A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

10/04/2012 10:35

Adolescente que matou irmãos estava agressivo, afirmam pais à Polícia

Mariana Lopes e Viviane Oliveira

Na manhã de hoje, a delegada Maria de Lourdes ouve seis pessoas sobre o caso do garoto que matou os irmãos

Policiais conduzem adolescente que matou os irmãos para depoimento. O jovem está entre os investigadores. (Foto: Minamar Junior)Policiais conduzem adolescente que matou os irmãos para depoimento. O jovem está entre os investigadores. (Foto: Minamar Junior)

Prestaram depoimento na manhã de hoje (10), os pais do adolescente de 15 anos que matou os irmãos Rodrigo dos Santos Vilar, 20 anos, e Walquiria dos Santos Vilar, 22 anos, no último sábado (7) na rua Arariba, no bairro Moreninha II, em Campo Grande.

O policial civil aposentado Paulo Vilar e a esposa, Sônia Vilar, disseram à delegada Maria de Lourdes, da Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude), que o garoto andava agressivo nos últimos dias.

Os pais não souberam justificar o motivo da mudança no comportamento do filho. Segundo a delegada, eles relataram que o garoto tinha "implicância" típica de irmãos e negou informação dada anteriormente de que ele tinha discutido com a irmã na noite anterior ao crime. “A menina estava no computador e o adolescente puxou o fio e desligou o aparelho. Era esse tipo de implicância que ele tinha”, diz a delegada.

Em depoimento, Paulo Vilar disse que mantinha a porta e a janela do quarto trancadas, por conta da arma. A delegada acredita que o adolescente tenha se aproveitado da distração de um dos serventes que faziam a reforma no quarto do casal e deixou a janela sem cadeado, para entrar e pegar a arma.

Para Maria de Lourdes, o garoto planejou a morte dos irmãos, mas afirma que ainda há muita informação contraditória. “Não conseguimos tirar um parâmetro do crime, não dá para saber se ele queria matar só o irmão e matou a irmã porque ela viu ele atirando, ou se realmente queria matar os dois”, pontua.

Em duas horas de depoimento, os pais também garantiram que o menino nunca pegou em uma arma. A delegada confirmou que ele atirou nos irmãos a uma distância muito pequena.

Sobre o fato de o garoto ser filho adotivo do casal, a delegada garante que não interfere no caso. Segundo ela, 95% dos adolescentes infratores se envolvem em crimes por não terem acompanhamento familiar e serem influenciadas pelo ambiente no qual vivem do que por fatores biológicos.

Depoimentos – Ainda na manhã de hoje, a delegada Maria de Lourdes ouve mais quatro pessoas, sendo uma a vizinha que ouviu os disparos dos tiros e outras duas pessoas que receberam ligação do adolescente.

O adolescente será o último a ser ouvido pela delegada, que, segundo ela, foi estratégia para ele não encontrar com os pais. Desde o dia do crime, os três não se viram ainda.

Hoje será a segunda vez que o adolescente prestará depoimento sobre o duplo homicídio. De acordo com Maria de Lourdes de Souza Cano, há divergências em informações repassadas por ele, além de não estar clara, ainda, a motivação do crime. “Nós queremos esclarecer as divergências e saber porque dele matou os irmãos, qual foi o motivo”, explicou a delegada.

Paulo Vilar pode responder por omissão de cautela, e o adolescente vai responder por duplo homicídio qualificado, por motivos torpe, fútil, emboscada ou traição.



ai está um retrato da violência vivida em nossa sociedade, mas uma vez uma familia se encontra com seus corações feridos, marcado pela brutal selvageria, cometida por um adolescente, e pior, que é da mesma familia, ficamos imaginando: o quanto estes pais estão sofrendo. estou orando e pedindo há DEUS!! para que este pai e mãe, receba um poco de conforto, e que possa continuar vivendo.
 
sivaldo arcanjo em 10/04/2012 01:22:23
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions