A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

13/11/2015 13:28

Sem balanço e sob crítica na Câmara, tapa buraco volta à Bandeirante

Antonio Marques
Slogan da peça publicitária da operação tapa buraco foi criticado na Câmara Municipal (Foto: Fernando Antunes)Slogan da peça publicitária da operação tapa buraco foi criticado na Câmara Municipal (Foto: Fernando Antunes)

Lançado na última quarta-feira, 11, a operação tapa buraco, denominado pela prefeitura de plano de recuperação de ruas, as seis equipes estão atuando em todas as regiões da Capital. A Seintrha (Secretaria de Infraestrutura, Transporte e Habitação) ainda não tem um balanço do trabalho realizado, que deve ser concluído no final de semana. Na Câmara Municipal, alguns vereadores criticaram o lançamento do prefeito Alcides Bernal (PP), por ter demorado demais para iniciar.

Para hoje, estão programados a atuação das equipes nas avenidas Bandeirante, Brilhante, Marechal Deodoro e Gunter Hans, na região do Anhanduizinho. No período da tarde, a prefeitura divulga a programação das vias que vão receber a operação tapa buraco no sábado.

Conforme a assessoria da prefeitura, são cinco empresas envolvidas na operação tapa buracos, mais uma equipe Seintrha e outras 29 pessoas envolvidas na fiscalização. O titular da secretaria, Amilton Cândido, a meta é concluir a operação em 90 dias, ao custo de R$ 2 milhões mensais.

Inicialmente, a operação será executada pelas empresas Selco, Pavitec, Gradual, Wala e Diferencial, que segundo a prefeitura não estariam envolvidas nos escândalos da operação Lama Asfáltica, que investiga desvio de verbas públicas na recuperação de rodovias e obras no estado.

Durante a sessão dessa quinta-feira, 12, na Câmara Municipal, os vereadores criticaram o lançamento da operação feito pelo prefeito Alcides Bernal (PP) para tapar os buracos da cidade. O vereador Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB) disse na Tribuna que, em vez da solenidade, a operação não deveria ter sido interrompida já que as mesmas cinco empreiteiras foram recontratadas para realizar os serviços de tapa-buracos e cascalhamento e patrolamento.

O vereador Marco Alex (PT) criticou o fato de o prefeito usar um peça publicitária em que usou a frase “Chega de buracos e a lama”. Para ele, Bernal não deveria brincar usando a palavra lama em referência ao escândalo de corrupção investigado pela operação Lama Asfáltica. “As pessoas estão sendo investigadas pelo Ministério Público e vão responder à justiça. Não cabe ao prefeito ficar de brincadeira”, declarou.

Em resposta, o Derly dos Reis de Oliveira, o Cazuza (PP), disse que a frase seria um alerta para que a população e os próprios vereadores pudessem acompanhar de perto e fiscalizar melhor os serviços públicos e que o obejtivo da atual gestão é acabar com os buracos e a lama.

Conforme a assessoria da prefeitura, hoje as equipes estão trabalhando de forma simultânea, nas ruas Planalto, Paraíba e Padre João Crippa, no Centro; avenidas Consul Assaf Trad, Mascarenhas de Moraes e Monte Castelo, na região do Segredo; na avenida Presidente Vargas e Rua dos Andradas, na região Imbirussu. Ainda tem equipe atuando para concluir os trabalhos na Avenida Gury Marques, na saída para São Paulo.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions