A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

19/03/2011 12:02

Segurança morto com soco não tinha problemas de saúde, diz família

Ricardo Campos Jr.

Parentes clamam por justiça no caso

“Ele era alegre, brincalhão, tinha um monte de amigos”, disse a mãe.(Foto: Ricardo Campos Jr.)“Ele era alegre, brincalhão, tinha um monte de amigos”, disse a mãe.(Foto: Ricardo Campos Jr.)

A família do segurança Jeferson Bruno Escobar, 23 anos, afirma que o rapaz não tinha qualquer problema de saúde que pudesse ter facilitado a morte do jovem após ter levado um soco no peito, na madrugada deste sábado, em um bar localizado na avenida Afonso Pena. Parentes e amigos aguardam o resultado da necropsia e clamam pela punição do responsável pelo crime.

“Meu filho saiu bem de casa para trabalhar e vou receber ele no caixão. Todo mundo está revoltado. Ele era muito querido. A gente quer justiça. Meu filho estava trabalhando”, diz a cozinheira Selma Gomes Vieira, 40 anos, mãe do segurança.

Ela conta que Jeferson era um rapaz cheio de planos. Havia começado a cursar direito em uma universidade particular da Capital, a qual pagava com o dinheiro do trabalho como segurança, que trancou após a compra do primeiro veículo, há 2 meses. “Nem desfrutou do carrinho dele”, disse a mãe.

A meta de Jeferson era terminar a faculdade e prestar concurso público para a carreira de policial.

O jovem vivia e cuidava da avó idosa em uma casa próxima a da mãe, a qual freqüentava diariamente. Selma lembra que viu o filho pela última vez na noite de ontem (19), pouco antes de ir trabalhar. Hoje, ele havia prometido jantar na casa dela durante reunião de família, já que parentes de Minas Gerais e Aquidauana visitavam a cidade.

“Ele era alegre, brincalhão, tinha um monte de amigos”, disse a mãe.

Apesar de clamar por justiça, Selma afirma não confiar na punição do responsável. “A justiça é lenta. Para pobre não existe. Mas da justiça de Deus ele não está livre. Tirou meu filho na flor da idade”, disse a mãe.

O corpo de Jeferson ainda está no IMOL (Instituto Médico Odontológico Legal). Tão logo seja liberado a família será informada pela empresa funerária a respeito do velório e enterro.

O caso - Christiano Luna de Almeida, 23 anos, é lutador de jiu-jítsu, segundo informações da Polícia, e se envolveu em uma confusão durante a madrugada na casa noturna. Jeferson, acompanhado por outros seguranças, foi levar o rapaz para fora do estabelecimento.

Jeferson foi morto com um soco no peito, durante o trabalho, em uma casa noturna na avenida Afonso Pena. (Foto: arquivo da família)Jeferson foi morto com um soco no peito, durante o trabalho, em uma casa noturna na avenida Afonso Pena. (Foto: arquivo da família)

De acordo com a Polícia, Christiano se descontrolou e deu um soco no peito de Jeferson. Uma equipe do Samu (Serviço Móvel de Urgência) chegou a ser encaminhada para tentar socorrer o rapaz, que não resistiu.

Dependendo da força e região em que é aplicado, segundo avaliação policial, o golpe pode ser mortal.

O rapaz fugiu do bar após o crime e acabou localizado por uma equipe do Cigcoe (Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Policiais Especiais) na casa dele, no bairro Chácara Cachoeira.

Levado até a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro foi indiciado por lesão corporal seguida de morte.

Defesa - O advogado de Christiano, Abdalla Maksoud Neto, afirma que o cliente estava “muito bêbado” e apenas se defendeu sem a intenção de matar. Segundo ele, o jovem é recém formado em Direito e tem emprego no serviço público, mas não soube dizer em qual órgão.

“Todos dizem que o segurança estava sobre o Christiano, que para se desvencilhar do cara, que era muito maior do que ele deu um soco”, garante. Abdala considera o caso “uma fatalidade”. “Ninguém quer matar ninguém dando um soco, não é?”



A cada dia que passa o medo aumenta, sair na noite em Campo Grande está muito perigoso, não pela ação dos ladrões.. mais sim pela ação dos PLABOYS, filhinhos de papai que se acham no direito de fazer o que bem entendem a qualquer pessoa, como vimos no ano passado o caso da jovem Mayana, que foi vitima de um vagabundo tirando racha pela cidade. Agora, o jovem está trabalhando, ralando para conquistar seus objetivos, estudando, dedicando sua vida a um futuro que seja bom, vem um idiota desses, um BANDIDO e tira a vida de uma pessoa. Vamos ver agora como vai ser, no minimo os pais desse animal são pessoas de influência e vão acobertar a barbárie que o filhinho fez. Á familia do Brunão meus sinceros sentimentos, que Deus possa confortar seus corações, e que a JUSTIÇA se faça, e que os homens que a regem possam enchergar e dar a punição merecida a esse animal.
 
Henrique Lima em 21/03/2011 11:06:32
Infelizmente tiraram de mim alguem que sempre me orgulhei !!!!
Mas em vida, e em poucos momentos que estivemos juntos, pude contemplar a alegria, a felicidade, e os encantos em ter uma pessoa querida e preciosa por todos.
Bruno !!!!! Meu amado e querido primo, ganhei um presente seu que jamais sairá de mim, aonde em silêncio, sempre me lembrarei de vc.
Saudades !!!!!!!!!!!!!!!!!
 
Flávio Vieira em 21/03/2011 03:52:05
ainda não está dando pra acreditar que isso aconteceu com meu amigo ,uma pessoa não tem direito de tirá a vida de outra sem motivo, ele só estava fazendo o trabalho dele ,saio tão bem de casa ,ai vai um filinho de papai, PLEYBOZINHO e faz isso ,a justiça será feita se não for aqui na terra será la no céu ,mais vai ser feita em algum lugar,uma pessoa tão alegre como o Bruno não iria fazer mau a ninguém ...amigoo sei que aonde estiver esta clamando por justiça...E A JUSTIÇA SERÁ FEITA...
 
juliana silva em 21/03/2011 03:34:13
Ninguém tem o direito de tirar a vida de ninguém,ainda mais de uma pessoa querida e brincalhona como meu primo brunão que éra querido por todo mundo,digno de nossa família ser querido pela pessoas.
Se esse rapaz christiano Luna de Almeida tinha em mente destruir uma família ele conseguiu e esse peso pela morte de meu primo ele carrega-ra pro resto de sua vida,esperamos por justiça.
Será que a justiça é feita pela classe social,pode ser que aqui na terra sim,mas lá em cima ele sabe oque faz, e fica ai o pedido queremos justiça...
 
Leandro de Almeida Vieira em 20/03/2011 04:46:31
A tristeza me consome, por ler esta noticia, por ver a tamanha brutalidade de uma pessoa sobre a outra. o Bruno era meu amigo, uma pessoa que conheci na Mirim...e que aprendi ter um enorme respeito e consideração.
Deus está te acolhendo de braços abertos meu brother. Vai em paz meu amigo. Força Sempre.
 
Douglas Olmedo em 20/03/2011 02:52:29
Pois é mais uma fatalidade! Como dizem os defensores desses pitboys que enchem a cara de cerveja arrumam briga, e o segurança que só fazia o trabalho dele de manter a ordem no local perde a vida pra resguardar a vida de outras pessoas q estavam no estabelecimento e que com certeza sairam pra se divertir e não pra causar confusão, se tira a vida com um soco sim Srº Advogado, inclusive quem pratica artes marciais sabe disso da localização onde um soco pode ser fatal, e agora vem com essa conversa de bebida quem bebe assume o risco do que faz, cadeia nele, poderia ser diferente ter pego um carro e sair por ai bebado e atropelar alguem ou furar um sinal vermelho como tem acontecido em Campo Grande tirando a vida de cidadãos de bem .....
 
Jean Carlos em 20/03/2011 01:23:26
Sou professor e sempre funciona da mesma forma. Alguem mata o proximo e depois alega ter problemas mentais, legitima defesa, tomar remedios, fatalidade. Ate quando????
 
Arildo Pinho em 19/03/2011 12:53:51
O rapaz é criminoso. Diria mais, não devia nem ser enquadrado como lesão corporal. Se o cara é lutador de jiu-jutsu ele assumiu o risco de causar a morte, é homicídio por dolo eventual. Não vem com essa história que o cara bebeu demais, se bebeu, ele se embriagou porque quis, ninguém forçou, senhor advogado (que está cuprindo o seu trabalho, mas se algum promotor cair nessa é uma vergonha).
Essa cidade tá cheia de vagabundo metido a playboy, falta de educação dos pais, que agora tentam proteger contratando advogados caríssimos.
Como diriam: "é ferro, é ferro, é ferro... na boneca.
 
fernando ennes em 19/03/2011 12:46:58
Opa, quando mata não tinha intenção, mas quando estava vivo? Nosso direito brasileiro é tão criativo.
 
Antonio Carlos em 19/03/2011 12:24:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions