formados por traficantes, dentro dos presídios. Alguns foram condenados por estupro, e outros por crimes "pequenos", como assalto e acabaram se organizando para cometer os crimes mesmo preso.

Homem de 30 anos é esfaqueado e fica em estado grave
Bartolomeu Gomes de Araújo Barbosa, 30 anos, ficou gravemente ferido após ser atingido a golpes de faca no abdômen, na noite de ontem (12), na Rua Bo...
Após documento vazar, Sesau diz que hemogramas não foram suspensos
A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) afirmou que os hemogramas continuam sendo feitos na rede pública de saúde de Campo Grande. A informação inici...


Sabiamos que com a construção desse presidios era certo que veria um monte de "visitantes" "moradores" pra cá...
Que benefícios essas "pessoas" vão nos trazer??? nem um, somente terrorismo, assaltos em nossas casas, nas ruas de nossa cidade, onibus(como já vem acontecendo) e dai, a quem devemos pedir socorro....quando a policia chega já foi o bandido.
Campo Grande está deixando de ser aquela cidade boa de se morrar, pois está ficando como as grande metropolis. Queriamos que ela crescesse mais não com tantos bandidos pela nossas ruas.
O geito sr. Prefeito é colocar muitos policias pelas ruas, nos onibus e principalmente pelos bairros próximos a esses presidios(é onde está tendo muitos assaltos, por exemplo: aqueles 4 onibus ), pois os bandidos estão atacandos todos.
 
maria alves em 03/02/2011 11:58:58
Parabens pela atitude do judiciário.
 
Armando Carminatti Filho em 03/02/2011 11:55:06
O pessoal não pode esquecer de tirar os celulares desses presos, vai que eles resolvempassar trote no pessoal daqui. Já não basta presidiários os que ligam de outros estados para nós.
Celular é fácil para eles, seus patronos não querem serem revistados, é contra a lei.
 
Kamél El Kadri em 03/02/2011 11:23:55
Devemos ficar atentos, quando recebermos um telefonemas exigindo resgate. Devemos imediatamente desligar o aparelho e ligar para a policia.
 
leones de Almeida em 03/02/2011 11:00:00
primeiro depois de desligar o seu telefone, tente de imediato entrar em contato com esse suposto seqüestrado, depois ligue para a polícia
 
Joao simoes em 03/02/2011 03:11:04
Nossa! Alguém pode me explicar, porque será que os detentos continuam tendo acesso em celulares dentro dos presídios, já que é realizado revista antes da entrada dos visitantes para dentro do complexo penal. Será que o Mister M anda passeando por lá e fazendo aparecer os aparelhos celulares como num passe de mágica, ou será que caem do céu, ou então posso avaliar que seja um milagre de DEUS. ESTRANHO NÉ!.

(Pergunta) : Agora é certo o ESTADO arcar com custos desse tamanho como transporte aéreo, disponibilizar tantos agentes para a segurança dos presos.

(Pergunta): Eles já estavam dentro de um complexo penal, quando cometeram o crime de extorsão. Sendo assim, seria necessário os detentos serem transferidos para uma unidade penal federal.

O penalizado continua cometendo crimes dentro desses complexos, e no entanto ainda não vi nenhuma politica para a recuperação desses individuos para que eles consigam viver em sociedade.
A conversa é sempre a mesma, até quando teremos que aturar essa situação não vejo fundamento em detê-los lá dentro,sendo que continuam no comando de facções aqui fora.
Senhores legisladores, até quando seremos refém de uma politica que existe somente no papel, porém, na pratica não funciona.



 
Suzana Maroli em 03/02/2011 02:15:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions