ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  08    CAMPO GRANDE 18º

Capital

Réu diz que atirou contra ex ao ser chamado de "chifrudo" e virar chacota

Ademar dos Santos confessou que atirou, mas alega que apenas queria assustar ex, atingida por 2 tiros

Por Dayene Paz e Bruna Marques | 12/05/2022 11:13
Réu mostrando como pegou a arma no momento em que disparou na ex. (Foto: Henrique Kawaminami)
Réu mostrando como pegou a arma no momento em que disparou na ex. (Foto: Henrique Kawaminami)

Ademar dos Santos Guimarães, de 31 anos, julgado nesta quinta-feira (12) por tentar matar a ex-companheira a tiros, afirmou que disparou após virar chacota entre os amigos dela, que o chamavam de "chifrudo". O rapaz negou que tivesse a intenção de matar Leilaine Olinda Fernandes Souza, de 18 anos, mesmo acertando dois tiros na jovem.

A versão apresentada por Ademar no julgamento de hoje contesta a apresentada pela vítima e também o inquérito policial. Ele confirma que estavam separados e que Leilaine dormia há uma semana na casa da mãe, mas alega que no dia do crime a jovem o chamou para conversar e passou o endereço da casa da amiga onde estava.

Ademar conta que foi de moto até o local. "Estava ela e mais duas amigas bebendo cerveja. Ergui a viseira e comecei a conversar, quando falaram que eu não tirei o capacete porque o chifre estava enroscando, fiquei tranquilo. Falei 'vamos conversar' e os amigos começaram a dar risada, fiquei nervoso, com raiva, e tirei a arma".

O rapaz conta que atirou na lateral da jovem, contestando Leilaine, que afirmou ter a arma mirada para a cabeça, sendo que o primeiro disparo falhou. "Em momento algum mirei nela", afirma Ademar. Leilaine correu e foi atingida nas costas, depois de raspão. Foram, ao total, três disparos, contando o primeiro que falhou. Ademar diz só se lembrar de dois tiros e que não correu atrás da vítima. "Em momento algum eu quis matar ela, foi só para assustar", reafirma.

Nesse momento, o juiz perguntou, já que não tinha a intenção de matar, o motivo de ter ido armado para uma conversa com a ex. Ademar alegou que saiu com a arma pois tinha a intenção de vendê-la. Após o crime, a jogou em um pontilhão.

Vítima foi atingida por dois tiros - Em sua versão, Leilaine confirma que a relação era conturbada e que após o fim do relacionamento as últimas palavras que ouviu de Ademar foram: "tudo bem, você vai se arrepender".

No dia do crime, ela foi até a casa de uma amiga e depois de aproximadamente 40 minutos, Ademar chegou ao local. "Eu estava sentada na cadeira, ele veio de moto e tirou o revólver. Em momento algum tirou o capacete, mas eu reconheci que era ele pois a gente já tinha convivido por algum tempo", disse.

Nesse momento, ele apontou o revólver para a cabeça da vítima e no primeiro disparo, a arma falhou. "Foi o tempo que eu consegui correr e ele acertou um tiro nas minhas costas. Continuei correndo, quando disparou outro que foi o de raspão. Eu corri para o mato, onde tinha criança, mulher grávida, então acho que ele ficou meio assustado, pegou a motocicleta e foi embora", lembra. Ferida por dois tiros, a jovem foi socorrida e ficou três dias internada para a retirada da bala das costas.

Nos siga no Google Notícias