ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Réu por matar jovem após “encarada” é condenado a 12 anos de prisão

Douglas Junior Gomez Ojeda, 22, foi morto com dois tiros na cabeça e suspeito foi preso um mês depois

Ana Paula Chuva | 06/06/2023 14:35
Marcas de sangue no local onde vítima foi morta em setembro de 2021. (Foto: Marcos Maluf)
Marcas de sangue no local onde vítima foi morta em setembro de 2021. (Foto: Marcos Maluf)

Josimar Barros Chalega, 32 anos, foi condenado a 12 anos de prisão em regime fechado por matar a tiros Douglas Junior Gomez Ojeda. O crime aconteceu no dia 25 de setembro de 2021, na esquina das ruas Yokohama e Américo Brasiliense, Vila Santo Amaro, em Campo Grande. O julgamento foi na manhã desta terça-feira (6).

Na época do crime, a informação era que a motivação do assassinato seria uma dívida de R$ 100. A informação foi dada à polícia por testemunhas, conforme o boletim de ocorrência. Douglas morava perto do local onde foi morto e o pai dele chegou a dizer que ouviu os disparos e se surpreendeu ao ver o rapaz correndo.

O autor do crime fugiu em uma motocicleta Honda Fan, sem placa, mas foi preso quase um mês depois em Ladário, cidade a 426 quilômetros de Campo Grande. Josimar foi encontrado por equipe do Batalhão de Choque da Polícia Militar, durante rondas operação Hórus, em uma casa no Bairro Almirante Tamandaré. Ele confessou que era foragido pelo homicídio de Douglas e disse que jogou a arma usada no crime em um matagal.

No entanto, a denúncia do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) diz que Douglas foi morto após supostamente encarar Josimar, depois de uma partida de futebol. A vítima estaria conversando com uns amigos e o autor se aproximou para tirar satisfação. O rapaz teria explicado que não estava olhando para ele.

Josimar insistiu no assunto e ainda questionou a vítima sobre barulhos de motocicleta em frente e ameaçou Douglas, já sacando uma arma e efetuando um disparo no pescoço do rapaz que caiu e foi atingido novamente. Ele morreu no local e o autor fugiu.

Durante o julgamento na 1ª Vara do Tribunal do Júri nesta terça-feira, a defesa de Josimar tentou a absolvição genérica e o afastamento da qualificadora, mas para o Conselho de Sentença a materialidade e autoria do crime estavam claras e decidiram pela condenação do acusado.

Josimar então deverá cumprir 12 anos de prisão, inicialmente em regime fechado, por homicídio qualificado por motivo fútil. A sentença é assinada pelo juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida.

Nos siga no Google Notícias